"Quero imaginar sob que novos traços o despotismo poderia produzir-se no mundo... Depois de ter colhido em suas mãos poderosas cada indivíduo e de moldá-los a seu gosto, o governo estende seus braços sobre toda a sociedade... Não quebra as vontades, mas as amolece, submete e dirige... Raramente força a agir, mas opõe-se sem cessar a que se aja; não destrói, impede que se nasça; não tiraniza, incomoda, oprime, extingue, abestalha e reduz enfim cada nação a não ser mais que um rebanho de animais tímidos, do qual o governo é o pastor. (...)
A imprensa é, por excelência, o instrumento democrático da liberdade." Alexis de Tocqueville
(1805-1859)

"A democracia é a pior forma de governo imaginável, à exceção de todas as outras que foram experimentadas." Winston Churchill.

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

JAIR BOLSONARO ARREBENTA DIREITOS HUMANOS

OLAVO DE CARVALHO FALA DO PLANO ESQUERDISTA CONTRA BOLSONARO

DECISÃO DE JANOT FAZ LÉO PINHEIRO FICAR EM SILÊNCIO E CAUSA RETROCESSO NA LAVA JATO


Resultado de imagem para rodrigo janot charges
Charge do Oliveira, reprodução do Diário Gaúcho

















Em um momento verdadeiramente crucial, em que estavam sendo reveladas as mais importantes informações sobre os esquemas de corrupção montados na administração pública, a apressada, estranha e inexplicável decisão do procurador-geral Rodrigo Janot paralisou as investigações da Lava Jato e causou uma grave crise institucional.
DECISÃO DESASTRADA – Alegando represália ao vazamento de uma simples menção ao ministro Dias Toffoli, do Supremo, Janot suspendeu o acordo de delação de Léo Pinheiro, ex-presidente da construtora OAS. Com essa desastrada providência, simplesmente desfez um trabalho que vinha sendo feito há dois anos pela Lava Jato, cujos resultados só estavam sendo colhidos agora.
O empreiteiro já tinha assinado o termo de confidencialidade, mas ainda não havia firmado o acordo propriamente dito. Por causa da decisão de Janot, três dias depois Pinheiro ficou em silêncio durante depoimento ao juiz federal Sérgio Moro, em Curitiba (nesta quarta-feira, dia 24), e os anexos já apresentados por ele, em que denunciava a corrupção de grandes figurões da República, incluindo o ex-presidente Lula da Silva, agora estão sendo devolvidos a seus advogados.
IMPEDIR VAZAMENTOS? – Na era digital, os vazamentos de informações policiais e judiciais são praticamente impossíveis de se evitar. Por isso, desde o início da Lava Jato, têm sido uma constante, sem que jamais se conseguisse apurar seus autores.
Tomam conhecimento das investigações e podem fazer vazamentos o respectivo juiz federal e seus assessores mais próximos, além dos procuradores e delegados federais que atuam nos inquérito e processos em Curitiba, São Paulo ou Brasília, as três praças em que se divide hoje a Lava Jato. No caso de foro privilegiado, as informações passam pelo ministro Teori Zavascki, seus juízes auxiliares e assessores, o procurador-geral Rodrigo Janot e sua extensa equipe, além dos delegados federais que atuam junto ao Supremo em Brasília.
Com tanta gente envolvida, como identificar os autores de algum vazamento? É muito difícil, mas para o procurador Janot seria até fácil. Culpou logo o delator Léo Pinheiro, e estamos conversados. Foi uma imprudência.
MENSAGENS DE CELULAR – Os vazamentos ocorrem em jornais, emissoras de TV e revistas, indistintamente. Em janeiro, a TV Globo divulgou mensagens de celular mostrando que a rede de contatos da OAS abrangia integrantes dos três poderes da República – Executivo, Legislativo e Judiciário. Nas mensagens, políticos chegam a cobrar ao então presidente da OAS as propinas que tinham sido prometidas por ele.
A delação de Léo Pinheiro tornou-se particularmente importante porque ele é o empreiteiro de maior proximidade pessoal com as cúpulas e os figurões dos três Poderes. Por isso, a inoportuna decisão de Janot provou imediatamente retrocesso nas investigações e fez a felicidade de muitos corruptos, porque os depoimentos anteriores de Pinheiro já estão sendo devolvidos e não mais servirão como provas para condenar os envolvidos.
O mais interessante é que o principal atingido, Dias Toffoli, não se defendeu com firmeza e até anunciou que não pretende processar a Veja por ter denegrido sua honra. Aliás, essa nem foi a primeira vez que seu nome surgiu na Lava Jato.
REAÇÕES ESTAPAFÚRDIAS – Enquanto Toffoli se recolhia, certamente por não saber até que ponto vão as informações de posse da Veja, o procurador Janot assumia precipitadamente a defesa do ministro do Supremo e reagia atabalhoadamente, digamos assim.
Logo em seguida, o ministro Gilmar Mendes, que é amigo íntimo de Tofolli, acionou a metralhadora giratória e saiu atacando a Lava Jato e a Procuradoria. E na quarta-feira o também ministro Marco Aurélio Mello veio à tona para defender a atuação da República de Curitiba e exigir que o vazamento seja investigado.
Ou seja, a crise institucional da Lava Jato enfim se instalou, para atrapalhar os inquéritos e fazer a festa dos  envolvidos no esquema de corrupção. Mesmo assim, la nave va, singrando fellinianamente o mar de lama.

25 de agosto de 2016
Carlos Newton

IBOPE REVELA DESABAMENTO DO PT TANTO NO RIO QUANTO EM SÃO PAULO


Resultado de imagem para DECADENCIA DO PT CHARGES
Charge do Millôr, reproduzida do Arquivo Google

















A primeira pesquisa do Ibope. Feita por encomenda da Rede Globo para prefeitos do Rio e da cidade São Paulo – objeto de reportagem de Ruben Berta e Juliana Castro, O Globo, edição de quarta-feira – destaca as lideranças de Marcelo Crivellae Celso Russomano, respectivamente, mas sobretudo o desabamento do PT nas duas maiores cidades do país. No Rio, Jandira Feghali (PCdoB–PT) aparece com 6 pontos. Na capital paulista, o prefeito Fernando Haddad, que tenta a reeleição, registra somente 9 por cento das intenções de voto. Muito pouco.
CRIVELLA E RUSSOMANNO – A comparação é inevitável. No Rio de Janeiro, Marcelo Crivella emerge com 27 por cento, o que, a meu ver, assegura sua presença no segundo turno. Em São Paulo, Russomanno alcança 33 por cento das intenções de voto. Ambos, portanto, muito distantes dos candidatos do Partido dos Trabalhadores. O PT, como os números provam , deixou de ser uma legenda que acrescenta prestígio. Passou a representar o efeito contrário. Os eleitores e eleitoras iniciam um processo de forte rejeição à legenda.
Principalmente no caso paulista, uma vez que Fernando Haddad tem a seu favor diretamente o peso da máquina administrativa.
No Rio, o prefeito Eduardo Paes, como o Ibope acentua, não está conseguindo influir na decolagem de seu candidato, Pedro Paulo. Aparece em segundo Marcelo Freixo, candidato do PSOL, um ponto à frente de Flávio Bolsonaro, que parece encontrar-se no seu teto. Freixo possui mais espaços a percorrer.
Se eu tivesse que apontar um desfecho, hoje, colocaria Crivella e Freixo num provável segundo turno. O senador vem de várias disputas majoritárias, o que torna seu nome mais conhecido. Se não apenas isso o favorecer na largada, tem que se levar em conta, com bom peso, o apoio que direta ou indiretamente recebe da Record, segunda rede de televisão do país, e da Igreja Universal.
INDEFINIÇÃO – Mas da mesma forma que futebol se ganha no campo, eleição se vence ao longo da campanha. Depende assim dos temas adotados pelos candidatos e candidatas e da forma com que vão abordá-los nos 35 dias que precedem ao comparecimento ás urnas.
Ninguém vence de véspera, mas a pesquisa que o Ibope realizou para a Rede Globo e o jornal O Estado de S. Paulo mostra Russomanno com 33% e Marta Suplicy com 17 pontos. O tucano João Dória aparece empatado com Luiz Erundina, do PSOL, com 9 pontos cada.
TUCANOS DIVIDIDOS – Dória tem apoio do governador paulista e sua vitória será imprescindível para possibilitar a candidatura de Geraldo Alckmin à Presidência em 2018. Por isso, Os outros dois pré-candidatos, Aécio Neves e José Serra, não fazem a menor força para eleger Dória.
Serra, Aécio e Alckmin são correligionários até certo ponto. Prudentemente, o presidente Michel Temer não deve participar das campanhas dos candidatos do PMDB. Uma derrota provável no Rio. Com Pedro Paulo, e uma possível perda com Marta Suplicy, em São Paulo.

25 de agosto de 2016
Pedro do Coutto

FOLHA DIZ QUE, ALÉM DE TOFFOLI, OUTROS DOIS MINISTROS DO SUPREMO FORAM INVESTIGADOS

Resultado de imagem para supremo  charges
Charge do Ivan Cabral (ivancabral.com.br)



















O governo de Michel Temer acompanha com lupa a crise entre o Ministério Público Federal e o STF (Supremo Tribunal Federal). E tem informações de que procuradores tentaram investigar, além do ministro Dias Toffoli, também assessores e familiares de outros dois magistrados da corte. O Supremo trabalha com a mesma informação.
O governo tem conhecimento ainda de que um racha contrapõe hoje procuradores federais ligados a Rodrigo Janot, em Brasília, ao grupo que toca a Operação Lava Jato em Curitiba. As divergências são antigas e já tiveram momentos até mais críticos.
A divisão poderia estar na origem do vazamento da informação de que Dias Toffoli aparecia nas tratativas de delação premiada da empreiteira OAS.
SOPA RALA – O grupo de Janot era contra a inclusão do nome de Toffoli no acordo, já que as informações preliminares dadas pela OAS não configuravam nenhum crime.
A suspeita é que, incomodados com a exclusão do nome de Toffoli da delação e sem ter como investigá-lo, já que o ministro tem foro privilegiado, procuradores do Paraná espalharam a informação do relacionamento dele com a OAS, que chegou ao conhecimento de jornalistas. Essa seria uma das origens do vazamento. Mas não obrigatoriamente a única. Janot trabalha com a possibilidade de que a empreiteira tenha divulgado dados.
Gilmar Mendes, do STF, citou o fato de que procuradores do Paraná chegaram a escrever artigo “achincalhando” Toffoli como sinal de que poderiam ter vazado dados contra o magistrado. Questionados, os procuradores não se manifestaram até a conclusão da coluna.
###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
 – As notícias sobre corrupção de ministros dos tribunais superiores já circulam há vários meses, desde a armação feita pela presidente Dilma ao nomear um ministro amestrado para o STJ com a missão de libertar Marcelo Odebrecht e outros empreiteiros. A manobra veio à tona e foi desarmada no tribunal, um vexame completo que acabou causando o processo aberto contra Dilma e Lula no Supremo. Depois, o assunto se robusteceu dia 2 de julho, quando o jornalista Jorge Bastos Moreno publicou em O Globo que um dos mais famosos advogados do país está fazendo delação e já entregou nomes de ministros desses tribunais que se envolveram em manobras “pouco republicanas”. Agora, Mônica Bergamo volta com idêntica informação, sinal de que a batata está esquentando, como se diz popularmente. E a notícia confirma o que publicamos aqui na TI, dando conta de que na verdade eram três os ministros investigados. (C.N.)


25 de agosto de 2016
Mônica Bergamo
Folha

SUPREMO AJUDA A UNIÃO A ABRIR PROCESSOS CONTRA OS ENVOLVIDOS NA LAVA JATO


Resultado de imagem para Medina osorio
Osório, da AGU, exige que corruptos indenizem a União















O ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, autorizou o compartilhamento com a AGU (Advocacia-Geral da União) de processos contra políticos. O pedido da AGU foi feito em inquéritos que já geraram denúncias ao Supremo, com o objetivo de obter informações que possam embasar futuras ações de ressarcimento e improbidade administrativa contra políticos acusados de participar do esquema de corrupção da Petrobras.
Nesta quarta-feira (24), Teori despachou nesses inquéritos, determinando o compartilhamento do material com a AGU, com o envio de mídia digital.
É o caso de denúncias já feitas, por exemplo, contra a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e contra o deputado Aníbal Gomes (PMDB-CE), embora ambos neguem as acusações de recebimento de propina.
MEDINA OSÓRIO – As petições foram assinadas pelo próprio advogado-geral da União, Fábio Osório Medina. Nas petições, Osório pede para a AGU ser informada a respeito de apurações que “resultem na constatação de desvio, malversação de recursos públicos ou lesão ao erário”, além de autorização para usar as provas produzidas em futuras “medidas judiciais de natureza civil e administrativa”.
Esta é a primeira vez que a AGU toma esse tipo de iniciativa, desde que a Operação Lava Jato foi iniciada, em março de 2014.

25 de agosto de 2016
Aguirre Talento
Folha

DEPOIS DA MANCADA DE SUSPENDER A DELAÇÃO DA OAS, JANOT TENTA "MOSTRAR SERVIÇO"



Charge do Aroeira, reprodução do Portal O Dia



















A Procuradoria-Geral da República investiga 364 deputados, senadores, ministros, entre outros políticos e supostos cúmplices suspeitos de envolvimento em desvios de dinheiro da Petrobras ou na tentativa de atrapalhar as investigações sobre o assunto. As investigações estão sendo conduzidas em 81 inquéritos pedidos pelo procurador-geral Rodrigo Janot e autorizadas pelo ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF). Os inquéritos já resultaram na abertura de 14 denúncias.
As informações foram divulgadas pela Procuradoria-Geral nesta quarta-feira. Os números mostram crescimento expressivo de inquéritos e de investigados, desde que as investigações da Lava-Jato chegaram ao STF no início do ano passado. Em março do ano passado, depois de criar um grupo de trabalho especialmente para investigar políticos com foro suspeitos de envolvimento nas fraudes na Petrobras, Janot pediu e Zavascki autorizou a abertura de 28 inquéritos contra 54 pessoas. Menos de dois anos depois, o número de inquéritos é quase três vezes superior ao inicial.
INVESTIGADOS – Entre os alvos das investigações do procurador-geral estão a presidente afastada Dilma Rousseff, os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Fernando Collor (PTB) e José Sarney (PMDB), o presidente nacional do PSDB Aécio Neves (MG), o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), P), o senador Romero Jucá (PMDB-RR) e o banqueiro André Esteves. A Procuradoria-Geral pediu, sem sucesso, a prisão de Renan, Sarney e Jucá. Os pedidos foram negados.
Janot também pediu a prisão de Cunha, mas ainda não há deliberação de Zavascki sobre o caso. O procurador-geral também pediu e obteve a prisão do ex-senador Delcídio Amaral, que à época era líder do governo Dilma no Senado. Foi a primeira prisão de um senador desde a promulgação da Constituição de 1988. Ao longo das investigações, o STF autorizou a quebra de 147 sigilos fiscais, 168 sigilos bancários e 121 telefônicos.
O STF já homologou também 41 acordos de delação premiada. A partir das investigações avalizadas pelo STF, a Procuradoria-Geral obteve a repatriação de R$ 79 milhões. Ao todo, a Lava-Jato contabiliza o retorno do exterior de R$ 659 milhões desviados de contratos entre a Petrobras e empreiteiras, entre outras grandes empresas.
###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG 
– Depois da mancada na suspensão do acordo de delação do empreiteiro Léo Pinheiro, que causou um impressionante retrocesso nas investigações, Janot se apressa em divulgar as estatísticas da Lava Jato, para mostrar serviço.  Melhor faria se reconhecesse o erro e restabelecesse logo as negociações com o ex-presidente da OAS, para que as revelações já feitas por ele possam ser usadas como provas. Mas a vaidade não permitirá que admita ter cometido um equívoco de tamanhas conseqüências. (C.N.)


25 de agosto de 2016
Jailton de Carvalho
O Globo

DECEPÇÃO CRESCENTE COM A POLÍTICA LEVA MUITOS ELEITORES A DESISTIREM DE VOTAR

Charge do Duke (dukechargista.com.br)


A lamentar profundamente que o povo não tenha recursos a apresentar à “Justiça” para se ver livre de governos como o de Lula e Dilma. Agora, não entendo como governantes desta espécie, como os dois ex-presidentes petistas, ainda possuam tanta consideração por parte da população, se o Brasil contabiliza – por culpa de ambos, exclusivamente – quase 13 milhões de desempregados, dezenas de milhões de inadimplentes, não só por causa da falta de trabalho, mas também pelo juros extorsivos, sendo o sistema financeiro a elite mais defendida e protegida do PT, razão pela qual os bancos tiveram períodos em que mais lucraram na história econômica brasileira, enquanto se instalavam a recessão econômica e o caos na política, com os serviços de educação, saúde e segurança em seus piores momentos “republicanos”.

Evidente que temos sido explorados desde sempre, mas querer repetida e exaustivamente compensar os crimes do casal de mafiosos alegando os crimes de governantes anteriores e de seus partidos, a meu ver isso demonstra apenas uma tentativa perniciosa e nefasta de amenizar os males que Lula e Dilma praticaram contra a cidadania e o país.

ELEITORES FRUSTRADOS – Muitos brasileiros estão decepcionados e já falam em deixar de votar, mas isso só favorece aos petistas, pois grande parte do povo, sem acesso a um ensino público de qualidade e sem preparo intelectual, ainda prefere eleger esses criminosos.

O correto seria que todos nós deixássemos de votar, conforme tem sugerido o comentarista Carlos Cazé, que defende categoricamente a ausência do eleitor em dia de votações. Mas o diabo será a repetição do que aconteceu com a eleição da Dilma Rousseff, que nos arrasou econômica e socialmente, porque naquela ocasião mais de 30 milhões de brasileiros não votaram, e deu no que deu.

ROUBARIAM MENOS – É claro que isso não quer dizer que o candidato Aécio Neves fosse a solução, mas os tucanos não teriam coragem de assaltar a Petrobrás como fez o PT, com negociatas grotescas como a compra da refinaria em Pasadena, mediante ordens diretas da presidente afastada, muito menos roubariam tanto os fundos de pensão e armariam golpes abjetos como os empréstimos consignados.

Roubariam, também, mas em valores menores, quantias que sempre foram absorvidas pela política corrupta e desonesta que é praticada no Brasil, até o dia em que a Justiça decida funcionar e passe verdadeiramente a limpo a política e a administração pública deste país.

COMPRA DA REELEIÇÃO – Aliás, se o Ministério Público Federal tivesse tomado providências, quando houve acusações seguras de que deputados haviam sido comprados para votar a favor da emenda da reeleição, à época de Fernando Henrique Cardoso, e não teríamos os pesadelos em dobro com Lula e Dilma.

Portanto, esta é a minha dúvida, que se situa entre ter cão e não ter cão, ou seja, devo votar ou não?! Por enquanto, deixarei de ir à capital do meu RS para votar nas eleições municipais, pois pretendo justificar o voto. Quanto à próxima eleição presidencial e demais cargos federais e estaduais, aguardarei os candidatos e a situação da política no ano que vem.

25 de agosto de 2016
Francisco Bendl

DENUNCIADA NA LAVA JATO, GLEISI DIZ QUE SENADORES NÃO TÊM MORAL PARA JULGAR



Aqui, notícia sobre o rififi provocado pela declaração da senadora Gleisi Hoffmann (PT- PR).



25 de agosto de 2016
Josias de Souza

SENADORES QUEREM EVITAR TUMULTO DURANTE O DEPOIMENTO DE DILMA ROUSSEFF


Resultado de imagem para dilma plebisito charges
Charge do Pataxó (pataxocartoons.blogspot.com)
















No início da sessão do julgamento do impeachment da presidente Dilma Rousseff, senadores já estão mais preocupados com a etapa de segunda-feira (29), quando a presidente afastada, Dilma Rousseff, fará sua defesa diretamente no plenário do Senado.
O receio é com o comportamento da advogada de acusação, Janaína Paschoal, que pode fazer perguntas para a petista. Pelo seu estilo inflamado, o temor é que ela faça provocações à presidente afastada, tumultuando a sessão. A advogada acompanhará o processo do plenário do Senado. Ela chegou pontualmente à sessão desta quinta (25).
Um senador aliado de Temer disse que iria conversar com seus colegas para tentar evitar que Janaína Paschoal seja a escolhida, entre os advogados de acusação, a fazer questionamentos para Dilma Rousseff. Além dela, compõem o grupo os advogados Hélio Bicudo e Miguel Reale Jr.
VIRAR UM CIRCO – O receio era partilhado também pela equipe de defesa da presidente afastada. Reservadamente, senadores petistas diziam que a sessão da próxima segunda-feira pode virar um circo, diante do histórico de atuações polêmicas da advogada Janaína Paschoal durante as outras etapas do processo de impeachment.
Durante a análise do processo na Comissão Especial do Senado, Janaína chegou a bater boca com alguns senadores e fez discursos fortes, com ataques a Dilma.
Os senadores querem evitar que o processo seja ridicularizado pela população caso os senadores percam o controle e acabem se exaltando e a sessão seja comparada ao que aconteceu na Câmara dos Deputados, quando a abertura do processo foi aprovada.
AGENDA – A sessão do julgamento final começou nesta quinta com meia hora de atraso, às 9h33. Hoje, os senadores apresentarão questionamentos ao processo e depois ouvirão parte das testemunhas. Primeiro, serão ouvidos as duas indicadas pela acusação e, em seguida, as seis indicadas pela defesa. A expectativa é de que essa fase acabe na madrugada de sexta para sábado.
Na semana que vem, os parlamentares ouvirão a defesa pessoal de Dilma e a apresentação final dos advogados. Depois, cada um dos 81 senadores poderá discursar por 10 minutos. Só então eles iniciarão a votação que selará o destino de Dilma.

25 de agosto de 2016
Valdo Cruz, Mariana Haubert e Débora Álvares
Folha

FUTEBOL E CAÇADA


Carl Sagan explica: o futebol fascina porque ele evoca as caçadas ancestrais que permitiram ao homem sobreviver e criar a civilização. Na caçada, predominavam, ao mesmo tempo, o espírito coletivo - em que todos eram responsáveis pela vida do companheiro (a atuação em grupo era imprescindível para atingir-se o objetivo final da caçada, o abate do animal) - e o lance individual do caçador com dons e atributos privilegiados, aquele caçador que, quando tudo parecia perdido e irreversível, garantia a captura do animal, num lance de gênio, a lança certeira, o salto ágil, o olhar atento, o ouvido apurado, a manobra maliciosa.

Isto pode explicar porque o futebol mobiliza bilhões de pessoas em todo o planeta. Não fosse isto, nenhuma campanha de marketing, ou propaganda bem feita, conseguiria explicar ou manipular a paixão do homem pelo futebol. São as memórias ancestrais do ser humano.

Salto com vara é bonito? É. Bater um record olímpico é louvável? É. Mas não basta.



25 de agosto de 2016
Miriam Macedo


NOTA AO PÉ DO TEXTO

Que ficou uma crônica bonita, isso lá ficou... Mas não convence muito essa memória ancestral de caçada coletiva com o lance final da morte da presa, apoiada pelo espírito do coletivo... 
Sei não... Algum elo ficou exagerado nesta busca do imaginário que alimentou o inconsciente do homem primitivo, e que resultou na transformação do futebol em espetáculo de multidão. Fico com o marketing esportivo e os interesses de empresários que lubrificam a máquina.
O gol não representa apenas a vitória de uma equipe, mas a glória de quem o faz (e sobretudo de quem o patrocina). 
O animal abatido não pertence a equipe, mas a quem o abateu...
Observo que em alguns lances, quando o mérito maior é de quem conduziu com malabarismos e firulas e preparou toda a finalização, até a bola balançar a rede adversária, o que deu o chute final, muita vezes um verdadeiro mamão com açúcar, recebe os louros e os abraços, e fica esquecido aquele que armou e preparou o final glorioso. A foto é solitária e mostra apenas o herói consagrado com o gol... E, acrescente-se, que o valor do seu passe sobe alguns milhões.
Fico com o marketing, que alimenta o inconsciente competitivo do homem (o animal solitário que disputa a maior quantidade de alimento e a melhor fêmea) e o transforma no ideal de conquista social e riqueza.

E ao ficar com o marketing, desprezo a belíssima e poética metáfora da caçada coletiva, que elege o melhor guerreiro e finalizador  do abate do animal. 
Que me perdoe Carl Sagan, mas o pragmatismo e o dinheiro não exigem rima nem imaginação...
No mais...
m.americo

STF, JANOT E A FARSA CHAMADA BRASIL

Bem amigos, estou de saco tão cheio que nem ânimo para escrever no cafofo eu tenho.
À cada dia que leio ou ouço a imprensa fico ainda mais desacreditado deste país, agora a Lava Jato foi para o saco. 

Enquanto ela batia apenas nos empresários e peixes pequenos andava com uma celeridade impar, bastou esbarrar nos peixões de colarinho branco, conhecidos como excelências...ou excrescências tudo começou a parar.

Bastou chegar no congresso iniciou-se um verdadeiro combate para melar a operação, a última cartada foi dada pelo sabujo da PGR Rodrigo Janota, ele simplesmente mandou parar a delação premiada de um dos empreiteiros que é o responsável pela reforma do sítio e do drupex, dlupex, dupléqui, porra... Cobertura no Guarujá que são de propriedade sem ser dele do EX presidente Seboso.

Quando enfiaram e cassaram o Senador do PT, Delsuicídio Imoral, muita gente comemorou e acreditou que "agora vai", e tudo não passou de fumaça e vingança, ou uma lição para os outros congressistas, 

A situação toda aconteceu apenas pelo motivo que Delsuicídio colocou o nominho de alguns dos sabujos do STF metidos no imbróglio. Coisa que eu comentei neste humilde Blog.
E as denúncias e o comportamento vagabundo sobre os Sabujos togados não pararam, então montaram uma força tarefa para barrar as operações e deixar para lá.

E na batida que vai não veremos mais operações da PF com nomes dos mais criativos possíveis em busca dos corruptos do congresso.

E como se dizia nas terças feiras de carnaval ao final dos bailes, "Quem beijou beijou, quem não beijou não beija mais".

A operação está sendo esvaziada, sinto que o juiz Moro está entrando na vaidade, virou celebridade, não para mais de ir a palestras e viajar pelo Brasil, até no exterior. Sei que a força tarefa tem muita gente por trás do juiz, mas ele é o pilar dessa operação. E o nome dele anda sumido nos noticiários. Preocupante...

Quando vejo a calma e a postura de "não é comigo" da Senadora Gleisi Chatapracaraleo Hoffman, percebo que está tudo dominado. O marido da senadora e EX ministro do governo do Seboso caiu na tranca por corrupção e rapidinho o Sabujão do STF mandou solta-lo. Isso prova que está tudo dominado a ponto de dar tranquilidade a senadora a ponto dela ser a pessoa mais irritante de Brasília e não dar demonstração de que em uma condição séria poderia ir para a cadeia.

Essa atitude de barrar a delação de Leo Pinheiro, de não investigarem Renan Canalheiros, não prenderem Eduasno Cunha, é a prova de que a Lava Jato está morrendo, e como no mensalão os peixes pequenos serão punidos e os políticos ficarão livres leves e soltos.

Temeroso está presidente, e o que vemos, nada, porra nenhuma, ele não fez a esperada limpeza no funcionalismo, está refém do PSDBosta e do DEM, partidos tão imundos quanto o PT ou outro qualquer do Bananal.

Sinceramente tenho receio quando o IMPIXÁ da Jumenta sair e Temeroso se sentir realmente na cadeira da presidência o pacotão de trolhas que enfiarão rabo a dentro do povo para recuperaar a economia quebrada pela inciomPTência e safadeza dos ratos vermelhos.

Não vejo mais força na Lava Jato, a população parece que está satisfeita com o IMPIXÁ que ainda não aconteceu, passaram o papel de pensar para os políticos, lavaram as mãos e como sempre, estão em festa, seja qual for.

O povo saiu das ruas a ponto do Sabujice Togada Fedemal colocar as garras de fora e começar a legislar de qualquer maneira, atropelaram a moralidade a ética e a constituição, e pau na bunda do povo.

As operações, as investigações sobre a corrupção, a lei da ficha limpa, e outro movimento popular que é a lei de combate a corrupção foram avacalhados, achincalhados e enterrados. Irão enrolando o povão até outubro que é eleição, e depois enrolam até 2018 e muito provavelmente o Seboso ou alguém de sua confiança sobe a rampa do Planalto perpetuando essa esquerda vagabunda no poder.
O que assusta de verdade é ver a inércia e a covardia do povo, ninguém quer dar a cara a tapas, todos reclamam, principalmente nas redes sociais que é muito mais confortável e esperam que o vizinho vá para a rua protestar por ele.

Estamos entregues as moscas, mais por merecimento do que por sacanagem dos políticos, uma vez que o político é o reflexo de seu eleitor, e eleitor que vota em bandido é o que mesmo?
O dia da votação do IMPIXÁ se aproxima, não sei se a Jumenta vai ser defenestrada do poder por uma larga margem de votos, e para falar a verdade, com o comportamento do Temeroso tenho minhas dúvidas quanto ao pé na bunda magra da Dentuça. Muito senador está propenso a mudar de voto por conta da inércia e da mesmice que é o empossado temporariamente Temer.

Eu, particularmente acredito que Temer, caso seja realmente emplacado como presidente em exercício do Bananal, ele deveria declarar que NÃO é candidato a reeleição, que vai ficar nesse mandato tampão e entrega o cargo para aquele que for eleito em 2018, isso acalmaria o mercado e daria mais lisura para o mandato do marido de Dª marcela.

Com tudo o que está ocorrendo no STF, na PGR e no congresso nacional percebo que as instituições são uma fraude contra o povo e o Brasil não passa de uma farsa.

Se preparem, os que ainda tem amor a pátria e capacidade em se indignar, pois o Brasil vai derrapando até atolar de vez no atraso do socialismo bolivariano do Foro de San Pablo.
Não aparecem novas lideranças, os candidatos as eleições que se aproximam são mais do mesmo e parte da sujeira política que arrasa o país.

Bolsonaro é aa unica voz destoante do mantra vagabundo que domina a classe política e o único realmente de direita que temos no Brasil. Mas, o políticamente correto abomina o deputado pelo fato dele ser de direita, faalar o que pensa e não ser políticamente correto no conceito das esquerdas e dos babacas de plantão.

E assim caminhamos para a manutenção terceiro mundista em nossas vidas.

E o SEBOSO não vai para a tranca!!!
E se bobear em 2018 ele volta nos braços do povo burro como o grande salvador da pátria de chuteiras.


25 de agosto de 2016
o mascate