"Quero imaginar sob que novos traços o despotismo poderia produzir-se no mundo... Depois de ter colhido em suas mãos poderosas cada indivíduo e de moldá-los a seu gosto, o governo estende seus braços sobre toda a sociedade... Não quebra as vontades, mas as amolece, submete e dirige... Raramente força a agir, mas opõe-se sem cessar a que se aja; não destrói, impede que se nasça; não tiraniza, incomoda, oprime, extingue, abestalha e reduz enfim cada nação a não ser mais que um rebanho de animais tímidos, do qual o governo é o pastor. (...)
A imprensa é, por excelência, o instrumento democrático da liberdade." Alexis de Tocqueville
(1805-1859)

"A democracia é a pior forma de governo imaginável, à exceção de todas as outras que foram experimentadas." Winston Churchill.

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

O PSDB ABANDONOU 50 MILHÕES DE BRASILEIROS À PRÓPRIA SORTE


Bem amigos, acredito que vocês sintam o mesmo gosto amargo na boca após estas eleições que eu.

O gosto da indignação e em enxergar a situação em que está nosso querido Brasil.
 O PSDB enganou o povo mais uma vez.

Sabíamos que o PT não iria entregar a galinha dos ovos de ouro tão fácil, afinal a cumpanherada está rica. São doze anos de assaltos sem dó aos cofres DAnação, 25 mil cumpanheros, ex sindicalistas e militontos que ganhavam salários de acordo com a falta de capacidade profissional que possuem, e hoje viraram uma nova casta na república sindical do Brasil.

Milhares de vagabundos ideológicos empilhados em cargos de nomeação infestando estatais e as estruturas do estado com um único objetivo, roubar.

A ideologia, há muito deixou de ser bandeira política, o que vale hoje é estar dentro do governo e garantir uma poupuda aposentadoria.

Bem, como funciona o PT nas estruturas do estado qualquer um que leia as páginas políticas e policiais dos jornais sabe. Agora, aquela parcela que lê o caderno de esportes, os classificados e as colunas de fofoca ou limpa a bunda com ele... Vota PT.

O que pegou de verdade nestas eleições e que me prostrou diante de uma realidade absurda foi o comportamento do TSE. e o silêncio conivente do PSDB.

Desde sempre o TSE se coloca de forma que o que eles querem é lei e ponto final. Dizem que as urnas são seguras e a população é obrigada a acreditar só por que eles querem. Simples assim.

Não permitem auditorias, recontagem de votos, impugnação de urnas e se alguém hoje entrar com algum recurso judicial colocando em dúvida o resultado das eleições entra em uma "litigância de má fé" decretada pelo STF através do "isento" ministro Lewandouisque. Simples assim.

Os resultados das eleições são soberanos por decreto e ninguém poderá contestar sob pena de incorrer em crime.
Essa é a democracia PTralha, o que eles querem é lei e ponto final. Qualquer semelhança com uma ditadura é má fé.

O pleito pela dinâmica já demonstrava o vício, colocaram os lobos para tomar conta do galinheiro, não auditaram as urnas, não aceitaram denuncias de uso da máquina pública, não fiscalizaram como manda a lei, não tomaram atitudes contra os abusos cometidos pela candidata do governo, simplesmente ficaram á margem das leis apenas procurando brechas para phoder os adversários. E o pior, atrasaram em três horas o anuncio do resultado alegando o fuso horário do Acre. Se sabiam que poderia ocorrer tal possibilidade por que não atrasaram o horário de verão para a meia noite do sábado seguinte ao segundo turno? Afinal a importância do horário de verão é irrelevante em relação aos destinos do país, mas....

Colocaram o horário de verão, atrasaram em três providenciais horas os resultados, e se alguém reclamar vai dar com os burros n'água. A fraude está colocada de forma consistente e ditatorial.

A estrutura do estado está definitivamente apodrecida e aparelhada, a constituição pode ser rasgada, e quem for contra tem duas opções, aceitar ou cair fora do país enquanto ainda pode.

A vergonha em ver uma bandalheira sem precedentes na história política Tupiniquim me levam a acreditar que caminhamos a passos largos para o brejo socialista, viraremos uma Venezuela ou uma CÚba em breve.

A presidANTA quer por que quer fazer o plebiscito da reforma política e dos "conselhos populares" que nada mais serão do que os bate paus de quarteirão a serviço de la revolución entregando todo mundo que se opuser ou cometer o crime de opinião. E com a média do povo sofrendo de uma covardia extrema, os abusos estão por começar.

As classes da militância vermelha estão trabalhando arduamente para a implantação de tais conselhos e asfaltam a ditadura socialista em solo brasileiro.

Enquanto a sociedade civil do gigante adormecido faz de conta que é feliz, viaja sem parar para o exterior torrando Dólares em bugigangas e fazendo de conta que é povo rico.

Quando essa parcela da população acordar será tarde demais, quando perceberem que perderam o poder de compra de classe média e acima de tudo, perderem as liberdades civis a merda já estará agarrada até o pescoço e teremos que virar guerrilheiros para salvar o país, ou assistir em berço esplêndido a derrocada da sociedade brasileira em uma atrasada CÚbanização do continente.

E não adianta nada ficarem agora no Fakebook pagando de Brasuca consciente e indignado se não tomarem às ruas e botarem para quebrar em busca de mudanças, protestar sentado diante de um computador se tornou comodo demais e engana ao próprio cidadão que acredita que ter esse comportamento é atitude de ativista político. Os ativistas de verdade estão do outro lado da força, nas ruas e nos conselhos estudantis garantindo a passagem para o atraso e para a Ditadura, o resto é militante de faz de conta.

Aécio sempre foi um candidato fraco, afinal ele é Tucano, e os Tucanos desde a eleição do Sebento estão na competição para perder e dar legitimidade ao pleito transfigurando a fraude em exercício da democracia.  O PSDB tem esqueletos demais dentro dos armários para confrontar o PT sobre corrupção sem ser exposto de forma cruel. Toda vez que Aécio nos debates confrontou a corrupção do PT recebeu pelo bico o SIVAM, a PASTA ROSA entre outros como contraponto, e em vez de jogar a merda no ventilador e provar que tudo não passava de mentiras, entrava pelo caminho de não responder e querer mudar o foco para que se discutisse o futuro e não olhasse para o passado. SE PHODEU!!

Claro que quem se phodeu de verdade foi o povo, queles quase 50 milhões que acreditaram nas boas intenções do PSDB e foram por acreditar ou por utilização do voto nessa empreitada.
Todos os envolvidos eleitos ou não,  voltam aos seus cargos, continuam recebendo seus polpudos salários e a população que levou a breca que lamba suas feridas, pois se forem esperar uma movimentação dos partidos de oposição contra a lisura destas eleições vão morrer sentados.

O que chama a atenção é a quantidade de gente que coloca nas redes sociais imagens das fraudes nas urnas fora os que denunciam abertamente terem sido impedidos de votar pois, alguém já o tinha feito em seu nome. E os opositores absolutamente calados, não se movimentam e nem se manifestam para dar satisfações aos que acreditaram no projeto do PSDB em tirar o PT do poder.

Simplesmente acabadas as eleições abandonaram mais uma vez o povo à própria sorte, largaram o osso e estão agora preocupados com os conchavos e acordos para a garantia de mais algumas mamatas nas gordas tetas do estado brasileiro com a anuência do povo.

O PSDB com quase 50 milhões de votos tinha por obrigação movimentar a sociedade em liderança pública, convocar manifestações de rua, ir para o pau e confrontar a bandalheira e o estelionato quase oculto destas eleições.

O povo ainda está com os ânimos acirrados, a hora é agora, se deixar para fazer oposição daqui um mês já era. É melhor pegar o boné e pedir para sair, pois o único prejudicado em toda essa bandalheira é sempre o povo honesto e trabalhador, pois os desonestos estão na política e os vagabundos recebendo bolsas.
 
31 de outubro de 2014
omascate

THE ECONOMIST: DILMA DEIXOU UMA HERANÇA MALDITA PARA SI MESMA


 
Depois de declarar seu apoio a Aécio Neves numa reportagem de capa sobre as eleições no Brasil, a britânica The Economist, a bíblia dos investidores globais, publicou na edição desta semana, que chegou nesta quinta-feira às bancas, uma reportagem sobre a vitória da presidente Dilma Rousseff. Com o título Duro de Matar Dilma (Diehard Dilma), o artigo aborda as limitações e os desafios que ela terá pela frente para tirar o Brasil do limbo no segundo mandato.

“Seu desempenho no primeiro mandato não justificou sua vitória. A herança que ela deixou para si mesma é problemática”, afirma a reportagem. “Ela inclui recessão, inflação acima da meta do Banco Central, contas públicas opacas, dívida pública crescente e uma eminente redução na classificação de risco do Brasil, assim como um déficit em conta corrente de 3,7% do PIB (Produto Interno Bruto), que é o maior desde 2002 e é financiado parcialmente pelo ‘hot money’ (cujo ardor provavelmente vai diminuir com a sua vitória).”

Segundo a revista,  Dilma tem de nomear um ministro da Fazenda competente,  com poder para fazer o seu trabalho sem interferências do Palácio do Planalto, para reforçar seus tímidos esforços para atrair investimentos privados na área de infraestrutura, e promover uma reforma tributária.  O risco, de acordo com a Economist, é Dilma trilhar um caminho mais tortuoso e o Brasil se tornar uma sociedade em que o Estado ofereça benesses para seus aliados, como a Venezuela. “Uma olhada na Venezuela deve dissuadir a senora Rousseff de perseguir essa trilha”, diz a Economist.

A revista destaca, ainda, a proposta de diálogo feita por Dilma, mas afirma que 16 anos de poder para um único partido é ruim para qualquer democracia. “Largamente conhecida como obstinada, a senhora Rousseff insiste que aprendeu a ouvir e a mudar. Esperamos que ele esteja falando sério.”
 
 
31 de outubro de 2014
in coroneLeaks

QUE CPI QUE NADA! OS IANQUES É QUE VÃO BOTAR NA CADEIA OS PETISTAS CORRUPTOS PEGOS NO PROPINODUTO DA PETROBRAS


 
Por incrível que pareça, é a internacionalização da Petrobras que vai fazer com que a corrupção implantada pelo PT na estatal seja apurada até o fim.
Sim, porque o PT é o culpado. Foi o PT que loteou a Petrobras com os demais partidos corruptos. Mas o ponto é que a Petrobras anunciou ter contratado dois escritórios de advocacia, o americano Gibson, Dunn & Crutcher e o brasileiro Trench, Rossi e Watanabe para auxiliá-la nas investigações.
 
Ambos se apresentam como especializados em FCPA (Foreign Corrupt Practice Act), lei americana que prevê pesadas penas e multas a empresas estrangeiras com ações em bolsas americanas que sejam flagradas em corrupção.
 
A Petrobras tem ADRs (títulos lastrados em ações) negociadas na Bolsa de Nova York (NYSE). A contratação ocorreu dias depois de a Petrobras ter sido pressionada a aprofundar a apuração pela PwC (PricewaterhouseCoopers), empresa que audita seus balanços, sob ameaça de não avaliar as contas do terceiro trimestre e, em caso extremo de omissão, relatar o episódio à SEC (Securities Exchange Commission, o órgão que regula o mercado de capitais americano).
 
Vejam só: os "malditos imperialistas" é que vão nos ajudar a botar estes socialistas corruptos na cadeia, porque lá a investigação vai fundo, não é engavetada como aqui no Brasil.
 
31 de outubro de 2014
in coroneLeaks

VÍDEO GRAVÍSSIMO!

O que faz MILITAR BRASILEIRO assistindo e dando apoio pessoal a este LOUCO? INACREDITÁVEL! Preste atenção ao final do "discurso"...

https://www.youtube.com/watch?v=3CoXapQFj6A&feature=player_embedded


31 de outubro de 2014
in movcc

COMO AS LEIS CONTRA A CORRUPÇÃO NOS EUA OBRIGARAM A DIREÇÃO DA PETROBRAS A SE MEXER

Já não basta Graça Foster fechar a cara em depoimentos previamente ensaiados; agora, a coisa ficou feia!
 
A Petrobras está numa encalacrada, e a questão, agora, deixou de ser local. Não dá mais para fingir que se investigam isso e aquilo. Já não basta mais à presidente da empresa, Graça Foster, ir ao Congresso e responder a perguntas a que teve acesso previamente, transformando o que deveria ser esclarecimento em pantomima. A seriedade da coisa subiu de patamar. O busílis é o seguinte: a PricewaterhouseCoopers, auditoria responsável por avaliar os balanços da estatal, resolveu pressionar a direção da empresa a aprofundar as investigações das roubalheiras na estatal, segundo critérios das leis anticorrupção dos EUA. Ou a gigante brasileira fazia isso, ou a Price deixaria de analisar seus balanços.
E que consequências isso teria? A auditoria informaria ao conselho da Petrobras a sua decisão; se, ainda assim, nada fosse feito, a Price informaria à SEC (órgão que regula o mercado de capitais nos EUA) o rompimento do contrato. Seria um golpe gigantesco na credibilidade da estatal no mercado internacional, isso num momento delicado, em que a empresa depende vitalmente de financiamento externo. Sem a análise do balanço, a Petrobras estaria fora do mercado.
Parece piada, mas é assim: foi preciso que as leis americanas fossem evocadas para que a Petrobras se coçasse e decidisse investigar a sem-vergonhice. Dois escritórios especializados em leis americanas anticorrupção foram contratados: nos EUA, o escolhido foi o Gibson, Dunn & Crutcher. No Brasil, o Trench, Rossi e Watanabe, de São Paulo. Eles vão colaborar com a comissão interna criada pela Petrobras para investigar o caso.
Na mira da comissão interna da Petrobras, estão diretores nomeados por Lula. A comissão pediu ainda autorização à Justiça para ouvir Paulo Roberto Costa sobre a construção da refinaria de Abreu e Lima, informa a Folha:“A empresa pediu que Costa esclarecesse, entre outras coisas, o teor de reuniões com o ex-presidente da estatal José Sergio Gabrielli e o ex-diretor de Serviços Renato Duque realizadas entre o fim de 2005 e o começo de 2006 sobre Abreu e Lima. A Petrobras quer saber por que, às vésperas da implantação de Abreu e Lima, Costa foi com Gabrielli e Renato Duque a reunião em Brasília. A estatal pede explicações sobre as revisões do valor da obra, que subiu de US$ 4 bilhões para US$ 13,4 bilhões entre 2006 e 2009”.
Essa informação é pública há muito tempo. Só agora o comando da Petrobras resolveu cobrar explicações. E só o fez porque a Price exigiu.
Que coisa, né? Quem sabe o fato de o mercado ser globalizado — e de as leis americanas serem bastante severas com corruptos — possa fazer bem ao Brasil. A Price obriga agora a Petrobras a fazer o que já deveria ter sido feito há muitos anos, não é, governanta? Que ironia! Quem sabe as leis contra a corrupção dos EUA ainda acabem fazendo bem aos brasileiros.
 
31 de outubro de 2014
Reinaldo Azevedo, Veja online
 

    SUÉCIA RECONHECE OFICIALMENTE O ESTADO DA PALESTINA


    palestina_03


    O governo sueco reconheceu oficialmente nesta quinta-feira (30) o Estado da Palestina. “Com o nosso reconhecimento queremos sobretudo dar nosso apoio às forças moderadas palestinas”, escreveu ministra do Exterior, Margot Wallstrom, no jornal Dagens Nyheter.

    A Suécia considera que se cumprem os critérios do Direito Internacional para reconhecer um Estado palestino, destaca a ministra. “Há um território, uma população e um governo”, afirmou.

    O novo governo sueco havia anunciado já em 3 de outubro que tomaria a decisão, o que resultou em críticas de Israel e dos Estados Unidos. Entre os membros da União Europeia (UE), a Suécia é o primeiro grande país da Europa Ocidental a reconhecer o Estado palestino.

    Outros sete países da UE – Bulgária, Chipre, República Tcheca, Hungria, Malta, Polônia e Romênia – também reconheceram o Estado da Palestina.

    Wallstrom escreve no Dagens Nyheter que a “Suécia já reconheceu antes outros Estados, como a Croácia, em 1992, e o Kosovo, em 2008, apesar da ausência de controle sobre algumas partes de seu território. E, como eles, a Palestina é um caso especial”, afirmou a ministra.

    O presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas, saudou a decisão, chamando-a de corajosa e histórica. “Todos os países do mundo que ainda hesitam em reconhecer nosso direito a um Estado palestino dentro das fronteiras de 1967, com Jerusalém Oriental como capital, deveriam seguir o exemplo da Suécia”, afirmou.

    Já o ministro do Exterior de Israel, Avigdor Lieberman, disse que a decisão é deplorável e que ela apenas fortalece “elementos extremistas”.

    (Com agências internacionais)

    31 de outubro de 2014
    ucho.info

    PT NÃO VAI DESISTIR DE GOVERNAR COM OS "CONSELHOS POPULARES"

     



    O ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, diz que a derrubada pela Câmara dos Deputados, do decreto presidencial que criou a Política Nacional de Participação Social demonstrou a vontade de se impor uma derrota política à presidenta Dilma Rousseff. Segundo Carvalho, o governo não desistirá de tornar constitucional e estável o processo de participação social.

    A seu ver, ao não aceitar o decreto, os parlamentares agiram contra o desejo de participação do povo brasileiro. “A meu juízo, nada mais anacrônico, mais contra os ventos da história, nada mais do que uma tentativa triste de se colocar contra uma vontade irreversível do povo brasileiro que é a vontade da participação. O povo brasileiro não aceita mais uma postura de mero espectador”, acrescentou.

    Na avaliação do ministro, a derrota na votação da Câmara mostra que “a presidente Dilma Rousseff tem razão ao considerar que a reforma política só ocorrerá com uma forte mobilização social e popular”.

    Ao ser perguntado por jornalistas sobre o apoio de integrantes do PMDB, partido da base aliada, na derrubada do decreto, o ministro respondeu que havia setores do partido que tinham tomado a decisão de derrotar a proposta do governo e que não se deve confundir essa atitude com o conjunto do partido. “Prefiro considerar esse um episódio isolado que não afeta nossa aliança com o PMDB”.

    ###

    NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
    O senador Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Congresso, tem razão quando diz que “Gilberto Carvalho, como sempre, não sabe nada do que está falando”.
    Pela primeira vez, a Tribuna da Internet tem de concordar com o senador alagoano. Dilma Rousseff e Gilberto Carvalho sonham que PT vai conseguir mobilizar as massas para aprovar os “conselhos populares” no estilo Hugo Chávez.
    Sonhar não é proibido. No entanto, é mais fácil as massas protestarem contra o governo do que a favor. (C.N.)

    31 de outubro de 2014
    Yara Aquino
    Agência Brasil

    PSDB ACORDA E ENFIM EXIGE DO TSE UMA AUDITORIA DA ELEIÇÃO




    O PSDB protocolou quinta-feira no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pedido de auditoria especial para verificar o resultado das eleições presidenciais deste ano.
    O candidato do partido Aécio Neves perdeu a disputa para a petista Dilma Rousseff por uma diferença de 3,28 pontos percentuais.

    Na petição, assinada pelo coordenador jurídico do PSDB, deputado Carlos Sampaio (SP), o partido justifica que há “uma somatória de denúncias e desconfianças por parte da população brasileira” motivada pela decisão do tribunal de só divulgar o resultado da eleição presidencial após a votação no Estado do Acre.

    “O aguardo do encerramento da votação no Estado do Acre, com uma diferença de três horas para os Estados que acompanham o horário de Brasília, enquanto já se procedia a apuração nas demais unidades da federação, com a revelação, às 20h00 do dia 26 de outubro, de um resultado já definido e com pequena margem de diferença são elementos que acabaram por fomentar, ainda mais, as desconfianças que imperam no seio da sociedade brasileira.”

    ###

    NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGEspera-se que o requerimento do PSDB esteja documentado com as abundantes provas de irregularidades que vêm sendo denunciadas, desde antes das eleições, pela Tribuna da Internet, com absoluta exclusividade. (C.N.)

    O partido pede ao TSE a abertura de processo de auditoria nos sistemas de votação e de totalização dos votos, por uma comissão de especialistas formada a partir de representantes indicados pelos partidos políticos.

    “É justamente com o objetivo de não permitir que a credibilidade do processo eleitoral seja colocada em dúvida pelo cidadão brasileiro que nos dirigimos neste momento à presença de Vossas Excelências”, alega. O TSE ainda não se manifestou a respeito.

    31 de outubro de 2014
    Deu na Exame

    CANDIDATURA DE EDUARDO, PRIMEIRO OBSTÁCULO PARA DILMA

     
     

    Reportagem de Márcio Falcão e Ranier Bragom, na Folha de São Paulo, e de Isabel Braga e Fernanda Krakovics, no Globo, ambas nas edições de quinta-feira 30, deram destaque ao lançamento, pela maioria da bancada do PMDB, da candidatura do deputado Eduardo Cunha à presidência da Câmara Federal.
    A legenda, para reforçá-lo no embate e que se propõe contra o governo, o reconduziu à liderança partidária. A candidatura do parlamentar do Rio de Janeiro caracteriza-se por um tom oposicionista que assumiu. Tanto assim que o próprio candidato afirmou não haver um tom de harmonia com o PT na Casa.

    A declaração acentua uma posição contrária ao governo, sobretudo porque ocorreu a deflagração antecipada para uma disputa igualmente prevista. O que a meu ver caracteriza bem o lance antecipado tem base numa questão bastante simples: o futuro presidente da Câmara dos Deputados não será eleito pelos parlamentares e sim pelos que tiveram seus mandatos renovados nas urnas de 5 de outubro, ou pelos que iniciam sua atuação parlamentar.
    Em ambos os casos, pode-se afirmar em síntese, pelos que vão tomar posse a partir de primeiro de fevereiro. Diferentemente da presidente da República que será reempossada a primeiro de Janeiro de 2015.

    Como a renovação da Câmara foi em torno de 30%, esta parte dos novos eleitores não estavam diplomados quando a candidatura foi lançada na sessão de 29 de outubro. A quem interessa a antecipação? Provavelmente ao PMDB, que se encontra dividida desde as eleições para alguns governos estaduais.

    DESAFIO

    O desafio dirigido ao Palácio do Planalto possivelmente tem como endereço a chefe do Poder Executivo, o que está claro, e como objetivo, no fundo da questão oculto, produzir um impacto que se torne capaz de conduzir o governo a apressar articulações para escalar o novo ministério a emergir no início de Janeiro de 2015.
    As duas alternativas, dependendo do desenrolar dos fatos, poderão se transformar em uma só solução. Mas, sem dúvida, o desafio e o problema foram colocados para Dilma Rousseff. Poderiam ser traduzidos através do diálogo colocado pela presidente, logo após a confirmação de sua vitória nas urnas.

    Mas não há dúvida, seja sob qualquer ângulo de análise, que a candidatura Eduardo Cunha representa, além de um desafio, um obstáculo ao governo de Brasília. Muito maior que a rejeição, pela Câmara, do decreto que criava os Conselhos Populares, iniciativa, segundo o senador Renan Calheiros, que igualmente deve ser arquivado pela Câmara Alta.

    Em ambas as escalas pela dificuldade natural da matéria, de conteúdo duvidoso de poder ser colocado em prática no atual quadro administrativo do país, cujas funções encontram-se amplamente previstas pela Constituição Federal. Além disso, como é fácil perceber, tais conselhos desaconselháveis, como escrevemos há pouco, trariam consigo um sentido pouco democrático porque funções preenchidas em função de escolhas executivas passariam a enfrentar a possibilidade de revisão ou desaconselhamento por parte de conselhos não se sabe através de que forma.
    A ameaça Eduardo Cunha, politicamente, é muito maior para o governo. Ele próprio deixou clara a dificuldade.

    31 de outubro de 2014
    Pedro do Coutto

    VACCARI, DO PT, SAI HUMILHADO DO CONSELHO DE ITAIPU

     


    Acredite se quiser: Vaccari continua a ser tesoureiro do PT
     
    Atingido pelas denúncias de corrupção no escândalo da Petrobras, o tesoureiro do PT, João Vaccari Netto, apresenta hoje sua carta de renúncia do Conselho de Administração da hidrelétrica de Itaipu, na reunião de hoje em Foz do Iguaçu, conforme antecipou o jornal O Estado de S. Paulo.
    O mandato de Vaccari só expiraria em dia 16 de maio de 2016, mas o petista decidiu deixar o cargo pressionado, para evitar maiores problemas para o governo. Mas a justificativa oficial apresentada para a sua saída é a intenção de se dedicar integralmente às atividades partidárias.

     Ele está como conselheiro de Itaipu há 11 anos e 10 meses, desde janeiro de 2003, quando foi nomeado pela primeira vez para o cargo. Depois, foi reconduzido para mandatos sucessivos de quatro anos em maio de 2004, maio de 2008 e maio de 2012.Além do petista Vaccari, integram o Conselho de Itaipu, pelo lado brasileiro, o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, o ex-governador do Rio Grande do Sul Alceu Collares (PDT), o professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Luiz Pinguelli Rosa, o ex-governador do Paraná Orlando Pessutti (PMDB), e o diretor de transmissão da Eletrobrás, José Antônio Muniz Lopes.

     Cada conselheiro da Itaipu ganha, por mês, R$ 20.804,13. O Conselho realiza seis reuniões ordinárias por ano, de acordo com calendário aprovado na última reunião do exercício anterior e, excepcionalmente, podem ser convocadas reuniões extraordinárias.

    ###

     NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
    Esta cena vai ser constrangedora. Será que Vaccari será aplaudido pelos colegas de Conselho? Ou será vaiado? De toda maneira, é um cara-de-pau. Deveria mandar o pedido de demissão pelo Sedex, mas ele não quer deixar de faturar os últimos R$ 20.804,13. (C.N.)
    31 de outubro de 2014
    Tânia Monteiro
    Estadão

    AS CONFISSÕES DE SARNEY

     



    José Sarney costuma surpreender pelo coração. Não o da verdade científica, que apesar da idade continua funcionando muito bem. Fala-se do coração de mãe que ele também guarda no peito e que de quando em quando costuma abrir para agradecer a quem merece e a quem não merece. Esta semana, escreveu artigo na Folha de S. Paulo alertando para a divisão do país, que trás “o germe da desintegração”.

    Elogiou  Dilma Rousseff por ter coragem de reformar ou recriar o sistema político vigente. Pretende que ela faça o que ele não fez, nem seus sucessores, “pois a democracia não se aprofundou depois da redemocratização”. Denunciou “o corporativismo anárquico que foi beneficiando ilhas de interesses e gerou a divisão aflorada nas eleições”.

    Diagnóstico correto, apesar de tudo ter começado com ele no poder. Além de a presidente ter tido quatro anos para encontrar soluções duradouras, preferindo acomodar-se às referidas ilhas de interesses, no caso, partidos empenhados em deglutir fatias do poder e em obstar reformas imprescindíveis. Se espera que ela agora adote mudanças institucionais, fica por conta de seu otimismo endêmico. Ou do coração agradecido pelo telefonema da presidente, por conta dos votos dados no Maranhão à sua reeleição.

    O que chama a atenção nesse canto de cisne do patriarca maranhense são as soluções por ele apresentadas, muitas indicando paliativos e retrocessos.

    VOTO NO PARTIDO

    Sarney começa sugerindo acabar com o que chama de voto uninominal, quer dizer, o eleitor não mais elegeria o seu preferido, mas, para fortalecê-los, votaria nos partidos. Em listas partidárias, mais propriamente. Esquece que os partidos são dominados por caciques cujo objetivo sobrepõe-se ao interesse nacional.

    Quer o voto distrital, que municipalizaria as eleições estaduais e nacionais, somando a essa castração do eleitor “a supressão de partidos que não praticam a democracia interna e são cartórios de registro de candidatos, servindo apenas para negociações materiais”. Ora, que exemplo melhor do que o seu próprio partido, o PMDB, ou seu parceiro de divergências, o PT?

    Ao posicionar-se contra a reeleição, propondo um mandato maior para presidentes, governadores e prefeitos, até que acertou, para escorregar em seguida numa sugestão que serviria ao país para livrar-se do Lula, ainda que contrariando o livre direito de qualquer cidadão concorrer aos postos que bem entender: pretende que ex-presidentes da República fiquem proibidos de voltar a exercer cargos públicos, mesmo eletivos.
    Por que não governadores e prefeitos?Valesse essa proposição e ele não teria retornado ao Senado para exercer três mandatos, mesmo agora confessando seu “erro e arrependimento tardio”.

    PARLAMENTARISMO?

    Mostrou-se favorável ao financiamento público das campanhas mas não explicitou de onde viriam os recursos orçamentários que ficariam nas mãos dos mesmos caciques manipuladores das listas partidárias.

    Pregou o controle das estatais, mais necessário na reforma administrativa do que na reforma política. Verberou o poder de o Executivo legislar e enfatizou a  extinção das Medidas Provisórias, por ele mesmo criadas e abusadas. Por fim, o ex-presidente que salvou o presidencialismo das tendências parlamentaristas declara-se favorável ao sistema parlamentar de governo.

    Ao contrário do que diz, a história do Brasil ficará marcada por retrocesso ainda maior caso Dilma adote o parlamentarismo,   pois o país ficou mais justo e humano sem a sua reforma política.
    Em suma, passando a peneira no artigo do ex-presidente, sobra com todo o respeito a conclusão de que não se trata de uma colaboração para a reforma política, mas de uma confissão.

    31 de outubro de 2014
    Carlos Chagas

    O HUMOR DO DUKE

     

    Charge O Tempo 31/10
     
     
    31 DE OUTUBRO DE 2014

    FRAUDE NA URNA FOI DENUNCIADA AO TSE, MAS TOFFOLI NADA FEZ



    O procurador Janot, Maria Aparecida Cortiz e Toffoli na cerimônia de “lacre do software” da urna


     


    Há menos de três meses, um jovem hacker recém-formado pela Universidade de Brasília acessou o sistema das urnas eletrônicas no TSE e descobriu, entre 90 mil arquivos, um software que possibilita a instalação de programas fraudados: o “Inserator CPT”.
    A ação foi planejada pela CMind (Comitê Multidisciplinar Independente), formado por especialistas em tecnologia.

    A advogada Maria Aparecida Cortiz, que participa do grupo, articulou a estratégia dentro do Tribunal Superior Eleitoral, representando o PDT, depois que o presidente da Corte Dias Toffolli anunciou que não abriria edital para testes nas urnas das eleições 2014. “Não vai fazer teste? Então vamos por um hacker lá dentro para descobrir o que tem de errado”, disse em entrevista ao GGN.

    Cortiz descobriu outra brecha no sistema: além do Inserator, o programa comandado pela empresa Módulo Security S/A – conforme relato do GGN a única proprietária do serviço por 13 anos com contratos irregulares – é transmitido de Brasília para os estados por meio da insegura rede da Internet.

    As denúncias de irregularidades foram enviadas ao TSE em uma petição.
    Entretanto, a petição não virou processo e foi arquivada por um juiz da Secretaria de Informática. Além da omissão do próprio ministro Dias Toffoli, a advogada ainda denuncia o desaparecimento de quatro páginas do documento. “É o crime perfeito. O réu julga suas próprias ações”, conclui.
    ###

     LEIA A ENTREVISTA COMPLETA

    Como seria fazer uma auditoria preventiva para evitar as fraudes eleitorais?
    O problema do TSE é a concentração do poder. Para fazer uma auditoria, temos os limitadores que eles próprios nos impõem. Uma auditoria no software é inócua, porque é muito cara, muito demorada e existem sempre as cotas do fundo. E a gente não conseguiria ter certeza que tudo o que a gente pediu seria implementado e que estaria sendo usado no dia da votação.

    E o processo de auditoria feito em janeiro de 2013, investigando as licitações da Módulo Security S.A.?
    Todas as licitações foram feitas para manter a Módulo. Isso é fato, notório, público, por aquelas consultas que eu fiz nos Diários Oficiais, que são documentos públicos, que todos os procedimentos foram feitos para manter a empresa Módulo lá dentro, no TSE. O que é a empresa Módulo? É responsável pela segurança do sistema. É responsável pelos SIS, um sistema de instalação de segurança, é o primeiro sistema que confirma as assinaturas para validar os programas que são colocados na urna.

    O TSE, com a concentração de poderes, não deixa a gente fazer nada e a gente não tinha mais solução para tentar mudar esse sistema. Aí eu propus para o grupo, que é o CMind [Comitê Multidisciplinar Independente], em que o Pedro Rezende e o Diego Aranha também trabalham, e que a gente milita. Propus a eles que a gente colocasse um hacker dentro do TSE. Eu falei: consigam a pessoa, que eu vou ficar com ele lá dentro, dar as dicas, porque, embora a minha formação não seja técnica, estou lá há muitos anos, eu sei como funciona.

    O Diego e o Pedro escolheram um menino chamado Gabriel Gaspar, que foi aluno deles na UNB. Em agosto, conseguiu ir. Por orientação, ele foi trilhando o mesmo caminho do Diego no código fonte. Diego Aranha é aquele técnico da UNB, professor que descobriu o desembaralhamento dos votos, que dava para identificar o eleitor. Então, o Diego orientou, disse o caminho, o que era importante.
    A gente descobriu, no meio de 90 mil arquivos, um artefato (a gente chamou assim) no sistema de segurança, que é desenvolvido pela Módulo. Achamos que aquilo era importante, e fizemos todo um estudo. Para que ele serve? O ministro [Toffoli] assina um programa, manda para os outros ministros, Ministério Público e OAB assinarem, envia esse programa para os estados, e só poderia funcionar nas urnas esses que vieram de Brasília, concorda? Só que usando o “Inserator” podem ser instalados programas na urna, assinados por esse artefato. Ele está apto a validar programas não oficiais. Foi uma descoberta muito importante. Isso foi agora, dia 4 de setembro.

    Em 2013, eu não sabia como que eles faziam, quando eu fiz o estudo da licitação da Módulo, sabia que a empresa estava usando alguma coisa, mas não o que era. Neste ano, nas eleições 2014, eu descobri como o programa foi utilizado, lá em Londrina, em 2012: com o Inserator. A gente descobriu o nome dele e onde ele estava: dentro do sistema de segurança, é um subsistema.

    E o resultado disso?
    A partir daí, fiz uma petição com o ministro Dias Toffoli, explicando que, além disso, que é gravíssimo, tem outras vulnerabilidades. Descobrimos outra coisa muito, muito ruim: a Justiça Eleitoral não está usando mais aquela rede super-segura, que sempre disseram que nada tem conexão com a internet, não é?

    Só que eu pedi para fazer um teste lá [no sistema de urnas do TSE] e eles toparam, mas não sabiam a minha intenção com esse teste, não sabiam que eu estava com um hacker. Eu pedi para fazer o teste questionando se um computador que gera mídia – a mídia é aquele pendrive que vai carregar a urna – pode estar conectado à internet. Pedi: quero que façam o teste, um computador conectado e um não conectado. Aí eles falaram: nós vamos fazer, mas não tem sinal nenhum, porque nós usamos a internet.

    Então, os programas que estão vindo para os estados, que são assinados, criptografados, vêm via internet. Não tem mais a rede hiper super-segura. Eles próprios pagaram uma fortuna para abrir a rede, e abandonaram, porque ela não é segura de jeito nenhum.

    Olha a situação: o Inserator existe, está dentro do SIS, o SIS é instalado no computador da Justiça Eleitoral, o computador da Justiça Eleitoral está conectado à internet. A pessoa que conhece o Inserator puxa um programa da Internet, as pessoas não sabem de onde veio aquele programa, assina no teclado e coloca na urna. Que dificuldades tem isso?

    O partido político, o fiscal, o juiz que estiver lá não percebe. Não dá para perceber a diferença de colocar um programa original de um fraudado. Porque a justiça eleitoral confessou que precisa da Internet para gerar mídia.

    Qual foi a consequência da petição?
    Tudo que entra na Justiça vira processo. A minha petição foi para o juiz auxiliar secretário da presidência, julgada com um parecer da secretaria de informática, e mandada para o arquivo. Ela não tinha capa, não tinha número, só tinha número de protocolo, não virou processo.

    Eles tinham que, de qualquer maneira, desaparecer com isso, eles não podiam colocar como visível para outras pessoas. Tanto é que, você como jornalista, não encontra porque não fizeram número, não fizeram processo. É só um número de protocolo qualquer.

    Qual seria o trâmite, de acordo com a resolução: apresentada a impugnação, é escolhido um relator, o relator leva para a mesa, para julgar. E esse julgamento iria passar na televisão, ia ser público. Eles não podiam deixar isso acontecer, de jeito nenhum.

    Então, foi grampeada a petição, com o parecer da secretaria de informática.
    O juiz indeferiu, mandou arquivar. Nós fomos atrás desse processo. O parecer tem nove páginas, mas só tem cinco lá, o resto está faltando. Ninguém sabe onde está esse parecer. A gente está aguardando, para ver se eles acham o resto.

    Não consegui encontrar o contrato da Módulo, ela venceu a licitação para as eleições de 2014?
    Venceu. Eles fizeram uma coisa totalmente direcionada. A Módulo participa do projeto base, então só ela ganha [a licitação].

    Por que os outros concorrentes não teriam critérios técnicos?
    São eles que criam os critérios técnicos. Para ganhar. Então, não tem chance, não tem como ganhar. A Módulo tem contrato com todos os órgãos do governo. Não é só um, são todos.

    Como mandou para o TSE, você poderia mandar esses documentos ao MPF, à OAB, para articular melhor a sua petição?

    Eu mandei para a OAB, porque ela poderia mexer com isso. Mas o presidente do Conselho Federal da OAB [Marcus Vinicius Furtado Coêlho] falou uma coisa que eu quase morri do coração. Falou que as urnas brasileiras são exportadas para o mundo inteiro. Primeiro, que não é “TSE Limitada” e muito menos “S.A.”. E outra, nenhum país do mundo aceita essas urnas. Então, eu fiz a petição, com a minha obrigação de ofício como advogada, entreguei para ele com as irregularidades. Mas ele não tomou conhecimento, não.

    As auditorias podem ser feitas por qualquer órgão?

    A lei 9.504 só permite que analisem os programas o Ministério Público, a OAB e Partidos Políticos. Então, embora eu faça parte do CMid, eu tenho que fazer parte de um partido político. Tanto que já sou filiada há muitos anos, mas não sou ligada ao PDT, não tenho nenhuma vinculação, a não ser esse trabalho de ir lá e fazer a análise de códigos.


    A Justiça Eleitoral, de quando em quando, publica o edital de que vão existir testes. O Diego participou de um teste nas urnas de 2012, desembaralhou os votos e descobriu quem votava em quem.
    Também estávamos juntos, porque ele não poderia falar [por não ter a autorização do TSE]. Então eu fiquei do lado dele, escutei [as conclusões] e passei para frente. Teve que ter toda uma estratégia.
    Este ano, o ministro Toffoli disse que não ia fazer teste. Não vai fazer teste? Então vamos por um hacker lá dentro para descobrir o que tem de errado.

    Legalmente falando, é possível?

    A lei fala que o TSE tem que apresentar os códigos fonte para mim. Eu fui com base na lei. Só que eles não sabiam da capacidade do menino, se eles soubessem teriam bloqueado. Porque é muito, muito restrito. O PDT tem outros técnicos, mas um ficou fora, e eu sou advogada, normalmente eu não sento nas máquinas. Só que este ano a gente mudou de estratégia. Eu fui sozinha e levei o menino, que eles nem sabiam quem era. Eles achavam que ele era do PDT, e não da UNB.

    Essa sua petição não foi a público?

    Foi, está dando uma repercussão boa, porque eu falei dela na Universidade Federal da Bahia. O Pedro fez um site, eu fiz o debate na Bahia. Não é a mesma divulgação que Justiça eleitoral dizendo que nada é conectado à internet.
    Se não fosse verdade, eu já teria respondido a milhares de processos pela Polícia Federal. Não tem como dizer que não está lá dentro, o programa está lá dentro.

    31 de outubro de 2014
    Patricia Faermann
    Jornal GGN

    DILMA EMITE SINAIS AMBÍGUOS E SUA CREDIBILIDADE DIMINUI

     


     
    Num almoço na última sexta-feira (24) com o presidente nacional do PT, Rui Falcão, falei sobre a lista de problemas que Dilma Rousseff teria caso fosse reeleita.

    Cassações de congressistas por causa da Operação Lava Jato. Empreiteiros encrencados na Justiça. Petrobras desmoralizada. Economia parada e grande insatisfação social num Brasil dividido pelas urnas. Enfim, 2015 será um inferno.
    Rui Falcão ouviu e ponderou: “Nós vamos ter problemas de verdade se perdermos a eleição no domingo”.

    É verdade. Ganhar é sempre melhor do que perder. Afinal, o PT ficaria muito mais fragilizado fora do governo durante a investigação de atos de corrupção na Petrobras. Ainda assim, a vitória de Dilma não ameniza o cenário pouco amigável de 2015.

    Um aspecto que me parece mais relevante é a mobilização anti-PT que emergiu no final do processo eleitoral. Como repórter, acompanhei todas as sete disputas presidenciais diretas desde 1989. Nunca havia visto manifestações tão efusivas nas ruas contra as políticas petistas.

    DIVISÃO AO MEIO

    Tudo bem que no dia seguinte ao da eleição só uns 30 gatos pingados apareceram para protestar contra Dilma Rousseff num ato em São Paulo. Mas seria rejeitar um fato da realidade ignorar a divisão quase ao meio do eleitorado. Dilma teve 54,5 milhões de votos contra 51 milhões do tucano Aécio Neves. Como mostrou a Folha, não se trata de um racha geográfico, com um país vermelho no norte e outro azul no sul. A polarização está por todas as regiões.

    A dúvida é se os que foram às ruas nas últimas semanas para protestar contra o PT terão fôlego para fazer o mesmo em 2015. A chave de tudo será o estado da economia e a sensação geral de bem estar dos brasileiros.

    Ao não oferecer respostas imediatas e claras sobre como fará o Brasil voltar a crescer, Dilma emite sinais ambíguos sobre o ano que vem. Credibilidade demora a ser construída e o país está quase parando.

    31 de outubro de 2014
    Fernando Rodrigues
    Folha

    "CUMPANHÊRO" PIZZOLATO É UM HOMEM LIVRE...

     PEDIDO PARA EXTADITAR PIZZOLATO FOI PESSIMAMENTE FORMULADO



    O novo julgamento do pedido de extradição do ex-diretor de marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato deve levar de oito meses a um ano, segundo estima o criminalista italiano Alessandro Sivelli, que defende o petista.

    Após deixar o presídio de Módena (norte da Itália) na noite desta terça-feira (28), Pizzolato se tornou homem livre na Itália. Ao deixar a prisão, Pizzolato disse que fugiu do Brasil para salvar sua vida e que não sabia que a presidente Dilma Rousseff, sua companheira de partido, havia sido reeleita.

    Sivelli diz que a negativa da extradição pelos juízes da Corte de Apelação de Bolonha foram facilitadas pelas brechas nas garantias apresentadas pelo governo brasileiro sobre os presídios que poderiam receber Pizzolato em Brasília e Santa Catarina. “O que documentaram? Nada. As fotos dos presídios que não mostravam nenhum presídio”, disse Sivelli.

    ARGUMENTAÇÃO ERRADA

    No caso da Papuda, uma das opções oferecidas como destino de Pizzolato, segundo ele, os juízes não ficaram bem impressionados quando os representantes do Estado brasileiro argumentaram que homicídios ocorridos na penitenciária se deram em pavilhões distintos ao que abriga os condenados no julgamento do mensalão.

    “Indicaram outros dois presídios em Santa Catarina, Estado de origem de Pizzolato, mas ele era morador do Rio de Janeiro. Chegaram a apresentar os presídios federais, de segurança máxima para os delinquentes mais perigosos, mas esse não é o lugar para Pizzolato. Tudo isso mostrou fraqueza da argumentação”, afirmou, em seu escritório em Modena.

    31 de outubro de 2014
    Graciliano Rocha
    Folha

    PARA FAVORECER AS ONGs, DILMA MANDA ADIAR MARCO REGULATÓRIO

     

     
    O governo decidiu adiar a entrada em vigor do Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil, sancionado em julho pela presidenta Dilma Rousseff. Uma medida provisória publicada hoje (30) no Diário Oficial altera a data da lei que entraria em vigor nesta quinta-feira. Com o novo prazo, as novas regras para parcerias e repasses de dinheiro da União a organizações não governamentais (ONGs) só passam a valer no fim de julho de 2015, um ano após a sanção.

    De acordo com a Secretaria-Geral da Presidência, a prorrogação atende a reivindicações de entidades da sociedade civil, municípios e outros órgãos que se manifestaram pela ampliação do prazo para se adaptarem às regras. Os 90 dias previstos originalmente pela lei não teriam sido suficientes para a transição, segundo a secretaria-geral.

    O governo argumenta ainda que a manutenção do prazo original para a entrada em vigor do Marco Regulatório das ONGs provocaria impactos nos orçamentos municipais, que, em maioria, já foram encaminhados aos legislativos locais sem as adaptações prevista pela nova legislação.

    De acordo com a assessora especial da Secretaria-Geral da Presidência Laís Lopes, o adiamento do início da vigência do novo marco regulatório não compromete o objetivo da lei, criada na tentativa de reduzir casos de desvios de recursos públicos na relação entre o governo e organizações da sociedade civil. “Os desvios são menores que o que se propaga. Os erros de poucos contaminam os erros de muitos. E muitas regras já são vigentes no âmbito federal”.

    Segundo ela, os pedidos de adiamento da entrada em vigor da nova lei vieram principalmente de entidades municipalistas, que manifestaram preocupação com o pouco tempo de adaptação às novas regras. “O prazo era só de 90 dias, e ainda coincidiu com o período eleitoral. Muitos não podiam firmar parcerias por conta de restrições eleitorais. Com a prorrogação, terão mais tempo para compatibilização com legislações locais, organização das estruturas administrativas e criação das plataformas eletrônicas.”

    O novo Marco Regulatório das ONGs prevê, entre outras regras, a substituição dos convênios por dois novos instrumentos: os termos de colaboração e fomento. A lei também estabelece que o governo terá que realizar chamamento público, uma espécie de edital de concorrência, para selecionar organizações parceiras.

    31 de outubro de 2014
    Luana Lourenço
    Agência Brasil 

    DA NOVELA "O PETROLÃO": ELES SABIAM DE TUDO!!! SEMPRE SOUBERAM!!!

    NO DIA 21, O DOLEIRO YOUSSEF DISSE À PF QUE DILMA E LULA SABIAM DE TUDO. MENTIRAS NÃO PODEM MUDAR ESTE FATO!


     
    A fraude eleitoral continua mesmo depois de 4 dias da eleição. Mas esta é uma fraude diferente, chama-se manipulação da opinião pública por meio grande mídia brasileira como Folha de S. Paulo, Estadão, O Globo e similares.
    Aliás postei aqui no blog uma reportagem analítica de minha autoria que mostra de forma cabal como a grande imprensa, com exceçao da revista Veja, manipula os fatos diariamente em favor do PT, em favor da vergonhosa roubalheira na Petrobras, o famigerado petrolão.
     
    Basta notar que os jornalões se esmeram em escamotear o designativo “petrolão”. Os vagabundos mentirosos e picaretas falam em “desvios”, eufemismo que encontraram para esconder a roubalheira.
     
    Estão empenhados em veicular mentiras para tentar desqualificar a reportagem-bomba da revista Veja que, se o PT não recolheu todos os exemplares, ainda pode estar em algumas bancas desse imenso Brasil.

    Mas mesmo que tenha esgotado, os leitores podem ler a reportagem completa no próprio site da revista Veja, mesmo que não seja assinante da publicação.
     
    Pois bem, o que tenho denunciado há anos aqui neste blog começa finalmente a ser compreendido por milhares de cidadãos para quem finalmente a ficha caiu. A grande mídia e seus jornalistas à soldo do PT ou por idiotice congênita mesmo, são os principais responsáveis por esse desastre que se abate sobre a Nação denominado PT.
     
    A maioria dos jornalistas brasileiros apoia incondicionalmente o PT e compõe os pelotões avançados do Foro de São Paulo dentro das redações.
     
    Lá eles filtram tudo, dão novas versões para os fatos, induzem os leitores à uma visão enviesada dos fatos, ditocem informações ou escamoteiam simplesmente, se essas informações contrariem o projeto comunista do PT, que no máximo designam como “bolivariano”, eufemismo malandro desse neo-comunismo que avança contra a democracia e as liberdades civis.
     
    O troço é tão grande e poderoso que conseguiu doutrinar a esmagadora maioria dos jornalistas, principalmente as novas gerações. Afinal, o período de domínio do Estado brasileiro pelo PT já ultrapassa duas gerações.
     
    O site da revista Veja, nesta tarde abriu destaque para um texto de Reinaldo Azevedo, denunciando a armação golpista da grande mídia brasileira, particularmente a notória Folha de S. Paulo, viveiro de dinossauros comunistas e depravados de toda ordem, que botou em marcha um esquema para desqualificar a delação do doleiro Alberto Youssef, que com todas as letras mandou ver: LULA e DILMA sabiam de tudo que rolava nas entranhas da Petrobras conforme da reportagem-bomba de Veja.
     
    Youssef era o operador do Petrolão. Em seu poder há até mesmo atas que indicam aqueles que eram os beneficiários da roubalheira, segundo parte de sua delação premiada que já veio a público.
     
    31 de outubro de 2014
    in aluizio amorim

    QUANDO O HUMOR DESENHA A REALIDADE

     
    31 de outubro de 2014

    CONTROLE DA MÍDIA CONTINUA A SER PRIORIDADE NA PAUTA PETISTA

     



    De olho no projeto de regulação da mídia, o PT quer influir na formação do novo governo e atuará para deslocar Ricardo Berzoini para o Ministério das Comunicações. Ele é hoje titular das Relações Institucionais, pasta responsável pela ponte política do Planalto com o Congresso.
    O ministro é visto como um bom negociador, mas o PT o prefere numa pasta em que possa tentar fazer avançar o projeto de regulação dos meios de comunicação. A ideia é uma bandeira do partido, mas vem sendo postergada por Dilma Rousseff.

    31 de outubro de 2014
    Deu em O Tempo