"Quero imaginar sob que novos traços o despotismo poderia produzir-se no mundo... Depois de ter colhido em suas mãos poderosas cada indivíduo e de moldá-los a seu gosto, o governo estende seus braços sobre toda a sociedade... Não quebra as vontades, mas as amolece, submete e dirige... Raramente força a agir, mas opõe-se sem cessar a que se aja; não destrói, impede que se nasça; não tiraniza, incomoda, oprime, extingue, abestalha e reduz enfim cada nação a não ser mais que um rebanho de animais tímidos, do qual o governo é o pastor. (...)
A imprensa é, por excelência, o instrumento democrático da liberdade." Alexis de Tocqueville
(1805-1859)

"A democracia é a pior forma de governo imaginável, à exceção de todas as outras que foram experimentadas." Winston Churchill.

sábado, 17 de maio de 2014

NÃO DEIXEM DE LER

 COMO FUNCIONA A FÁBRICA DE MENTIRAS DO PT

COM A APROXIMAÇÃO DAS ELEIÇÕES A MÁQUINA CANALHA DOS PETISTAS VAI FUNCIONAR À TODA.
POR ISSO MUITO GENTE QUE ESTÁ CONTRA A QUADRILHA DO PT NÃO CONSEGUE ACHAR ALTERNATIVA ENTRE OS POLÍTICOS DE OPOSIÇÃO.

Vejam como funcionava, em Brasília, a fábrica de perfis falsos que espalhavam calúnias contra políticos na internet.

FANTASMAS PROFISSIONAIS

Agência de publicidade que trabalha para o governo do DF contratou empresa que frauda perfis na Internet para elogiar o governador e difamar adversários

Por alguns segundos, o cabeleireiro Mario Gular conseguiu a atenção do deputado Roberto Freire, o presidente nacional do PPS. Tempo mais que suficiente para provocar um estrago. “Freire é cada vez mais ridículo, se vendeu para a extrema direita. Usa foto de há vinte anos”, provocou o rapaz em sua conta no Twitter.

O parlamentar decidiu responder: “Não lhe sigo e nem o conheço. Estranho portanto que venha me agredir chamando-me de ridículo”. A discussão foi replicada pelos seguidores do cabeleireiro, pelos seguidores do deputado, pelos seguidores dos seguidores de cada um deles e se espalhou pela rede.

Divulgada assim, a informação pode atingir milhares de pessoas e até levar incautos a acreditar que Freire, um político correto, possa ter cometido alguma transgressão. Porém, o único fato verdadeiro da mensagem é que o deputado não conhece o cabeleireiro – e nem poderia, porque ele não existe.

Gular é um dos inúmeros perfis falsos criados no mundo virtual para esconder a verdadeira identidade dos difamadores profissionais remunerados para denegrir a imagem de pessoas honestas e atacar adversários políticos.

O caso envolvendo Roberto Freire não chegou a causar maiores danos à biografia do parlamentar. O mesmo não se pode dizer de outro episódio envolvendo o também deputado Fernando Francischini, do PSDB do Paraná. Em 2012, circulou pela internet um dossiê chocante, que teria sido produzido por uma organização internacional de defesa de direitos humanos.


LEIAM MAIS
http://veja.abril.com.br/blog/ricardo-setti/politica-cia/vejam-como-funcionava-em-brasilia-a-fabrica-de-perfis-falsos-que-espalhavam-calunias-contra-politicos-na-internet/
 
 
17 de maio de 2014
in graça no país das maravilhas

OUÇAM A QUE PONTO CHEGOU O PATRULHAMENTO PETRALHA!!!


Do Reinaldo Azevedo
Cleber Benvegnú escreve artigos no jornal “Zero Hora”, de Porto Alegre. Mantém um  blog no site do jornal. Pensa o que pensa — e, obviamente, lê o que ele escreve num e noutro lugares quem quer.
Pois não é que um sujeito, sabe-se lá quem, descobriu seu telefone pessoal? Depois de mais de 10 ligações, Cleber decidiu gravar a conversa. É preciso ouvir para crer.
 
17 de maio de 2014

LULA, O DONO DO BRASIL


CLIQUE PARA AUMENTAR
17 de maio de 2014

DIZ A LENDA QUE O JUMENTO ENTENDE BEM DE POLÍTICAS PÚBLICAS.

O JUMENTO tem a percepção das decisões e ações socialmente problemáticas e que busca a praticidade das mesmas, ou pelo menos trazê-las a níveis cruelmente manejáveis...
 
Entende-se o momento jurássico em que,  o povo tem que andar a pé, ficar jogado nos corredores dos hospitais, estudar em escolas depredadas, andar em ônibus incendiados,ser fuzilado por menores. ...Foi bem o que seu governo incentiva.....
 
 

 
17 de maio de 2014
movcc

A COPA MAIS IMUNDA DA HISTÓRIA

FICÇÃO FAZ FALTA?

Como imprensa que ousa fazer oposição, Veja cumpre sua missão. Faz melhor trabalho que os partidos ditos de oposição, que mal ousam criticar Dilma e alimentam um medo sagrado de perder votos se criticam Lula. Pena que a revista, como meio de divulgação cultural, seja um desastre.

Já não lembro quando Veja fez a crítica de um filme que mereça ser visto. A redatora do setor, Isabela Boscow, prima por comentar o pior que o cinema produz, best-sellers idiotas tipo Batman, Homem Aranha, Superman, X-Man e bobagens outras transpostas dos quadrinhos.

Literatura, idem. Haja best-sellers ianques para enfiar na goela do leitor. Em sua penúltima edição, a revista traz um discutível ensaio sobre as excelências da ficção. No fundo, um gancho para divulgar “o maior fenômeno da atual literatura para jovens”, a um tal de John Green, ao qual dedica cinco páginas, que está em primeiro lugar em sua lista de mais vendidos e já vendeu 1,2 milhão de exemplares no Brasil. Quer dizer, não pode ser leitura que preste. Não o li nem vou ler. Em primeiro lugar, não leio best-sellers instantâneos, fabricados ao gosto do público. Curiosamente, as cinco páginas da reportagem citam obras do autor, mas nada dizem sobre nenhuma delas. Ficamos no escuro.

Em segundo lugar, desde jovem tomei distância dessa próspera indústria chamada literatura infanto-juvenil. Ou melhor, não que tomasse distância. Em meus dias de jovem, essa colossal indústria praticamente não existia. O mercado era suprido por gibis que, confesso, li com prazer. De certa forma, aprendi a ler com eles. Mas jamais deixei de lado o livro. Se gostava de ler Tarzan em quadrinhos, mais me interessavam os livros de Edgar Rice Burroughs, que deixavam espaço à imaginação. Muito viajei pelos pântanos de Par-Ul-Don e muitas vezes vibrei com o homem-macaco gritando kriagh bandolo tarmangani: matar o homem branco.

Vamos ao ensaio. Segundo Veja, a ciência comprova que a arte da ficção não é supérflua: está, ao contrário, profundamente arraigada na natureza humana e é necessária a ela. Até aí, nada a discordar. A humanidade repousa em ficções. A começar pela mais bem sucedida de todos os tempos, a idéia de Deus. É o personagem de ficção mais universal e conhecido já criado pela literatura. É invocado tanto por sábios e como por analfabetos. Seu nome está na boca de reis, governantes, como na de príncipes da Igreja ou criadores de seitas. É uma ficção peculiar, que sobrepaira a literatura e, ao contrário desta, que apenas propõe caminhos, é normativa e gera dogmas, leis e mesmo ética.

Outra coisa são as ficções não-religiosas, que não pretendem dominar as mentes de nenhum leitor. “não é mistério saber por que informações verdadeiras importam para nossa sobrevivência. Mas é bem mais desafiador, para a ciência, entender por que nos importamos com os dramas de mentirinha de personagens inventados”, diz Jonathan Gottschall, autor de The Storytelling Animal. Gottschall complica. Não é preciso apelar à ciência para encontrar explicações. Nos importamos com os dramas de mentirinha porque eles são bem melhor tecidos que a vida. A vida está cheia de momentos de monotonia, que são eliminados na ficção. (Não falo de Kafka ou Joyce, bem entendido). Todo grande personagem é tão bem construído que fascina – ou causa repulsa – bem mais que o homenzinho real.

Além disso, ao enfrentar uma ficção, o leitor tem de aceitar a convenção proposta pelo autor, a de que o personagem é alguém existente. Por exemplo, os romances de Tomas Mann ou Dostoievski. Hans Kastorp ou Settembrini, o príncipe Mishkin ou Rodion Romanovitch Raskolnikov não são pessoas que você vai encontrar no boteco da esquina. Suas intervenções são verdadeiros ensaios, que nada têm de um diálogo descompromissado. Se você não aceita a premissa de que tais digressões sejam naturais, você não entra na obra.

Os personagens são hipóstases do autor, como diz Ernesto Sábato, e só um grande autor criará grandes personagens. Em um de seus ensaios sobre a condição do escritor, o escritor argentino apoia-se em Donne, quando este diz que ninguém dorme na carroça que o leva da prisão ao patíbulo e, no entanto, todos dormimos desde a matriz até a sepultura, ou pelo menos não estamos totalmente acordados. “Uma das grandes funções da literatura: despertar o homem que viaja rumo ao patíbulo”.

"A literatura, como toda arte, é uma confissão de que a vida não basta", escreveu Fernando Pessoa. A literatura pode nos fazer chorar ou rir, nos inspira solidariedade e sentimentos nobres, como também repulsa ou horror. A vida de homens como Alexandre, Schliemann, Fernão de Magalhães também. Mas quando lemos uma biografia destes vultos, estamos lendo uma espécie de ficção, na qual foram selecionados seus melhores momentos.

Sim, a arte da ficção não é supérflua, como diz a reportagem de Veja. Só faltou dizer algo: a grande ficção, a boa literatura. Porque a ficção que a revista tem divulgado não faz falta nenhuma à humanidade.


17 de maio de 2014
janer cristaldo

AÉCIO NEVES REFUTA BAIXARIA ONLINE, IGNORA DILMA BOLADA E DESAUTORIZA PERFIL @AECIODIGITAL

aecio neves Aecio Neves refuta a baixaria online, ignora Dilma Bolada e desautoriza perfil @aeciodigital


O senador e presidente do PSDB diz buscar nesta eleição uma campanha limpa, apesar de todos os ataques e calúnias que vem sofrendo dos governistas.

Em uma resposta ágil como costuma exigir a vida digital, o senador Aécio Neves negou ao Diário do Poder qualquer intenção de processar o autor da Dilma Bolada pelas baixarias propagadas pelo perfil fake na tarde desta segunda-feira. Em contrapartida, solicitou que o perfil @aeciodigital seja imediatamente retirado do ar pela conduta durante a discussão.
Não é esse o debate e a pré-campanha que eu quero fazer”, justificou. “Apesar de estarmos sofrendo todo tipo de calúnias, mentiras e ataques pessoais do mais baixo nível, faremos uma campanha limpa”, completou.
(grifos nossos)
Após a provocação de alguns militantes petistas, os dois perfis se envolveram em uma breve discussão que culminou com o humorista perdendo a compostura e alimentando boatos que o próprio perfil já vinha ajudando a propagar.
Screen Shot 2014 05 12 at 8.22.18 PM Aecio Neves refuta a baixaria online, ignora Dilma Bolada e desautoriza perfil @aeciodigital
Ainda segundo o Diário do Poder, para o vice-presidente do PSDB, o senador Cássio Cunha Lima (PB), é lamentável a conduta que a militância petista vem mantendo.
Ele acusou Jefferson Monteiro de ser pago pelo PT para promover esse tipo de ato, assumindo “a calúnia como arma do debate político”. “lamentável que o PT, em meio ao desespero, assuma a calúnia como arma do debate político.  
Sob o pretexto de fazer piada, um blogueiro que costuma ser pago pelo PT, legitimado pela presidente da República, que o levou para dentro do Palácio do Planalto, lança grave calúnia contra o presidente do PSDB, senador Aécio Neves.  
Isso não é piada, é covardia contra um pai de família e um político que tem vida pública há mais de 30 anos e, contra quem, não existe nenhuma acusação”, afirmou.
(grifos nossos)
Desde que chegou ao poder, o PT nunca teve tantos temas nebulosos a esconder dos eleitores. Em praticamente todas as áreas, quando o partido não erra, acerta por meios tão tortos que não se justificam pelos fins.
É do interesse da oposição colocar em pauta os mesmos assuntos que interessam a estes eleitores. Desviar a atenção para baixarias e boatos é um artifício que atualmente só interessa ao governo.
Quando a oposição aceita a provocação, a oposição se prejudica. Como bem lembrou o próprio Aécio Neves, esse tipo de jogo é uma armadilha petista.
A retirada do ar do perfil envolvido soa de fato como a atitude mais sensata para o momento.
 
17 de maio de 2014
in implicante

AS MENTIRAS DO PT

Ver imagem no Twitter
 CLIQUE PARA AUMENTAR
 

LULA: "ISSO NÃO É 'POBREMA' MEU...

Ver imagem no Twitter
 
17 de maio de 2014

PARA SERRA, AÉCIO ENCARNA A MUDANÇA

 
O ex-governador José Serra e o senador Aécio Neves chegaram juntos na noite desta sexta-feira, 16, ao ato político do PSDB de apoio à candidatura do senador mineiro, em Cotia, região metropolitana de São Paulo. O evento, que integra a caravana de apoio à candidatura de Aécio é o primeiro ato publico que contou com a participação da dupla.

O encontro acontece no momento em que o nome de Serra surge na lista dos cotados para assumir a vaga de candidato a vice-presidente na chapa tucana. Antes do ato, Aécio se reuniu reservadamente no Palácio dos Bandeirantes com o governador Geraldo Alckmin, também do PSDB.

Aécio e Serra trocaram afagos em seus respectivos discursos. “José Serra será uma figura imprescindível no próximo governo”, disse o pré-candidato tucano ao se referir a uma eventual vitória do PSDB. Ainda segundo o senador, Serra foi “o melhor ministro da Saúde que o Brasil já teve”.

O ex-governador, por sua vez, afirmou que Aécio “encarna a ideia de mudança”. Depois de pregar que o PSDB precisa ter unidade, Serra completou: “se Deus quiser o Brasil vai mudar com Aécio à frente. Serra apareceu de surpresa no evento em Cotia acompanhado do senado Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP).
 
(informações do Estadão)
 

ATOR GLOBAL SE REVOLTA COM AMEAÇAS A JOAQUIM BARBOSA. VEJA VÍDEO

 

O ator Carlos Vereza gravou um registro em vídeo em que mostra a sua indignação com as ameças de morte que vem sofrendo o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa.
Vereza leu trechos da reportagem da revista Veja da última semana e pediu uma reação de repúdio das instituições democráticas e da sociedade civil organizada.
Ele lembra que o autor dos ataques, Sérvulo de Oliveira, é um militante do PT, inclusive fazendo parte da diretoria do partido no Rio Grande do Norte.
"Se fosse com um cidadão comum seria extremamente grave, agora imagina isso: não tem mais parâmetro, eler perderam totalmente o pudor", lamenta.

17 de maio de 2014
caminho21

QUANDO O HUMOR DESENHA A REALIDADE

002 roque PAPO COM BLOGUEIROS


                        Papo com blogueiros financiados…

17 de maio de 2014

 

FANTASMAS DO PRESENTE

Os marqueteiros da candidata Dilma Rousseff perderam uma boa oportunidade de ficarem calados. O programa eleitoral do PT, na verdade peça de propaganda para a reeleição da sua candidata à presidência, foi de um descaramento e tanto. O mau gosto prevaleceu, a verdade foi deturpada e o terrorismo barato foi a tônica da ladainha petista no horário eleitoral gratuito na última quinta-feira.
 
Um Lula exaltado – quase que perdendo totalmente a compostura – feito um biruta de aeroporto, que oscila ora para um lado ora para outro, sugere que os petistas que cometeram falcatruas devem pagar pelos malfeitos. A bancada petista na Papuda não deve ter gostada nem um pouco da sinceridade do guru da seita.
 
Quando estourou o escândalo do mensalão, Lula afirmou categoricamente que o seu partido devia desculpas à sociedade pelas malfeitorias praticadas e que se sentia traído. Até hoje foi incapaz de dizer os nomes dos traíras.
Mais tarde, emparedado pelos mensaleiros, passou a defender a tese de que o processo que condenou pesos pesados do petismo tinha sido um julgamento 80% político. Até hoje foi incapaz de dizer qual o método científico que utilizou para chegar a esse percentual.
 
O partido da esperança está com medo, o Lulinha paz e amor se transformou num homem raivoso e destemperado, incentivando os torcedores a se deslocarem até aos estádios montados em jumentos. A falta de infraestrutura trará o caos nos dias dos jogos. As manifestações populares contra os gastos obscenos destinados aos preparativos para a Copa do Mundo batem às portas do governo e atingem a imagem de gestora implacável da presidente Dilma. 
 
Os hospitais públicos são depósitos de uma população doente jogada à própria sorte. Pessoas morrem diariamente nos corredores dos hospitais da rede pública por falta de atendimento. O que se discute é o presente de um País que há 12 anos deu um passo em falso, cujo povo foi ludibriado por falsas promessas.
 
O que se pretende é um futuro seguro com mudanças que assegurem aos brasileiros uma vida com um mínimo de qualidade. O que o povo deseja é poder sair às ruas e ter a certeza de que voltará são e salvo para o convívio familiar. O que se quer é um país de governantes que não sejam cúmplices de  políticos travestidos de assaltantes dos cofres públicos.
 
Mais de 70% dos brasileiros desejam mudanças sim, porque o presente não lhes satisfaz. E são esses 70% que rejeitam tudo que aí está e apostam num salto de qualidade para um futuro melhor, sem o monstro da inflação a atormentar.
Nunca se roubou tanto quanto hoje em dia. Se investigações ocorreram devem-se em grande parte à vigilância dos meios de comunicação.
As últimas pesquisas de opinião que mostram o desgaste do lulopetismo e a queda de aprovação da presidente Dilma amedrontam a cúpula partidária. O medo tomou conta dos apoiadores da candidata Dilma Rousseff.
 
Muitos partidos estão prontos para abandonar o barco petista. O programa do PT veiculado na quinta-feira é  prova de que o governo começa a fazer água.
E, diga-se de passagem, exalando um cheiro ruim.
 
Aqueles que davam como favas contadas a reeleição da atual presidente chegaram a conclusão que o candidato Aécio Neves está no páreo. E já é visto por uma expressiva parcela dos eleitores como sendo o melhor candidato para fazer as mudanças. Com o menor índice de rejeição entre todos os candidatos, Aécio Neves é a esperança dos que esperam por um Brasil melhor. 
 
17 de maio de 2014
Nilson Borges Filho é mestre, doutor e pós-doutor em Direito

DILMA TEM DOIS NEURÔNIOS, MAS O MAU CARATISMO DA DONA FAZ UM ESTRAGO ENORME COM ELES


O biliardário Eike Batista que ganhou R$ 10 bilhões de subsídios do BNDES e quebrou. Quem paga a conta? Os pobres do Minha Casa, Minha Vida.

A presidente Dilma Rousseff não consegue vocalizar o que pensa. No popular, não diz coisa com coisa. Talvez até consiga pensar, mas a sua dificuldade de expressão é assustadora. No entanto, a má fé e a esperteza que nela habitam faz com que aqueles dois neuroniozinhos maldosos e mal formados produzam muitas mentiras, especialmente para os mais pobres. Dilma é cobra criada por Lula, um especialista em enganar as pessoas mais humildes, fingindo-se uma delas. Logo ele, que entrou na política com uma mão na frente e outra atrás, virou o maior pelego da história do sindicalismo nacional e hoje fatura dezenas de milhões com o seu Instituto Lula, fazendo palestras de fachada para empresas a quem serve como lobista.

Ontem Dilma fez uma leitura safada da crítica que a Oposição tem dirigido aos subsídios que ela tem dado a grandes empresas. Aos mais ricos. Aos que menos precisam. Distorcendo a critica, quis carimbar nos adversários que eles são inimigos dos subsídios do programa Minha Casa, Minha Vida. Dilma disse que o governo federal está usando dinheiro dos tributos pagos pelos brasileiros para beneficiar a parcela mais necessitada da população. “Esse país tem de ser um país para aqueles que mais precisam, de nada adianta o governo federal ajudar os que menos precisam”, discursou a presidente. Ora, ninguém questionou em nenhum minuto este programa habitacional.

Para repor a verdade, informamos que em 2013 o governo Dilma destinou R$ 52 bilhões para o Minha Casa, Minha Vida. De outro lado, neste mesmo ano, o BNDES emprestou, principalmente para grandes empresas, R$ 194 bilhões. Quatro vezes mais, praticamente. A juros subsidiados. Altamente subsidiados. Grandes empresas são ricas e poderiam buscar dinheiro em bancos privados. O que justifica que, hoje, a JBS-Friboi deva R$ 30 bilhões para o BNDES? Simples! Júnior Friboi é candidato ao governo do estado de Goiás, pelo PMDB. É amigo do Lula. E a OGX, de Eike Batista, que está quebrada e deve mais de R$ 10 bilhões para o banco estatal? Ora, Eike era o queridinho da Dilma, o modelo de empresário bem sucedido da era petista. Isto sem falar nos negócios do banco estatal com a Telemar, aquele mesma que botou dinheiro na mão do filho do Lula e que depois foi comprada pela Oi. Somente estas três operações custaram mais caro do que todo o dinheiro que a Dilma botou no Minha Casa, Minha Vida, no ano passado.

Prestem atenção! Toda a estratégia de Dilma e Lula, que governaram para meia dúzia de ricos e deram migalhas para o resto da população, é se colocar ao lado dos pobres e carimbar a Oposição como defensora dos ricos. Pobres contra ricos. Luta de classes. Com este objetivo sórdido, os dois petistas acabam de produzir uma nova e escandalosa teoria econômica, a de que quanto mais inflação, mais emprego. Há muita mentira na numerologia do PT. Eles são especialistas em maquiar números, mas não estão se entendendo mais. Mercadante e Mantega bateram cabeça para que, finalmente, ficasse confirmado que eles estão congelando preços para conter a inflação. 

Dilma e Lula não tem o que mostrar ao país em termos de obras e realizações. Chega a ser patético ver a Presidente da República correndo o país feito uma alucinada para formar alunos do Pronatec, um programa que não existiria sem o dinheiro arrancado das ricas empresas que contribuem para o Sistema S e que são responsáveis por 80% das matrículas do programa. Não há obras. A Copa das Copas é um fracasso que só entregou 41% do prometido. A inflação está de volta. Resta, então, a mentira. A mentira que ontem produziu da boca da Dilma que a Oposição é contra subsidiar programas para os pobres. E da boca do Lula que a Oposição quer só um pouquinho de desemprego. Eles são perigosos. Eles vão fazer o diabo para não perder a eleição. Não vamos ficar calados. Como diz Aécio Neves, para cada mentira que eles contarem, vamos dizer umas dez verdades na cara deles. 

O NOME É CENSURA!

Para Lula, acabar com a liberdade de imprensa é prioridade número um. Quer marco regulatório para conteúdo e o nome disso é censura.

 
No Encontro dos Blogueiros Governistas, ponta de lança da censura à imprensa que Lula preconiza para o Brasil, o ex-presidente destilou, novamente, o seu ódio contra a liberdade de informação existente no país. Empolgado diante dos seus servos, que produzem informação a soldo do governo, Lula emoldurou a sua fala citando citou legislações da Inglaterra, Argentina e Equador que impuseram normas ao funcionamento da mídia. "Todas as sociedades democráticas do mundo contam com mecanismos de regulação dos meios de comunicação", disse. "Nos Estados Unidos, há a proibição da chamada propriedade cruzada. Em outros países, como Espanha, Portugal, França e Itália há leis que tratam dos meios de comunicação. Não venham dizer que isso é censura, ou que estamos querendo controlar os meios de comunicação. Estou citando países capitalistas. Não venham dizer que sou esquerdista, nem citei a Venezuela do saudoso presidente Chávez".

No entanto, na sequência, Lula não escondeu que toda esta regulação é para controlar conteúdo. E fez isso queixando-se do quanto a Imprensa trata mal a ele, a Dilma, ao PT e ao Governo"Tenho viajado pelo mundo todo fazendo esse debate, mas o que vejo aqui é uma mídia que desanca o País". Em seguida disse ver como a televisão se dá o luxo de "esculhambar a política". Ele disse que não vale a pena chorar porque tal jornal fala mal do PT, e que o que precisamos fazer é usar os blogs que estão do lado do País. Para Lula, estar ao lado do país é estar a favor do governo. Não estando alinhados ao governo petista, os meios de comunicação devem ser "regulados".

Para confirmar o velho estilo de pregar o conflito e a divisão para poder atacar um lado como se outro fosse vítima do primeiro, declarou solidário:  "Eu me dou o direito de dar entrevista para quem eu quero, na hora que eu quero". E que ficou "impressionado com a violência com que a imprensa tratou minha entrevista ao blogueiros, lá no Instituto da Cidadania", referindo-se, novamente, às críticas que os meios de comunicação fizeram ao que ele disse e não a quem ele disse.

Lula encantou os vassalos ao afirmar que o debate sobre o tema está "amadurecendo" e que colocará a discussão em todo evento público do qual participar daqui para frente. O ex-presidente criticou, em tom irônico, a atuação da imprensa. "A imprensa só me trata bem", disse, para a seguir defender que a regulação seria importante para manter o equilíbrio no tratamento de informações. Regulação no tratamento de informações? O nome disso é censura, que é no fundo o que Lula e o PT querem desde o famigerado III Programa Nacional dos Direitos Humanos. 

ROSE DO LULA CHANTAGEOU O PLANALTO


Rosemary Noronha
 
A discrição nunca foi uma característica da personalidade da ex­-chefe do gabinete da Presidência da República em São Paulo Rosemary Noronha. Quando servia ao ex-presidente Lula em Brasília, ela era temida. Em nome da intimidade com o “chefe”, como às vezes também se referia a ele, Rose fazia valer suas vontades mesmo que isso significasse afrontar superiores ou humilhar subordinados. Nos eventos palacianos, a assessora dos cabelos vermelhos e dos vestidos e óculos sempre exuberantes colecionou tantos inimigos — a primeira-da­ma não a suportava — que acabou sendo transferida para São Paulo. Mas caiu para cima. 

Encarregada de comandar o gabinete de Lula de 2009 a 2012, Rose viveu dias de soberana e reinou até ser apanhada pela Polícia Federal ajudando uma quadrilha que vendia facilidades no governo. Ela usava a intimidade que tinha com Lula para abrir as portas de gabinetes restritos na Esplanada. Em troca, recebia pequenos agrados, inclusive em dinheiro. Foi demitida, banida do serviço público e indiciada por crimes de formação de quadrilha e corrupção. Um ano e meio após esse turbilhão de desgraças, no entanto, a fase ruim parece ter ficado no passado. Para que isso acontecesse, porém, Rosemary chegou ao extremo de ameaçar envolver o governo no escândalo.

Em 2013, no auge das investigações, quando ainda lutava para provar sua inocência, a ex-se­cretária Rosemary procurou ajuda entre os antigos companheiros do PT — inclusive Lula, o mais íntimo deles. Desempregada, precisando de dinheiro para pagar bons advogados e com medo da prisão, ela desconfiou que seria abandonada. Lula não atendia suas ligações. O ex-ministro José Dirceu, às vésperas da fase final do julgamento do mensalão, estava empenhado em salvar a própria pele e disse que não podia fazer nada. No Palácio do Planalto, a ordem era aprofundar as investigações. 

Em busca de amparo, Rose concluiu que a única maneira de chamar a atenção dos antigos parceiros era ameaçar envolver figuras importantes do governo no escândalo. Mensagens de celular trocadas pela ex-secretária com pessoas próximas mostram como foi tramada a reação. Magoada com o PT por ter permitido que a Casa Civil aprofundasse as investigações sobre suas traficâncias, Rose destila ódio contra a então ministra Gleisi Hoffmann. Em uma conversa com um amigo, em abril do ano passado, desabafa: “Tão chamando a ministra da Casa Civil de Judas!!! Ela bem que merece!!!”. O interlocutor assente: “Ela vazou a porcaria toda. Vamos em frente”. Rose acreditava que o próprio Palácio do Planalto estava por trás das revelações sobre o desfecho da sindicância — “a porcaria toda” — que apontava, entre outras irregularidades, o seu enriquecimento ilícito no cargo.

Com o fundo do poço cada vez mais próximo, Rosemary decidiu arrastar para dentro do escândalo figuras centrais do Planalto e, se possível, a própria presidente Dilma Rousseff. A estratégia consistia em constranger os antigos colegas de governo pressionando-os a depor no processo que tramitava na Controladoria-Geral da União. “Quero colocar o Beto e a Erenice Guerra”, diz Rose em uma mensagem. “Você quer estremecer o chão deles?”, questiona o interlocutor. “Sim”, confirma Rose. “Porque vai bombar. Gilberto Carvalho também?”, indaga. “O.k.”, devolve ela. As autoridades que deveriam “estremecer” não foram escolhidas por acaso. 

Atual chefe de gabinete da presidente Dilma Rousseff, Beto Vasconcelos era na ocasião o número 2 da Casa Civil. Ao lado da ex-ministra Erenice Guerra, ele servira a Dilma no Planalto durante anos. Rose os conhecia como a palma da mão e sabia que eles tinham plena consciência do seu temperamento explosivo. A conclusão da conversa no celular, resumida pelo interlocutor, revela as reais intenções da ex-secretária: “Vai rolar muito stress... Vão bater na porta da Dilma. Vão ficar assustados”.

O plano embutia um segundo objetivo. Rosemary também queria se reaproximar de um ex-amigo em especial. Ao tentar “estremecer” o chão de Gilberto Carvalho, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência e homem de confiança de Lula, Rose tinha um propósito bem específico. Ela queria restabelecer as suas ligações com “Deus”, como a ex-sec­retária­­ costuma se referir ao ex-presidente Lula. Em outra troca de mensagens de celular, um interlocutor diz a Rose que, com a indicação das testemunhas — Gilberto Carvalho, Beto Vasconcelos e Erenice Guerra — no processo da CGU, “o momento é oportuno para aproximação com Deus...”. Mas a ex-pro­tegida de Lula se mostra cética e insatisfeita. “Vai ser difícil. Ele está com muitas viagens. Não posso depender dele”, diz Rose. Não se sabe exatamente o que aconteceu a partir daí, mas a estratégia funcionou. 

Um dos homens mais próximos a “Deus”, Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula, cuidou pessoalmente de algumas necessidades mais imediatas da família de Rosemary durante o processo. Além de conseguir ajuda para bancar um exército de quase quarenta juristas das melhores e mais caras bancas de advocacia do país, a ex-se­cretária reformou a cobertura onde mora em São Paulo e conseguiu concretizar o antigo projeto de ingressar no mundo dos negócios.

Rosemary comprou uma franquia da rede de escolas de inglês Red Balloon. Para evitar problemas com a ficha na polícia, o negócio foi colocado no nome das filhas Meline e Mirelle e do ex-marido José Cláudio Noronha. A estratégia para despistar as autoridades daria certo não fosse por um fato. A polícia já havia apreen­dido em 2012, na casa de Rose, todo o planejamento para aquisição da franquia. Os documentos mostravam que o investimento ficaria a cargo da quadrilha que vendia influência no governo. Na época, a instalação da escola foi orçada em 690 000 reais — padrão semelhante aos valores praticados atualmente no mercado —, dinheiro que Rosemary e seus familiares não possuíam. Como, então, a família que informava ter um patrimônio modesto conseguiu reunir os recursos?

Procurada por VEJA, Meline Torres, responsável pela administração da escola, informou que todos os investimentos foram realizados a partir de “economias”. “Eu trabalhei muito durante a minha vida (Meline tem 29 anos). Trabalho desde os 18 anos com registro em carteira e tenho poupança. Meu pai também está me ajudando com recursos dele, aliás, do trabalho de uma vida”, explicou. Rosemary não quis se pronunciar.
 
(Veja)
 
17 de maio de 2014
in coroneLeaks

LOBÃO, CALHEIROS E AS FRAUDES BILIONÁRIAS NO FUNDO DE PENSÃO DOS CORREIOS, AMEAÇADO DE INTERVENÇÃO. E DE QUEBRAR.


Por trás de tudo, Edison Lobão e Renan Calheiros

No final do governo Lula, um jovem e brilhante operador do mercado financeiro ascendia no rarefeito mundo da elite política de Brasília. Era Fabrizio Neves, dono da Atlântica Asset, empresa que montara fundos no mercado financiados sobretudo pelo Postalis, fundo de pensão dos Correios. 

O Postalis era comandado por afilhados do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, e do senador Renan Calheiros, ambos do PMDB. Fabrizio dava festas e promovia jantares em Brasília e São Paulo. Num deles, contratou o cantor Emílio Santiago e um dos pianistas que tocavam com Roberto Carlos. Colecionador de armas, dono de bom papo, Fabrizio fez amizades com políticos, diretores do Postalis e lobistas – a maioria deles ligada ao PMDB. Segundo seis desses altos quadros do PMDB, Fabrizio participava também das reuniões em que se discutia o financiamento das campanhas em 2010. Com pouco tempo de Brasília, Fabrizio já se tornara um homem poderoso na capital.

Sobre Fabrizio, sabia-se apenas que ele morara em Miami, onde fizera fortuna no mercado financeiro. No Brasil, ele estava em alta; nos Estados Unidos, era caçado por credores e pelos investigadores da Securities and Exchange Comission, a SEC, órgão que regula o mercado financeiro americano. Acusavam-no de ser o arquiteto de uma fraude que envolvia o dinheiro arrecadado no Postalis.

A caçada judicial terminou recentemente nos Estados Unidos, e suas consequências ainda não se fizeram sentir no Brasil. A ascensão de Fabrizio por lá se deu com dinheiro daqui – dinheiro dos carteiros e funcionários dos Correios, que financiam suas aposentadorias contribuindo para o Postalis. A queda de Fabrizio terminou por lá. Mas ainda promete começar por aqui.
E isso aterroriza o PMDB.
 
Leia aqui a reportagem de Diego Escosteguy, para a Época.
 
17 de maio de 2014
in coroneLeaks

NOTAS POLÍTICAS DO JORNALISTA JORGE SERRÃO

                    A Babaquice Endeusada com Lula
 

 
Babaca é o sujeito bobo, tolo, mané, otário, estúpido, escroto, infantil, sem graça. O Dicionário Informal da Língua Portuguesa, disponível no oráculo Google, informa que são sinônimos de Babaca: Zé Ruela, Lambe-botas, espertalhão, pateta, bestalhão, tacanho e, finalmente, eleitor-brasileiro.
Babaca vem de “Babeca” (Bobo) – segundo o Dicionário Etimológico de Antônio Geraldo da Cunha. Babaca Honoris Causa parece o título honorífico justo e perfeito a ser concedido àquele que a máquina de propaganda da politicagem promete transformar no símbolo da “Onestidade” no Brazil. Lula é uma "Mintchura Ambulante" - como diria o falecido pai da Neusinha Brizola.

O endeusado mito Lula, cultuado fanaticamente pelo partido-religião que ele fundou para afundar o Brasil, consegue superar-se na antiarte da babaquice. Em mais uma marketeira defesa da “Copa das Copas”, o Presidentro voltou a sua verborragia de eterno sindicalista de resultados para proclamar como “babaquice” a preocupação de dar condições de primeiro mundo (“padrão FIFA”) aos torcedores brasileiros e turistas estrangeiros que pagarão uma fortuna para assistir aos jogos do mundial de futebol nos estádios com obras inacabadas no entorno.

Lula, que não tem hábitos de pobre há muito tempo, deu mais um show de demagogia: "Nós nunca tivemos problemas em andar a pé. Vai a pé, vai descalço, vai de bicicleta, vai de jumento, vai de qualquer coisa. Mas o que a gente está preocupado é que tem que ter metrô, tem que ir até dentro do estádio? Que babaquice é essa? Tem que dar garantia para essa gente assistir ao jogo, tem que ter o melhor da comida brasileira, tem que tratar bem as pessoas nos hotéis...".

O festival de babaquices foi exalado ontem, em mais uma reunião amestrada para blogueiros aliados, no Instituto Lula, em São Paulo. Acompanhavam Lula no evento seus postes Fernando Haddad e Alexandre Padilha. Lula voltou a exaltar que a Copa será a oportunidade de o Brasil “mostrar sua cara”. Lula se autofestejou e promoveu, como de costume: "Sinto muito orgulho de ter conquistado para esse país o direito de fazer a Copa e as Olimpíadas. E quando pensei isso não pensei em dinheiro, pensei num evento dessa magnitude. Até sonhava que o Brasil estava tão bem que poderia conseguir as Olimpíadas de Inverno lá em Garanhuns (PE), brinquei com isso. Acho que nunca tivemos nesse país um momento de emoção como a conquista das Olimpíadas".

As palavras autoelogiosas de Lula conflitaram com a declaração contrária feita – também ontem – pelo presidente da FIFA. Joseph Blatter, sempre no fogo amigo contra o governo brasileiro, alfinetou que a população brasileira parece “um pouco descontente” com sua Copa do Mundo. Mas Blatter não perdeu a chance de proclamar uma provável verdade: "Tenho certeza que, quando a bola rolar, na partida de abertura em São Paulo, o Brasil vai se encher daquela febre de futebol." Brasil x Croácia, dia 12 de junho, no Itaquerão, inicia a festança.

Contador de Lorotas


Figurinha carimbada

Nesses tempos de babaquice, a notícia mais importante nos foi dada pelo Renato Maurício Prado depois do jantar festivo da nata dos cronistas esportivos com a Presidenta, no Palácio da Alvorada.

Dilma Rousseff já completou seu álbum de figurinhas da Copa...

Já pensou se ela conseguir concluir, com a mesma velocidade e competência, as obras que seu desgoverno começa, mas nunca acaba?

Camisa dos babacas


Vestimenta ideal para os babacas vestirem na Copa da Fifa

Quase ruindo


Onde está a honestidade?

Observação relevante de um veterano apresentador de televisão que é leitor assíduo deste Alerta Total sobre a imagem de Lula exigindo de uma multidão de militantes que recupere os princípios de “honestidade” que marcaram a criação do PT:

“O Lula declarou que o PT é desonesto, não? Só se recupera uma coisa que se perde”. 

No final das contas, quem perde mesmo é o babaca do povo brasileiro...

Copa das Manifestações


Vídeo sobre a AMAN

Belas imagens sobre a AMAN (Academia Militar das Agulhas Negras), escola de nível superior responsável pela formação do oficial combatente do Exército Brasileiro.

Destaque para o Centro de Capacitação Física Cláudio Coutinho
 
Digicongress

De 19 a 21 de maio, das 19h às 22h, a Universidade Anhanguera de São Paulo, unidade São Bernardo, recebe o Digicongress - evento que abordará tecnologia, comportamento e estratégias de comunicação e marketing digital.

O Congresso, com inscrições gratuitas, terá apresentações no modelo TEDx, no qual os pesquisadores e palestrantes das principais instituições do mercado farão apontamentos a respeito do tema de domínio em 20 minutos.
Rodolfo Nakamura, coordenador dos cursos de Publicidade, Marketing e Produção Audiovisual, explica o tom do evento organizado por professores e alunos:

"O principal objetivo é identificar como se alinham os discursos mercadológico e acadêmico em relação ao tema, gerando e compartilhando conhecimentos desses complementares interesses por meio da criação de novos patamares na comunicação digital".

Inscrições podem ser feitas no site do Digicrongress: www.digicongress.com.br ou através da Fanpage: www.facebook.com/digicongress


Doações ao Alerta Total

Leitores, amigos e fãs do Alerta Total que puderem colaborar para o aprimoramento de nosso trabalho podem fazer doações ao site.

Nos botões do lado direito deste site, temos as seguintes opções:

I) Depósito em Conta Corrente no Banco do Brasil. Agência 4209-9, C/C: 9042-5, em favor de Jorge Serrão.

II) Depósito no sistema PagSeguro, da UOL, utilizando-se diferentes formas (débito automático ou cartão de crédito).

III) Depósito no sistema PayPal, para doações feitas no Brasil ou no exterior.

Propagandagem

Torcida


Fora corruptos


Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus.
 
17 de maio de 2014
Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor.

RESERVAS


 

Ao debruçarmo-nos sobre os temas: Segurança e Defesa Nacionais de um país, podemos conceituá-las de modo simplista, como sendo a conquista e manutenção dos Objetivos da Nação, contra qualquer tipo de óbice ou mesmo antagonismo, mediante aplicação do Poder da Nação.

O responsável por essas garantias é o Estado com apoio da sociedade. Contudo, é o Estado que possui o monopólio da força garantidora, sustentada pela ordem jurídica vigente, ou seja, pelas instituições que o compõem.

Sem isto, é impossível existir um país.

Em situações de maior gravidade, a lei e a ordem são garantidas pelos poderes institucionais e conduzidas através de Intervenção Federal, do Estado de Defesa e do Estado de Sítio, conduzidas pelas Forças Armadas, Poder Judiciário e Órgãos de Segurança Pública, resguardando suas responsabilidades de atuação, de acordo com a lei.

O artigo 144 da Constituição Brasileira, estabelece que as Forças Armadas jamais devem ser descartadas em casos de preservação da ordem pública, incolumidade dos cidadãos e do patrimônio. Contudo somente em casos excepcionais a força terrestre será empregada na Segurança Pública.

A população brasileira pode ser considerada incólume? O patrimônio está garantido pelo Estado?

Foram 2 milhões de brasileiros vítimas de latrocínio, em apenas 20 anos. Quantas fazendas foram invadidas até hoje? Quem não viu índios assassinado friamente um fazendeiro dentro de suas terras, suplicando pela vida? O crime foi institucionalizado no país. Chegamos à anomia.  

Os Estados-membros da União não são soberanos, não podem opor-se às normas de Soberania Nacional que determina ser a Nação Brasileira una e indivisível.

O equilíbrio federativo, é realizado por meio do instituto da INTERVENÇÃO FEDERAL, único instrumento eficiente, garantidor das características políticas dessa forma de Estado, do equilíbrio federativo, das finanças estaduais e de estabilidade da ordem federativa constitucional, sendo amparada na Lei Complementar número 97/99.

Ocorre que, na seara internacional, o Brasil através da delegação do Itamaraty, comandada pelo representante do Ministério das Relações Exteriores Sr. Carlos Eduardo da Cunha Vieira, sob tutela do atual Ministro da Defesa, Celso Amorim, assinou a DECLARAÇÃO DOS DIREITOS DOS POVOS INDÍGENAS, que possui alguns Cavalos-de-Tróia:

Art. 4- Os povos indígenas têm direito ao autogoverno nas questões relacionadas a assuntos internos.

Art. 5- Os povos indígenas têm o direito de conservar, reforçar suas próprias instituições políticas, jurídicas, econômicas, sociais e culturais.

Art. 41- Os organismos da ONU serão mobilizados para a plena realização das disposições da presente Declaração, com cooperação financeira e assistência técnica.

Nada disso seria possível, se as autoridades brasileiras nos últimos 20 anos não fossem constituídas de  traidores da pátria.

Notemos que os países que mais reclamam as riquezas da Amazônia, foram os que não subscreveram a Declaração dos Direitos dos índios: EUA e Canadá, além de abstenções de França e Inglaterra.

As ong’s nacionais e internacionais que trabalharam para isso, foram financiadas por governos, grupos econômicos transnacionais poderosos, igrejas e ogp’s (organizações governamentais privadas - constituídas por parlamentares, secretários de estado, embaixadores dos países interessados, mantidas por seus governos que liberam verbas para ong's dos países a serem atacados realizar o trabalho sórdido de traição).

Notem que os índios são 0,3% da população brasileira, mas possuem 13% do território nacional divididos em aproximadamente 300 reservas.
Os não-índios, são 99,7% do país e utilizam 17% do território.

Há algo de estranho nisso tudo, não acham?

Mais incrível é que estarão colocando em votação a legitimidade dessas reservas no Senado Federal, exatamente em julho de 2014, durante a copa do mundo de futebol, o que permitirá aos traidores aprovar a matéria na escuridão das catacumbas que será o congresso nessa época, chafurdando na lama de suas conveniências. 

Não há necessidade de exército para resolver isso. Onde estão os ministros do STF salvadores da pátria? Onde estão os grandes estadistas do legislativo e executivo? Eles é que devem solicitar intervenção, defendendo o povo do genocídio em curso e da entrega do território. As forças Armadas são o elemento garantidor da Soberania, desde que os componentes das instituições de Governo e Estado sejam leais à Pátria e não prevariquem.

Mas, parece que não existem mais brasileiros que respeitem sua honra e dignidade.

Se o Congresso votar a favor das reservas, no estado da proposta atual, em nossa opinião ele deve ser fechado e a seguir totalmente reformulado, pois isso será considerado um ato de traição nacional.
 
17 de maio de 2014
Ronaldo Fontes, Médico, é Presidente do Instituto Foro do Brasil e membro da ADESG-SP.

SE NÃO ESCREVESSE, SERIA AUTOR CLÁSSICO



O ex-presidente Lula, declara, em seu artigo de 15/05, em língua portuguesa, publicado  no site do jornal espanhol "El País", que a Copa do Mundo  virou "objeto de feroz luta política eleitoral", adiantando que os protestos que espocam diariamente pelas cidades do país são orientados por setores que desejam o fracasso do espetáculo e a colheita de benefícios ligados aos votos da luta eleitoral que se aproxima. 

Esqueceu de mencionar, no entanto, que a maior parte das manifestações contra a Copa, pelo menos em São Paulo, estado onde foram mais volumosas, foram protagonizadas por integrantes do MTST (Movimento dos Trabalhadores sem Teto) e pelos metalúrgicos, grupos com forte vinculação ao PT  e que, teoricamente, teriam, é óbvio, motivações com algum conteúdo político mas sem pleitos eleitorais definidos. 

Conclui-se então que se trata de mais um dos sofismas malandramente articulados por quem se tornou exímio mestre na arte da tergiversação. 

Lula afirma também no artigo que, ao estimular, em 2007,  a realização do torneio mundial em 2014 no Brasil, não foi movido por razões econômicas ou políticas e sim pelo que o futebol representa para o povo brasileiro. 

Argumentação frágil, pois à época da escolha da sede, sentia-se ele fragilizado pelo julgamento do Mensalão, e precisava não só criar um fato diversionista como também recuperar-se das suspeitas de que o esquema de corrupção política se desenvolvia em espaço contíguo ao seu gabinete, com seu muito provável conhecimento. 

É óbvio então que, se ocorreram motivações políticas, desde aquela ocasião aos dias de hoje, grande parcela foi empregada por ele e não por possíveis adversários desejando obter dividendos eleitorais. 

Sem querer admitir que os recursos superfaturados pertencentes ao povo brasileiro, gastos na deficiente preparação, estão fazendo falta para a prestação  de serviços públicos básicos à população como saúde, segurança e educação , o ex-presidente afirma que o futebol é paixão nacional, fato sobejamente conhecido por qualquer cidadão desde sempre, o que não impediu, no entanto, que a honraria de sediar a copa fosse recusada por governo bem anterior ao seu, sensível, no entanto, às necessidades básicas do país. 

Como se vê, o nosso ex-presidente, caso não redigisse uma só frase, seria um escritor clássico.
 
17 de maio de 2014
Paulo Roberto Gotaç é Capitão-de-Mar-e-Guerra, reformado.