"Quero imaginar sob que novos traços o despotismo poderia produzir-se no mundo... Depois de ter colhido em suas mãos poderosas cada indivíduo e de moldá-los a seu gosto, o governo estende seus braços sobre toda a sociedade... Não quebra as vontades, mas as amolece, submete e dirige... Raramente força a agir, mas opõe-se sem cessar a que se aja; não destrói, impede que se nasça; não tiraniza, incomoda, oprime, extingue, abestalha e reduz enfim cada nação a não ser mais que um rebanho de animais tímidos, do qual o governo é o pastor. (...)
A imprensa é, por excelência, o instrumento democrático da liberdade." Alexis de Tocqueville
(1805-1859)

"A democracia é a pior forma de governo imaginável, à exceção de todas as outras que foram experimentadas." Winston Churchill.

sábado, 23 de janeiro de 2016

PARA FAVORECER EMPREITEIRAS, PT BLOQUEIA PROJETO MORALIZADOR



Charge do Pelicano (reprodução da Charge Online)



















A bancada do PT na Câmara bloqueou proposta que atingiria empreiteiras investigadas na Operação Lava Jato, ao impedir, por um ano, que órgãos públicos de União, Estados e municípios contratem empresas que tenham firmado acordos de leniência. Pela lei atual, não há “quarentena” e as empresas estão livres para fazer contratos com o poder público logo após fechar os acordos em que assumem ter cometidos crimes ou irregularidades.
A medida provisória 703, assinada pela presidente Dilma Rousseff em 18 de dezembro passado, mudou aspectos do processo de acordo de leniência e também não incluiu uma “quarentena”.
O projeto de lei 460, de autoria do deputado Betinho Gomes (PSDB-PE), tramita na Câmara desde 25 de fevereiro passado com o objetivo de acrescentar um artigo à lei de 2013 chamada pelo governo federal de “lei anticorrupção”. Em setembro, o projeto recebeu relatório favorável na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público da Câmara, mas desde então não foi levado à votação.
RETIRADO DA PAUTA
Em 28 de outubro, foi retirado da pauta a partir de requerimento de Leonardo Monteiro (PT-MG). Em 4 de novembro, voltou a sair da pauta de votações da comissão.
“Com articulação do governo, o PT não permite a tramitação do projeto, fica adiando a votação. O governo faz isso para atender interesses das empreiteiras envolvidas na Lava Jato”, disse o deputado Betinho Gomes.
A relatora do projeto na comissão, Geovania de Sá (PSDB-SC), concluiu que o prazo previsto na proposta de “quarentena” atende “a necessidade de se desestimular a prática de condutas ilícitas” e que é “descabido” conceder a empresas que cometem crimes “tratamento idêntico ao devido às corporações que nunca cometeram ilícitos”.
NÃO SABIA DE NADA…
Localizado pela Folha na sexta-feira (15), o líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), disse que não conhecia a proposta, mas prometeu analisá-la e dar uma resposta: “Me ligue daqui uma hora e meia. Vou ver como está a tramitação”. Procurado três vezes depois do prazo, ele não atendeu aos chamados em seu celular.
Também procurado desde a última quarta-feira (13), Leonardo Monteiro não foi localizado. Sua assessoria informou que ele estava em viagem pelo interior e que tentaria localizá-lo, mas não retornou até o fechamento desta edição.
LEI ANTICORRUPÇÃO
Sancionada por Dilma em agosto de 2013, a “lei anticorrupção” endureceu a punição de empresas acusadas de atos contra o governo.
A MP assinada por Dilma no final do ano alterou aspectos da lei e gerou críticas de integrantes do Ministério Público e de órgãos de controle, para os quais ela poderá beneficiar empresas flagradas em irregularidades. Pela nova regra, mais de uma empresa poderá assinar acordo de leniência e não só a primeira a apresentar sua intenção.
Advogados de empreiteiras, porém, disseram que a MP permite que as empresas continuem em operação. Dilma afirmou que o objetivo maior da MP é “diminuir incertezas e preservar empregos”.
###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – É comovente o esforço da presidente Dilma Rousseff e do PT visando a favorecer as empreiteiras que praticamente destruíram a Petrobras com o esquema de corrupção. A presidente assume o papel de “Soninha Toda Pura” e diz que o objetivo é “prender os empresários e preservar as empresas”. Mas a leitura certa seria “libertar os empresários e liberar as empresas”. É um governo sem dignidade e sem honra. Enquanto não destruir o país, Soninha Toda Pura parece que não vai sossegar. (C.N.)

23 de janeiro de 2016
Rubens Valente
Folha

NA DELAÇÃO, O LOBISTA MILTON PASCOWITCH ENTREGA DIRCEU E VACCARI



“O juiz perguntou ao delator se ele conheceu João Vaccari Neto. “Conheci e cheguei a passar valores para ele. Eu conheci o João Vaccari por apresentação do Renato Duque em 2009. Acho que ele (Vaccari) já havia sido indicado para a Secretaria de Finanças do Partido dos Trabalhadores. Nessa época coincidiu com o contrato de 3 bilhões de dólares relativo aos cascos repliclantes. O grupo político não era mais representado por José Dirceu, apesar de indiretamente poder ter participação.”
Segundo o delator, o ‘grupo político passou a ser representado pelo João Vaccari’.
Pascowitch revelou repasses da ordem de R$ 14 milhões para ‘o grupo político’, dinheiro oriundo de comissões a serem pagas pelo contrato dos cascos. Parte foi para o PT, declarou. “João Vaccari necessitava de pagamentos em dinheiro e me ressarcia em contratos junto com a Engevix quando fazia doações para o partido, o diretório nacional do PT.”
Desses recursos, afirmou o delator, R$ 10 milhões foram repassados em dinheiro entre 2009 e até meados de 2011. “Eu recebia recursos 700, 800 mil reais por mês provenientes de contratos de serviços terceirizados. Muitas vezes eu saía do escritório da empresa (terceirizada da Petrobrás) e ia entregar ao senhor João Vaccari, entregava pessoalmente.”
DINHEIRO EM ESPÉCIE?
O juiz Sérgio Moro questionou o delator se tanto dinheiro não significava um ‘volume expressivo em espécie’ e como ele fazia o transprte. 
“Era expressivo, mas cabia na malinha, cabia R$ 500 mil, eu entregava dentro do Diretório Nacional do PT, na sala dele (Vaccari).”
Sobre José Dirceu, preso desde 3 de agosto de 2015, o delator disse que bancou a reforma da casa do ex-ministro no município de Vinhedo, no interior de São Paulo, até 2014. 
O juiz perguntou a ele se não o preocupava o fato de que, em 2012, ter sido iniciado o julgamento de Dirceu no processo do Mensalão no Supremo Tribunal Federal e, mesmo assim, prosseguiu fazendo depósitos para bancar a reforma do imóvel.
O juiz insistiu, apontando depósitos de até R$ 100 mil por parte de Pascowitch já em 2013, quando Dirceu foi condenado, e em 2014, quando o ex-ministro foi preso. “Não havia preocupação, excelência”, respondeu o lobista que também chegou a ser preso na Lava Jato e, para se livrar da cadeia, fechou acordo de delação.
CONTRATO DE FACHADA
Pascowitch confirmou existência de contrato de fachada entre sua empresa, a Jamp Engenheiros, e a de Dirceu, a JD Assessoria e Consultoria, firmado em abril de 2011. O objetivo, segundo o delator, era ‘dar cobertura das necessidades de José Dirceu’.
“Valores absolutamente desproporcionais com a necessidade dele. José Dirceu assinava contratos de R$ 20 mil por mês e as despesas dele eram de um milhão. A pressão dele e do Luiz Eduardo (irmão do ex-ministro), em alguns meses, era muito forte.” 
(texto enviado pelo comentarista Virgilio Tamberlini)

23 de janeiro de 2016
Deu no Estadão

NOVA ESPIRITUALIDADE TERRESTRE

CROP CIRCLES: VENDO ALÉM DA FORMA

APÓS ONDA DE PANELAÇO...PT TIRA DILMA E LULA DE PROPAGANDA


Onda de 'panelaços' acompanhou as aparições de Dilma e Lula na TV em agosto do ano passado (Fonte: Reprodução/Agência Brasil

A cúpula do PT decidiu que o ex-presidente Lula, a estrela das propagandas do partido, e a presidente Dilma não vão participar dos comerciais petistas que serão veiculados na TV nas duas primeiras semanas de fevereiro.

Leia também: Programa do PT na TV gera ‘panelaço’ em diversos estados

Leia também: Brasileiros fazem ‘panelaço’ durante pronunciamento de Dilma

O objetivo do partido, segundo a cúpula, é priorizar a defesa da imagem da sigla, que foi prejudicada pelos escândalos do mensalão e do petrolão.

Uma onda de “panelaços” acompanhou as aparições de Lula e Dilma na TV em agosto do ano passado em diversas capitais do país e no Distrito Federal.

Os petistas afirmam, no entanto, que a decisão de tirar Dilma e Lula das inserções na TV não foi tomada por receio de novos “panelaços”.

Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, o presidente estadual do PT, Emídio de Souza, argumenta que os panelaços podem ocorrer mesmo sem as duas principais estrelas do partido.



23 de janeiro de 2016
in opinião e notícia


NOTA AO PÉ DO TEXTO

Realmente o PT é um partido de gente descarada e manipuladora. Um partido comprometido com pixulecos e outras sabotagens e malandragens, tenta esquivar-se do soco do eleitorado, retirando as carantonhas desgastadas dos próceres principais que levaram o país ao beco escuro do descrédito internacional, da recessão e da inflação. Um partido que roubou a esperança de uma nação, praticando a ganância ordinária da corrupção.
Mais uma vez o partido apresenta-se com seus velhos e desgastados esquemas de manipulação da opinião pública, tentando escapar pela porta dos fundos, apostando na amnésia do eleitor. Ainda acredita ser possível continuar com as pregações de suas mentiras deslavadas. 
Não tem sensibilidade para notar que o país cansou de suas artimanhas, de suas fraudes, do mais triste escândalo que esse país já assistiu, promovido pelos seus principais quadros políticos, hoje curtindo condenações, com outros iguais a caminho de sentenças semelhantes.
O que os brasileiros esperam é que se chegue a raiz do mal, ao 'capo de tutti capo', quando então se livrará de perigoso aventureiro, que atrás da máscara carismática 'de pai dos pobres e desvalidos', da máscara de honestidade e seriedade, usou o cargo que os mandatos lhe outorgaram, para seu enriquecimento e o dos seus 'cumpanhero' e apaniguados. 
O que os brasileiros esperam é que se desfaça a 'blindagem' ardilosamente construída por instituições e segmentos políticos, apesar de todos os indícios de lobbys e outras ilicitudes, praticadas pelo 'capo' e seus filhos, bem como de outros agregados.
O que os brasileiros esperam é conhecer o tal cartão corporativo do caso 'rosegate', mais um escabroso escândalo cinicamente praticado contra o país.
E já não cabe mais ficar alinhando as inúmeraveis improbidades e atos de lesa-pátria.
O Brasil confia nessa nova era de Justiça, de homens probos e justos, que está caçando poderosos, à revelia das maquinações que continuam ameaçando interromper o inédito momento de punição dos corruptos engravatados, ou como se diz, dos poderosos 'colarinhos brancos' - uma expressão um tanto quanto imprópria, pois devia ser 'colarinhos encardidos'...
Mas vamos em frente que atrás vem gente... E quantas!!!
m.americo