"Quero imaginar sob que novos traços o despotismo poderia produzir-se no mundo... Depois de ter colhido em suas mãos poderosas cada indivíduo e de moldá-los a seu gosto, o governo estende seus braços sobre toda a sociedade... Não quebra as vontades, mas as amolece, submete e dirige... Raramente força a agir, mas opõe-se sem cessar a que se aja; não destrói, impede que se nasça; não tiraniza, incomoda, oprime, extingue, abestalha e reduz enfim cada nação a não ser mais que um rebanho de animais tímidos, do qual o governo é o pastor. (...)
A imprensa é, por excelência, o instrumento democrático da liberdade." Alexis de Tocqueville
(1805-1859)

"A democracia é a pior forma de governo imaginável, à exceção de todas as outras que foram experimentadas." Winston Churchill.

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

ADVOGADO DE LULA PODE TER REGISTRO SUSPENSO POR MENTIR AO TRF4



ADVOGADO DE LULA PODE TER REGISTRO SUSPENSO POR MENTIR AO TRF4

03 de novembro de 2017

VERA MAGALHÃES HOSTILIZAÇÃO A GILMAR MENDES JÁ É NACIONAL



VERA MAGALHÃES: HOSTILIZAÇÃO A GILMAR MENDES JÁ É NACIONAL
03 de novembro de 2017

JURISTA REVELA A VERDADEIRA FACE DE DILMAR MENDES




Jurista revela a verdadeira face de Gilmar Mendes.

03 de novembro de 2017

MARCELO BRETAS LIBERA ÁUDIO E DEIXA GILMAR MENDES EM MAUS LENÇÕIS



Marcelo Bretas libera áudio e deixa Gilmar Mendes em maus lençóis

03 de novembro de 2017

NOTAS POLÍTICAS DO JORNALISTA JORGE SERRÃO

Por que Meirelles não tem chance ao Planalto?

                                      

O principal tema da eleição presidencial de 2018 já está bem definido: a Segurança Pública (que é uma ficção, no violentíssimo Brasil). A sensação de insegurança se estende ao campo econômico – e não apenas ao “policial”. Inseguro também é o sistema legal e jurídico, pois o pleno Direito não é assegurado, na idêntica proporção do descumprimento dos deveres, pelas autoridades públicas e, mais grave ainda, pelo cidadão.

O eleitorado está rachado, porém ainda se ilude que um “líder”, no comando da máquina estatal (ineficiente e corrupta), pode resolver tudo. A maioria clama por Ordem e Segurança, em todos os sentidos. Naturalmente, este grupo projeta o voto no candidato que incorpora tal discurso e consegue transmitir a forte impressão (absolutamente ilusória) de que poderia resolver tal problema – mesmo que, na verdade, não possa. Tal segmento assume, facilmente, o discurso conservador, mesmo que não o pratique, por cinismo ou consciente ignorância.

Um outro grande grupo, que é “Estadodependente” e acredita na ilusão socialista do Estado Interventor, também incorpora, parcialmente, o discurso da segurança, sobretudo no campo econômico. Também aposta na figura de um líder carismático, que finja ser “progressista”, embora na prática se comporte como um pseudoconservador, no pior sentido do termo. Seu objetivo é “conservar” nosso modelo estatal Capimunista rentista, baseado no pleno uso de estatais, fundos de pensão e uma bolsa de valores inexpressiva, porém monopolista, com a falsa promessa de “desenvolver” um País, sob forte controle das “gestapos” estatais.

No confuso Brasil, onde a maioria não domina conceitos corretos e tem o vício de praticar os errados, temos um outro grupo, claramente minoritário, que prega mudanças estruturais como a única solução efetiva para o País se desenvolver. Neste grupo, incluem-se os que ainda apostam no modelo do “Estado Interventor” como promotor da reestruturação das instituições republicanas. Dele também fazem parte os que pregam um modelo estatal mais liberal, com menos regramento, menos transferência, transparência total, e mais clareza sobre uma relação de equilíbrio na relação entre deveres e direitos.

Essa minoria apóia a segurança política, econômica e jurídica como pilares de uma sociedade civilizada. Dentro deste segmento se situa a minoria que defende a “Intervenção”, em seus dois formatos. A primeira, executada diretamente pelas Forças Armadas (chamada de “Intervenção Militar”). A segunda, mais complicada de acontecer no curto prazo, por fortíssima pressão popular, com lideranças que representem as principais cabeças pensantes do País, e que também necessita do imprescindível apoio militar (chamada de “Intervenção Constitucional”).

Em 2018, depois do desastre petista e do temerário desgoverno que o sucedeu, com toda certeza todos os grupos descritos acima vão se confrontar “radicalmente”. A polarização é uma tendência natural. Haverá uma divisão clara entre os honestos, os que parecem honestos e os claramente desonestos. A confusão pode descambar para a violência política. A única saída civilizada para evitar o extremismo seria que cada um dos segmentos em conflito comprovasse a capacidade mínima de formular um projeto de Nação para o Brasil.

Só o Estado Novo de Getúlio Vargas cumpriu tal missão de gerar um “projeto nacional”. Tal modelo misturou fascismo, populismo, sindicalismo e muita intervenção estatal na vida dos cidadãos e empresas, gerando o modelo Capimunista, consolidada pelo regime civil-militar de 1964 e que se fortaleceu e esgotou com a (nada) “Nova República” desde 1985 até agora. O Capimunismo segue “legitimado” pela Constituição (falsamente) Cidadã de 1988 – que precisa ser urgentemente reescrita.

O problema é que uma mudança constitucional não pode ser feita por políticos bandidos eleitos por um sistema comprovadamente criminoso e corrupto – que elege representes do Crime Institucionalizado, e não do “povo” (que detém, mas não usa corretamente, seu legítimo poder instituinte. Aliás, tal “povo” precisa definir, claramente, em favor de quais dos grupos descritos acima deseja atuar. A dúvida transforma o Brasil em uma mega incógnita, um paraíso de perigosas incertezas, onde as organizações criminosas se reinventam para manter a hegemonia.

Por tudo isso, soa como piada de mau gosto uma candidatura (finalmente assumida) de Henrique Meirelles. Sempre banqueiro, o ministro da Fazenda de Michel Temer se situa como príncipe dos rentistas que sempre exploraram o Brasil. Meirelles não quer mudanças estruturais. Pelo contrário, transita do lado que apenas deseja uma “reforma” do modelo capimunista tupiniquim, sem alterá-lo. É apenas mais um seguidor do esquema de um Brasil dependente, periférico, no estilo de uma Miami encravada no País mais paupérrimo da África.

Apesar de ser o presidenciável com maior potencial de “grana sobrando” para torrar no caríssimo “fla-flu” de 2018, Meirelles representa a refinada vanguarda do atraso. Não tem carisma. Em termos simbólicos, o milionário Meirelles estaria mais para tramp que para trump. Não é à toa que ele é sustentáculo do desgoverno Temer – cuja única missão é vender as riquezas do Brasil a preço de banana. A candidatura presidencial de Meirelles já nasce morta. De original, ele só tem o nome do banco virtual que ajudou a criar para a família da dupla Joesley e Wesley...

O perigo é que o fantasma do bolivarianismo ronda Bruzundanga. Se não for condenado, preso e mantido na cadeia – a tendência é que o STF não o deixe mofar na cadeia -, Lula vem com toda força do povo idiotizado para disputar o Palácio do Planalto com Jair Bolsonaro – cujo nome ganha força popular e conquista mais fãs no mercado financeiro do que poderia supor a mais vã filosofia de botequim.

Estaremos irremediavelmente perdidos se cairmos nas armadilhas do Cassino eleitoral do Al Capone de 2018. Vale repetir: a única solução sensata e efetiva é formular um Projeto de Nação para um Brasil republicano, federalista, com um Estado transparente e fiscalizado diretamente pelo cidadão que cumpra deveres para merecer direitos possíveis de serem atendidos.

Ou rompemos com o Capimunismo, ou seremos a filial empobrecida da República Popular da China. Será que os EUA permitirão que isto aconteça? Se for este o nosso destino, aí sim o Henrique Meirelles seria um candidato maravilhoso...

Crônica de um policial abandonado

Não há certeza de que o texto tenha sido escrito por um policial.

No entanto, a crônica de um policial abandonado, sabotado pelo Estado-Ladrão, é um retrato mais que realista do Brasil sob domínio do Crime Institucionalizado.

Estamos em plena guerra civil não declarada, com uma taxa surreal de mais de 60 mil homicídios por ano – que várias guerras declaradas, pelo mundo afora, sequer conseguem registrar.

O Alerta Total reproduz o texto que viraliza nas redes sociais:

"Eu" Policial de folga, observava atento quando o algoz se aproximara da pobre vítima...

O meliante sacou a arma e anunciou o roubo.

Logo que vi, meu tirocínio de policial me mandou agir, PORÉM, lembrei do Ministério Público, da Sociedade que me condena, da minha família que espera por mim, quando decidi NÃO agir. 

A pobre mulher assustada nem tentou reagir ao assalto e sequer teve reação.

O bandido (vítima da sociedade opressora), sem motivos e mesmo em posse do bem, disparou contra a pobre mulher, tirando-lhe não somente a vida, como também os sonhos dela... A pobre coitada já caiu desfalecida, o ladrão levou sua moto, a vida e os sonhos daquela mulher...

Não reagi, liguei 190 "e passei a bomba para quem tava de serviço", afinal, é isso que o Estatuto determina que eu faça!

Fui para minha casa, fui recebido por minha esposa e filhos.

O Ministério Público não alegou que eu fui truculento ao reagir ao roubo praticado por uma "pobre vítima da sociedade que roubara para comer", a OAB não emitiu nota em meu desfavor, minha arma não ficou apreendida para perícia, não gastei minha munição (que custa 10 reais cada), a Comissão de Direitos Humanos não emitiu depoimento contra mim e a Mídia Lixo sequer noticiou a morte da pobre inocente vítima de latrocínio, pois isso não dá  Ibope, o que dá ibope é polícia matando "vítimas da sociedade" (Bandido). Eu estava lá, mas foi como se não estivesse.

O PROBLEMA SERÁ QUANDO TODO POLICIAL COMEÇAR A AGIR ASSIM. 

Aí o caos se instaurará, e o mal causado pela escuridão fundamental verdadeiramente aparecerá!

Desabafo de um profissional que faz parte de uma Instituição que quando perto incomoda e quando longe faz muita falta.

Assinado: O POLICIAL

Salvação programada


Torquatagem


Praga de baiano corrupto




Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

03 de novembro de 2017
Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor.

TORQUATO TEM RAZÃO: TOLERÂNCIA ZERO OU O CAOS

O ministro da justiça, Torquato Jardim, disse o que os brasileiros sabem há décadas. A declaração e sua ratificação revelam que o ministro está muito bem informado pelos órgãos de inteligência que o municiam com dados irrefutáveis. Não há solução para o descontrole à violência e à criminalidade que não seja a aplicação da lei em todos os casos, independentemente do prestígio do acusado ou da sua condição social. Esta condição é o que se aplica em qualquer país democrático e é o que, em tempos recentes, Rudolph Giuliani, ex-prefeito de Nova York, de 1994 a 2002, denominou “Tolerância Zero”.

O programa de Giuliani reduziu os homicídios em 65%, e no geral em 60%, sendo que alguns crimes tiveram redução de até 90%. Isto não foi milagre, foi a aplicação de uma série de ações que priorizaram o combate a pequenas infrações com penas leves, evitando-se a cooptação de iniciantes por bandidos irrecuperáveis.

Por outro lado, dos órgãos de segurança pública foram expulsos policiais corruptos, além de ter sido aplicado eficiente controle de acesso ao sistema de pessoas com passado duvidoso ou sem a necessária vocação para a atividade policial, que requer verdadeiro espírito público em sua missão.

O rigor na aplicação da lei, muitas das vezes confundida com violência policial, devolveu à Nova York a segurança e a volta de investimentos que aumentaram o emprego, os negócios e o prazer de andar livremente em suas avenidas. As soluções de Giuliani se transformaram em exemplos para outras cidades do mundo e foram respeitadas pelos organismos de proteção aos direitos humanos.

O ministro Torquato Jardim presta um excelente serviço ao Brasil e aos brasileiros, e o presidente Michel Temer, ao não desmentir o seu auxiliar, reforça o desejo da população em reverter a ocupação por criminosos de parte do território nacional. Temer foi secretário de Segurança de São Paulo e está ciente dos problemas indicados por Torquato.

A questão mais grave do que a instalação do crime organizado na estrutura do Estado é a omissão dos governantes que, muitas das vezes, são reféns dos criminosos. A preparação de jovens criminosos através do estudo para o ingresso na política, na polícia, na justiça, no executivo e, especialmente, no legislativo apontam para a ocupação do poder criminoso em todas as áreas da sociedade. Não é difícil supor que muitas das autoridades constituídas foram sustentadas pelo crime organizado até possuírem o poder solitário de evitar a punição de criminosos.

A apuração de crimes em índices ridículos e a prescrição de crimes graves não podem ser consideradas inevitáveis. O silêncio, a omissão e a participação de autoridades em atividades criminosas têm como resultado a infecção generalizada que se abateu sobre o Brasil , e nem mesmo as eleições que se aproximam serão capazes de nos livrar rapidamente na guerra civil disfarçada que nos assusta, nos mata, nos acovarda e nos faz preferir como governantes os neófitos populistas que estão na mídia e nas ruas, buscando votos para nos empurrar de vez ao conflito generalizado que propõe o armamento da população e a defesa individual de direitos do cidadão.

O ministro Torquato Jardim tem razão; o presidente Temer sabe disso, e o povo espera que o Ministério Público – infelizmente, já maculado -, a Polícia Federal, a Justiça, as Forças Armadas e a maioria dos policiais civis e militares apliquem as leis em suas missões e devolvam ao país a tranquilidade e a esperança a que tem direito.


03 de novembro de 2017
Paulo Castelo Branco

BOECHAT COMENTA O BATE BOCA ENTRE GILMAR MENDES E LUÍS ROBERTO BARROSO



BOECHAT comenta o BATE BOCA entre Gilmar Mendes e Luís Roberto Barroso
03 de novembro de 2017

O DISCURSO QUE TODO BRASILEIRO VAI QUERER ASSISTIR




O discurso que todo BRASILEIRO vai querer assistir
03 de novembro de 2017


SÉRGIO MORO MAIS UMA VEZ SURPREENDE LULA COM NOVA DECISÃO




Sérgio Moro Mais Uma Vez Surpreende Lula Com Nova Decisão.
03 de novembro de 2017

GENTE, ESSE É BOECHAT COMO NUNCA SE VIU! ELE ARRASOU COM GILMAR, TEMER E POLÍTICOS




GENTE ESSE É BOECHAT como NUNCA se VIU - ELE ARRASOU COM GILMAR, TEMER, E POLITICOS
03 de novembro de 2017


"TORQUATO JOGA NO VENTILADOR E GILMAR MENDES É O HOMEM QUE SOLTA"



"Torquato joga no ventilador e Gilmar Mendes é o homem que solta" - Alexandre Garcia
03 de novembro de 2017

DECREPITUDE COMUNISTA




R$ 61 Mil/Mês? Decrepitude comunista.
03 de novembro de 2017

URGENTE! VAZAMENTO DE INFORMAÇÕES PARA INTERVENÇÃO NO BRASIL




URGENTE: VAZAMENTO DE INFORMAÇÕES PARA INTERVENÇÃO NO BRASIL
03 de novembro de 2017

URGENTE! GENERAL VILLAS BOAS É DESMASCARADO (COMUNISTA TOTAL)



URGENTE: General Villas Boas é desmascarado [ Comunista total ]

03 de novembro de 2017