"Quero imaginar sob que novos traços o despotismo poderia produzir-se no mundo... Depois de ter colhido em suas mãos poderosas cada indivíduo e de moldá-los a seu gosto, o governo estende seus braços sobre toda a sociedade... Não quebra as vontades, mas as amolece, submete e dirige... Raramente força a agir, mas opõe-se sem cessar a que se aja; não destrói, impede que se nasça; não tiraniza, incomoda, oprime, extingue, abestalha e reduz enfim cada nação a não ser mais que um rebanho de animais tímidos, do qual o governo é o pastor. (...)
A imprensa é, por excelência, o instrumento democrático da liberdade." Alexis de Tocqueville
(1805-1859)

"A democracia é a pior forma de governo imaginável, à exceção de todas as outras que foram experimentadas." Winston Churchill.

quinta-feira, 16 de julho de 2015

E AS FALCATRUAS TAMBÉM SÃO MONITORADAS? ENTÃO, O QUE FOI QUE ACONTECEU?

LULA E JOSÉ DIRCEU SE DESENTENDEM POR CAUSA DO PETROLÃO


Os dois líderes históricos do PT não conversaram desde que o escândalo ganhou corpo. "Vocês me abandonaram há tempos", diz Dirceu

DIGITAIS – Dirceu, apontado como padrinho do diretor da Petrobras envolvido no esquema, queria combinar com Lula uma estratégia de defesa(Joel Rodrigues/Frame/VEJA)

Faz tempo que o escândalo de corrupção na Petrobras serve de combustível para o fogo amigo dentro do PT. No ano passado, petistas que comandavam o movimento "Volta, Lula" criticaram a presidente Dilma Rousseff por admitir que aprovara a compra da refinaria de Pasadena com base num relatório falho. Com o gesto de sinceridade, Dilma teria levado a crise para dentro do Palácio do Planalto, segundo seus adversários internos, e demonstrado uma ingenuidade e um amadorismo capazes de pôr em risco a permanência do partido no poder. No afã de tirá-la da corrida eleitoral, aliados de Lula também acusaram a presidente de traição ao responsabilizar a antiga diretoria da Petrobras, nomeada pelo antecessor, pelos desfalques bilionários nos cofres da companhia. Como o "Volta, Lula" não decolava e a sucessão presidencial se anunciava acirrada, os petistas selaram um armistício até a eleição. Mas, com Dilma reeleita, retomaram a disputa fratricida. O motivo é simples: estrelas do PT serão punidas novamente - agora no petrolão. Resta saber quem pagará a conta. Com as prisões do mensalão ainda frescas na memória, ninguém está disposto a ir para o sacrifício.

A tensão decorrente das investigações e do julgamento do esquema de corrupção na Petrobras colocou em trincheiras opostas as duas mais importantes lideranças históricas do PT: Lula e seu ex-ministro José Dirceu. Tão logo os delatores do petrolão disseram que o ex­diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque recolhia propina para o partido, Dirceu, o padrinho político de Duque, ligou para o Instituto Lula e pediu uma conversa com o ex-presidente. O objetivo era se dizer à disposição para ajudar os companheiros a rebater as acusações e azeitar a estratégia de defesa. Conhecido por deixar soldados feridos pelo caminho, Lula não ligou de volta. Em vez disso, mandou Paulo Okamotto, seu fiel escudeiro, telefonar para Dirceu. Assim foi feito. "Do que você está precisando, Zé?", questionou Okamotto. Dirceu interpretou a pergunta como uma tentativa do interlocutor de mercadejar o seu silêncio. À mágoa com Lula, que o teria abandonado durante o ano em que passou na cadeia, Dirceu acrescentou pitadas de ira: "Você acha que vou ligar para pedir alguma coisa? Vocês me abandonaram há tempos", respondeu. E fim de papo.

Diretor do Instituto Lula, Okamotto é frequentemente convocado pelo ex­-presidente para cumprir missões espinhosas. Ele atuou, por exemplo, para impedir que as investigações sobre o mensalão chegassem ao chefe. Em depoimento ao Ministério Público Federal (MPF), o empresário Marcos Valério disse ter sido ameaçado de morte por Okamotto. O recado foi claro: ou Valério se mantinha em silêncio ou pagaria caro por enredar Lula na trama. O Supremo Tribunal Federal (STF) condenou Valério, o operador do mensalão, a 37 anos e cinco meses de prisão. Logo depois de as primeiras penas serem anunciadas, Valério declarou ao MPF que Lula se beneficiara pessoalmente do esquema. No mesmo processo, Dirceu foi condenado por corrupção a sete anos e onze meses de prisão. O petista já deixou a cadeia e, por decisão da Justiça, cumpre o resto da pena em regime domiciliar. Ao telefonar a Lula, ele quis deixar claro a necessidade de o governo e o PT organizarem uma sólida estratégia de defesa no petrolão. A preocupação tem razão de ser.

Delatores do petrolão disseram às autoridades que Renato Duque recolhia 3% dos contratos da diretoria de Serviços da Petrobras para o PT. No âmbito de um acordo de delação premiada, Pedro Barusco, que era o adjunto de Duque, disse que o ex-diretor recolheu propina em pelo menos sessenta contratos. Barusco também implicou o tesoureiro nacional do PT, João Vaccari Neto, na coleta de dinheiro roubado dos cofres da Petrobras. Outros delatores, como empreiteiros, afirmaram que a dinheirama surrupiada financiou campanhas petistas. Há provas fartas contra o partido. É certo que haverá punições. E é justamente isso que faz a briga interna arder em fogo alto. Dilma mantém o discurso de que nada tem a ver com a roubalheira. Executivos nomeados por Lula e demitidos por sua sucessora, como o ex­-presidente da Petrobras Sergio Gabrielli e o ex-diretor Nestor Cerveró, não aceitam ser responsabilizados. O mesmo vale para Dirceu, que não quer correr o risco de voltar à Papuda.

16 de julho de 2015
Daniel Pereira

"MALANDRO É MALANDRO, MANÉ É MANÉ..." (BEZERRA DA SILVA)

Nenhum país do mundo que se preze tem menos de dois serviços secretos. Israel tem cinco e os Estados Unidos o mesmo número, distinguindo-se a ultrassecreta Nasa militar, repartição oculta da Nasa civil, tão admirada no mundo inteiro por suas proezas espaciais. Foi essa agência encarregada do famoso projeto "Guerra nas Estrelas", escudo antimísseis continentais que pôs a pique a União Soviética e todo o sistema comunista então vigente no Leste Europeu, até 1989.
O sempre desmoralizado pela esquerda internacional, o presidente Ronald Reagan liquidou o muro de Berlim e precipitou a queda do regime soviético então dirigido por Mikhail Gorbachev (1992).
A KGB, polícia secreta soviética aparentemente dissolveu-se e resgatando seus fundos secretos na Suíça montou as máfias econômicas e oligarquias que hoje comandam a Rússia e são simbolizadas pelo ex-chefe dessa mesma agência, o eterno "czar" Alexander Putin.
É assim, em rápidas pinceladas que o mundo funciona. Mesmo nos Estados Unidos, há uma escala de informações secretas dos níveis 1 a 17 e o próprio presidente só é cientificado até o nível cinco, porque os serviços secretos sustentam sempre a possibilidade de que um homem, mesmo no comando de uma Nação de força global, possa enlouquecer...
No Brasil, porém, temos uma agência que tenta copiar os serviços secretos do resto do mundo, mas é uma caricatura grotesca, constituída por servidores públicos a ela alçada por concurso e arapongas de ocasião. Ambos os grupos fazem clipes de notícias velhas de jornal e grampeiam telefones. Servem apenas informes à presidência no café-da-manhã, trazendo relatórios que nem sempre antecipam acontecimentos, como os das últimas semanas, que deixaram o governo perplexo e o poder vigente com a cara no chão.
Nossa presidenta "incompetenta" gelou com a queda vertiginosa de sua popularidade, após tantos meses de governo mentindo sistematicamente para o povo, tal como o seu antecessor, o Sr. Lula da Silva Rosa Diamante.
Apesar disso tudo, porém, o Brasil ainda tem Forças Armadas, embora dirigidas por "machões" do Itamaraty que cuidam diligentemente de assegurar os parâmetros do revanchismo petista contra os militares, chamando pomposamente a estratégia de pôr sobre controle civil as instituições militares através de um pretensioso ministério da Defesa.
Examinando-se bem, entretanto, os organogramas dessas Forças, descobriremos que estão intactas as estruturas afirmativas de seus comandos e estados-maiores. E aí surge um fenômeno subterrâneo, embora não oculto, que são os serviços secretos e reservados das Forças Armadas, subdivididos em graus, funções e missões.
Nossa inteligência militar não foi – graças a Deus – destruída, invadida ou desmantelada pela máquina de corrupção petista, que não conseguiu romper ou dividir os militares, em nenhum de seus escalões. Nem a tal "Comissão da Verdade", uma pantomima macabra que apura só um lado do passado entre 1964 e 1985[1][1] pôde intimidar a atividade castrense que se manteve altiva e independente, apesar de todos os descalabros e a montanha de irregularidades que temos assistido, praticados pela administração há dez anos.
Aliás, como uma ex-guerrilheira poderia fazer de outro modo? Guerrilheiros e terroristas, que se especializaram em destruir, como é que por milagre haveriam de construir alguma coisa? Como um governo com 39 ministérios e 23 mil cargos em comissão poderia não produzir um rombo imenso nas contas públicas e fazer retornar a malsinada inflação, de cuja lembrança os mais velhos têm as piores e dantescas recordações?
Pois a voz das ruas fez-se pesar e o governo petista, na sua malandragem típica, tentou forçar as Forças Armadas a entrar na briga, gerar mais insegurança interna e, a posteriori, os malandros de alto escalão iriam chamar de fascistas os dois grupos, os arruaceiros reivindicadores das ruas e os militares que os venceriam por gravidade...
Ora, a inteligência militar, ou seja, gente especializada, criteriosa e discreta, que sabe distinguir informe de informação, avisou ao governo de que não iria embarcar nessa canoa furada. O petismo não iria se escorar em quem sempre desprezou e de quem no fundo tem medo atávico. Afinal de contas, ex-terrorista, mesmo no governo, tem medo da polícia e dos militares. Sempre acha que poderá ser enquadrado, como em épocas pretéritas.
"Cumpra-se a lei" – oferece ao governo o conselho da inteligência militar. A Aeronáutica sabe muito bem das viagens "imprecisas" da dona Rose Diamante no Aerolula. Dos movimentos dos mensaleiros e até ofereceu proteção especial ao ministro Joaquim Barbosa, à revelia da cúpula governamental.
Os mesmos que mataram o prefeito Celso Daniel já não podem fazer o mesmo contra o ministro Joaquim Barbosa. Os falcatrueiros que querem se manter no poder a qualquer preço vão ter que seguir os trâmites da democracia em que eles fingem acreditar.
A inteligência militar está intacta, assim como a base da Polícia Federal, que tem um contingente enorme de gente ousada e bem-intencionada. Sem falar nos jovens procuradores do Ministério Público que eles tentaram amordaçar a qualquer preço. Com esses grupos o petismo não poderá contar, porque os malandros foram adivinhados.
E malandro adivinhado vira Mané. As estratégias estão se esgotando e a nossa incompetenta presidenta e seu arsenal de prestidigitações está praticamente liquidado. Se eles contavam com o povo das ruas – mesmo aquele encabrestado pelo famigerado e ridículo programa bolsa-família – já não contam mais, diante da realidade dantesca da saúde, da educação e da segurança nas cidades brasileiras. Rodovias e circulação urbanas nem se fale, vez que a realidade está clamando e a corda em constrição pesa no pescoço do governo.
Se os malandros não podem contar com as Forças Armadas, cujos oficiais-generais foram alertados pela inteligência do perigo iminente, vai perceber em breve a debandada dos malandros do Congresso, principalmente os do PMDB, que não querem também ser Manés. E plebiscito e referendo são coisas de Manés...
Parece que o país está mudando mesmo. O povo não acredita mais em balelas porque já sofreu muito; os militares vão ficar fora do processo, alertados a tempo dos vícios do governo; os juízes, se puderem, vão pôr mesmo os mensaleiros na cadeia, inclusive o ideólogo-mor da tentativa de recubanização do Brasil, malograda em 1964 e 1970. Sem falar no ex-presidente, cujos crimes e desvios vão produzir um novo Mané...
O grupo que desejava se eternizar no poder, embora cheio de recursos dentro da Nação e no exterior, parece que não conseguirá mais lograr os seus intentos sobre as esperanças de milhares de brasileiros.
Nós temos uma Pátria e por ela seremos capazes de morrer. Não gosto de lemas, mas agora fica adequado aquele, cantado com vigor e firmeza por nossos militares: "Brasil acima de tudo!"
E para nós civis também...
E nem precisamos de cinco serviços secretos para ver o que é translúcido aos olhos dos homens de bem...
16 DE JULHO DE 2015
*Waldo Luís Viana é escritor, economista, poeta e já está realmente de saco cheio.
(Quero avisar aos incautos que meus artigos são recebidos por 22 mil formadores de opinião pública. Não tenham medo)

NOTAS POLÍTICAS DO JORNALISTA JORGE SERRÃO

Tendência é que Marcelo Odebrecht seja indiciado pela PF, e só aceite falar em juízo, mesmo que fique preso




$talinácio, que posa de censor virtual, nunca esteve tão temeroso e irritado. O tempo vai esquentar na friorenta Curitiba porque hoje é dia do primeiro interrogatório oficial do empreiteiro Marcelo Bahia Odebrecht à Polícia Federal e à Força Tarefa do Ministério Público Federal na Operação Lava Jato. Agora que o escândalo de corrupção começa a incomodar o andar mais alto da politicagem tupiniquim, fica no ar uma remota possibilidade de que Marcelo Odebrecht tome a sábia decisão de revelar algo relevante, afetado pela longa temporada preventiva na cadeia (desde 19 de junho).

O mais provável é que ele não "rode a baiana" e só fale em juízo e não aceite adesão a qualquer "colaboração premiada". A previsão é que Marcelo pouco fale ao delegado Igor Romário de Paula - que já revelou ter indícios concretos de que o dirigente máximo da Odebrecht tinha domínio completo de atos que levaram à formação de cartel, fraude em licitações e pagamentos de propinas a políticos em negociatas na Petrobras. Formalmente, ainda não existe qualquer denúncia contra o executivo do quinto maior grupo econômico do Brasil.

Marcelo é considerado um dos grandes amigos de Luiz Inácio Lula da Silva - o Presidentro Eterno do Brasil, que hoje torce mais pela queda da Dilma Rousseff que por uma vitória do seu Corinthians. Embora negue qualquer envolvimento com corrupção na Petrobras, Marcelo Odebrecht terá de se defender das acusações feitas na delação premiada de Paulo Roberto Costa. O ex-diretor de Abastecimento (da Petrobras ou da turma do Petrolão?), réu confesso, teria comprovado como recebeu propinas da empresa. Paulinho, como Lula o tratava, chegou a fazer parte do conselho da Brasken - petroquímica que é uma joint venture entre a Petrobras e o grupo transnacional baiano.

A coisa está tão feia que, no último encontro que tiveram, Lula teria dito a Dilma Rousseff e demais assessores dela: "Preparem-se porque as coisas vão ficar piores". Lula só espera, logo mais, que o amigo Marcelo não complique ainda mais a situação da petelândia... O grande temor de Lula e Dilma é que aconteça o pior: os pedidos de prisão contra Antonio Palocci Filho e José Dirceu de Oliveira e Silva. O medo concreto é que os renomados "consultores empresariais" percam a paciência e resolvam "trair" os aliados, comprometendo-os com as broncas processuais em andamento na Lava Jato.

No ar, ainda fica a pergunta que este Alerta Total fez na edição de 22 de junho: Marcelo Odebrecht terá coragem e sensatez de acabar com a Nova República fazendo delação premiada?


Releia: Dilma tentou saber de Lewandowski, em Portugal, se Palocci, Dirceu e Lula eram alvos da Politeia da Lava Jato


PMDB vem aí...


O casamento PT-PMDB deve ir mesmo para um divórcio litigioso.

O vice-presidente da República, Michel Temer, avisou ontem que o partido deve disputar o Palácio do Planalto em 2018.

Temer garante que o PMDB está aberto para novas alianças com todos os partidos desde que seja a cabeça de chapa.

Não foge não... Não foge, não!

“José Dirceu não vai fugir. Como se vê, ironicamente, seu local é tão certo e sabido, que até a imprensa aguarda a chegada da polícia federal em sua porta. Nada mais desnecessário”.

Assim o advogado de Dirceu, Roberto Podval, justifica, em seis páginas de pedido de habeas corpus preventivo, que seu cliente não volte para o cárcere, repetindo o que ocorreu após a condenação no Mensalão.

O advogado reclama da “tamanha a angústia” de Dirceu, “que, já com seus 70 anos e rotulado indelevelmente de inimigo público, não aguenta mais a situação a qual é submetido diariamente”.

Limpa com jornal...

O diário Brasil Econômico encerra suas atividades nesta sexta feira (17/7), com a demissão de pelo menos 33 profissionais de jornalismo.
O publisher Ramiro Alves teve o desprazer de comunicar aos funcionários o fechamento do jornal, dando como justificativa as dificuldades financeiras.
O grupo português Ongoing, controlado pelo famoso grupo lusitano Espírito Santo e acionista da Ejesa (que controlava o jornal a ser extinto), continuará na operação do popular jornal carioca O Dia.
Quem fica triste com o fechamento da publicação é José Dirceu de Oliveira e Silva, que chegou a escrever por lá, antes de ser preso, e porque sua ex-mulher Evanise dos Santos cuidava do marketing da empresa.

Teólogos da Corte


Quando foi que a Igreja Católica deixou de ser, no Brasil, a instância profética que questiona? Em que momento ela foi seduzida e tornou-se uma Igreja composta por teólogos da corte -- aqueles que compõe o séquito do novo Príncipe, o Partido dos Trabalhadores? Quando foi que ela deixou de ser defender a fé católica e passou a aceitar e a justificar as atitudes do Príncipe? Para onde foi a Igreja Católica do Brasil?

Padre Paulo Ricardo responde a estas perguntas em mais um vídeo esclarecedor.

O católico verdadeiro não pode apoiar um governo que não tem ética cristã, que não tem o pudor de promover todo tipo de imoralidade que visa destruir a família, a moral cristã e a herança patrimonial cristã sobre a qual foi construída a nação brasileira.

Recado ao Ministério da Defesa

Do respeitadíssimo Rômulo Bini Pereira, General de Exército R1, que foi chefe do Estado Maior do Ministério da Defesa, um sintético recadinho em artigo que publicamos na edição deste Alerta Total:

"Infelizmente, o MD preocupa-se muito mais em complexas, ineficientes e ideológicas ações, como a criação de uma Escola de Defesa Sul-Americana, do que se engajar na solução dos graves problemas que afligem as Forças Armadas nacionais".


Medalhas com continência


Um quinto (123) dos 590 atletas da delegação brasileira no PAN de Toronto, no Canadá, é formado por militares do Exército, Marinha e Aeronáutica.

Eles fazem parte do programa de Alto Rendimento dos Ministérios da Defesa e dos Esportes - promovido desde os Jogos Mundiais Militares de 2011.

Os que conquistam medalhas ganham destaque pela posição de continência que fazem no pódio, na hora do hasteamento da Bandeira e do Hino Nacional Brasileiro - obedecendo ao Regulamento de Continências, Honras e Sinais de Respeito das Forças Armadas.

Era da Dispersão

Da jornalista e professora Carina Macedo Martini, no Face, uma reflexão rapidinha sobre o fenômeno globalitário da comunicação:

"Eu diria muito mais sobre a Era da Dispersão na qual todas as gerações estão inseridas. Conectividade, velocidade, simultaneidade, variedade e superficialidade. Tudo é "ade" . Muitos estão metade. Não se permitem a experiência do inteiro de verdade. As consequências estão aí: solidão, angústia, insatisfação constante e sentimento de frustração. Vai lá, amigo. Coloca o pé na grama, puxa o galho da árvore, pega a melhor fruta e come sem lavar. Lambuze-se. Permita-se. Viver bem não é para qualquer um..."

Hora de baixar a bola?


O Mecão voltou


Romário está mesmo com a bola cheia, para embalar sua campanha à Prefeitura do Rio de Janeiro, no ano olímpico de 2016, com o apoio da máquina da Igreja Universal do Reino de Deus.

Como senador, conseguiu ser o presidente da CPI do Futebol - que terá Romero Jucá como relator.

Como torcedor, vibra com o retorno à primeira divisão do seu América Futebol Clube (segundo time de todo torcedor do Rio de Janeiro).

Devolvendo o alô do Garotinho


Recebemos e devolvemos o importante "alô" que recebemos do super narrador José Carlos Araújo no intervalo de Náutico x Flamengo, ontem à noite.

O Verdadeiro Garotinho e o Velho Apolinho estão arrebentando nas transmissões do Super Futebol Show da Rádio Tupi do Rio de Janeiro.

E quem está feito pinto no lixo é o flamenguista Alfredo Raimundo Filho, feliz com a vitória de ontem do Mengão e mais contente ainda por ter juntado, novamente, a dupla dinâmica Garotinho-Apolinho.

De arrancar os cabelos


Filme que se repete




16 de julho de 2015Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor.

O HUMOR DO NANI...

                        PMDB QUER TIRAR SITE DA REDE...


16 de julho de 2015

O NOME DELE APARECIA NAS CONVERSAS, DIZ BARUSCO SOBRE PROPINA A DIRCEU

GERENTE DA PETROBRAS QUE DEVOLVEU U$ 100 MILHÕES ENROLA DIRCEU
PEDRO BARUSCO DEVOLVEU US$ 100 MILHÕES SURRUPIADOS DA PETROBRAS. FOTO: ED FERREIRA/AE


O ex-gerente de Engenharia da Petrobras Pedro Barusco, um dos delatores da Operação Lava Jato, informou em depoimento à Justiça Federal na terça-feira, 14, que o nome do ex-ministro José Dirceu (Casa Civil - Governo Lula) 'aparecia nas conversas' sobre repasses de propinas. Ele disse que não sabe se Dirceu efetivamente recebeu.

"O nome dele (Dirceu) aparecia nas conversas. Agora, se ele efetivamente recebeu, não era papel meu. Eu cuidava da parte da Casa e já era difícil. Eu não me envolvia com esse negócio do partido", afirmou Barusco, após ser questionado pelo juiz federal Sérgio Moro se o ex-ministro recebia valores.

Ele disse que não sabe se Dirceu efetivamente recebeu. O ex-gerente era braço direito de Duque na Diretoria de Serviços da estatal.

Barusco depôs como testemunha de acusação nos autos da ação penal contra o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, o ex-diretor de Serviços da Petrobras, Renato Duque, e outros 25 réus por lavagem de dinheiro.

Na mesma audiência, realizada na terça-feira depôs o lobista Julio Camargo. Delator da Lava Jato, Camargo afirmou que entregou R$ 4 milhões em propinas para José Dirceu, 'autorizado' por Renato Duque.

Pedro Barusco falou também sobre João Vaccari. "Eventualmente, teve uma vez que eu estava com dificuldade de receber de uma empresa e o Vaccari, coincidentemente, falou que tinha facilidade de receber daquela empresa. Nós trocamos, vamos dizer um aporte de uma empresa pelo aporte de uma outra."

Barusco contou que começou a receber propinas na Petrobras em '95, 96' - primeiro mandato do presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Segundo ele, o dinheiro teria saído de contratos de plataforma.

"Eu comecei recebendo propina da SBM em 95, 96. Eu não lembro exatamente o início, quando começou. (Era) ligado a uns contratos de plataforma, ganhava um porcentual da comissão de representação do representante da SBM. No tempo eu não sei precisar exatamente. Em 2003 eu comecei a conviver com muitas empresas, começou uma empresa, uma outra empresa. Quando eu vi, eu estava nesse mercado, vamos dizer assim, nesse cenário", afirmou ao juiz federal Sérgio Moro, que conduz as ações da Lava Jato.

O delator amealhou US$ 97 milhões em propinas, segundo ele próprio admitiu em depoimento à Polícia Federal e à Procuradoria. Ele abriu mão da fortuna e concordou em comunicar as instituições financeiras na Suíça sua disposição em repatriar os valores.

"Até 2003, eu só me lembro de ter recebido e de receber da SBM. A partir de 2003, final de 2003, quando eu entrei não tinha tanta intimidade, relacionamento com as empresas nem com diretor eu comecei a receber de outras empresas", contou.

Em março, o Ministério Público Federal informou que havia repatriado R$ 182 milhões da Suíça, dinheiro que estava depositado em contas de Pedro Barusco. As transferências foram autorizadas espontaneamente pelo próprio Barusco, dentro do acordo de delação premiada que ele firmou com a força tarefa da Operação Lava Jato.

Pedro Barusco disse, ainda, que entregava a Renato Duque quase semanalmente envelopes com dinheiro de propinas.

A rotina da corrupção se prolongou, segundo Barusco, 'por cinco ou seis anos'. O dinheiro era entregue em envelopes, quase sempre. "Às vezes pulava uma semana, era assim", disse o ex-gerente delator.

O criminalista Roberto Podval afirma que o ex-ministro José Dirceu nunca recebeu propinas. Ele disse que a JD Assessoria - hoje inativa -, realizava efetivamente serviços de consultoria. "Todos os recebimentos eram contabilizados", assegurou Podval.

O advogado Luiz Flávio Borges D'Urso, defensor de João Vaccari Neto, afirma que o ex-tesoureiro do PT se dedicava à arrecadação de valores lícitos para o partido. D'Urso tem reiterado que Vaccari 'jamais recebeu propinas'. (AE)

16 de julho de 2015
diario do poder

LULA É INVESTIGADO PELO MPF POR BENEFICIAR ODEBRECHT NO EXTERIOR

LULA "FACILITOU" FINANCIMENTOS DO BNDES À ODEBRECHT NO EXTERIOR
EX-PRESIDENTE TERIA "FACILITADO" EMPRÉSTIMOS PARA A ODEBRECHT. FOTO: RENATO MENDES/AE


A Procuradoria da República no Distrito Federal abriu, oficialmente, investigação contra o ex-presidente Lula pela acusação de ter feito tráfico de influência para beneficiar a empreiteira Odebrecht no exterior. Lula é agora alvo de investigação criminal pelo Ministério Público Federal.

O Ministério Público Federal investiga a suposta influência do ex-presidente para "facilitar" negócios da empreiteira Odebrecht, cujo presidente, Marcelo Bahia ODebrecht, foi preso há cerca de um mês pela Polícia Federal, no âmbito da Operação Lava Jato. A acusação, no entanto, tem a ver com os financiamentos do BNDES para a empreiteira realizar obras para governos estrangeiros.

O colunista do Diário do Poder, Cláudio Humberto, primeiro noticiou a suspeita do MPF em novembro de 2013.


16 de julho de 2015
diário do poder, Tiago de Vasconcelos

DOAÇÃO QUE PT DIZ SER LEGAL PODE TER VINDO DE PROPINA, AFIRMA MINISTRO DA JUSTIÇA



(Folha)  Contrariando discurso político do PT e do governo Dilma Rousseff, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou nesta quarta-feira à CPI da Petrobras que doações eleitorais registradas legalmente podem ser criminalizadas como fruto de propina caso o recebedor tenha ciência da origem ilegal. 

Ressaltando se tratar de sua opinião jurídica pessoal, Cardozo diz que seria necessário que o recebedor dos recursos tenha ciência da origem delituosa, mas admitiu que a doação legal pode ser criminalizada. "Começam a surgir teses de que doações de campanha legais poderiam ensejar situações criminosas se tivessem uma origem ilícita. Eu pessoalmente não creio que seja necessária somente uma origem ilícita [do dinheiro], mas seria necessária uma ciência daquele que recebeu a doação", afirmou. 

Seguindo o raciocínio, ele disse que seria necessário comprovar a cumplicidade do recebedor da doação para que pudesse "ser enquadrada efetivamente em uma conduta dolosa que pudesse ensejar responsabilização". "Não podemos nunca culpar alguém sem a demonstração inequívoca de que soubesse ou participou da obtenção de dinheiro", completou. 

O principal argumento de defesa do PT em relação à acusação feita por delatores da Operação Lava Jato é que as doações recebidas foram legais e registradas na Justiça Eleitoral. Petistas têm sustentado que não seria possível "criminalizar" doações legais. Delatores, porém, afirmam que as doações eram uma forma de pagar propina ao partido. A resposta de Cardozo foi justamente à pergunta de um petista, o deputado Leo de Brito (AC).

16 de julho de 2015
in coroneLeaks

ELETROLHÃO, A ÚLTIMA ROLA DA CORRUPÇÃO LULO-PETISTA


Um dos esquemas mais brilhantes de roubo descarado de dinheiro público no universo, o Eletrolhão, foi uma criação genial de dois mestres da bandidagem, Lula e Sarney. 

A cabecinha da trolha que entrou no povo brasileiro começa a ficar mais nítida. 
Esse escândalo fará o hard core do Petrolão parecer mariamole: 

'Homem de Dilma' na Eletrobras cobrou propina para a campanha de 2014, diz dono da UTC. Segundo a delação premiada do empreiteiro Ricardo Pessoa, negociação do contrato de construção da Usina de Angra 3 serviu para que Valter Luiz Cardeal, diretor da Eletrobras que tem livre acesso ao gabinete da presidente, cobrasse do consórcio de construtoras “doação” à campanha petista do ano passado.

16 de julho de 2015
selva brasilis

UM PAÍS DE NÚMEROS FALSOS É UM PAÍS QUE NÃO MERECE A SUA CONFIANÇA


O Brasil descoberto pelos redemocratizadores de 1985, quando morreu Tancredo e Sarney subiu a rampa, é um paraíso de índices alarmantes e apaziguantes. Na mesma in/justa medida. O brasileiro é engambelado por números oficiais, levantados por pesquisas sob encomenda que saem piores que o soneto. E o povo se alarma. Pelas mesmas fontes, logo em seguida entra em estado de paz, fica zen e se acha feliz.

Pesquisa eleitoral, então, é o que não falta para mexer com suas emoções num país como esse que vive de eleições a cada dois anos. E as margens de lucro acabam sempre superando as de erro que são comidas pelas beiradas, quando na boca de urna tudo aparece em pratos limpos.

Aqui no Brasil da Silva, as pesquisas de saúde erram sempre por muito pouco. Não se sabe se já morreram 30 ou 40 por causa da dengue, ou se 2 milhões já foram vitimas da atração fatal de uma picadura.

Os dados da violência urbana também são muito precisos: os arrastões de São Paulo causam mais mortes que os tiroteios no Rio entre os traficantes e a polícia de pacificação armada até os dentes. Ou vice-versa. Dá no mesmo.

Bom é saber que nada menos de 116 pessoas são assassinadas por dia no Brasil. Estou falando de pessoas. Nenhum político, portanto, tem morrido de morte violenta. Lá de vez em quando é que um deles morre de morte morrida. E quem foi que disse que são só 116 mesmo? Pode ser que sejam 230, ou apenas 115...

Mas, o que mais representa a esperteza dos governos que padecemos são os índices da inflação. Faz anos, todos os anos depois da tucanagem governamental de FHC que a inflação estagnou nesse país cooperativado pelo PT e suas siglas sócias e companheiras, e não passa de ínfimos 5, 6 e até absurdos, incríveis e extraordinários 7 ou 8% ao ano.

Cruzes! Chegamos à inacreditável perspectiva de 8% de inflação anual nesse oceano de equilíbrio financeiro e social. Ó céus, ó vida! O que será de nós?

Pois estão aí as pesquisas científica infalíveis dizendo que estamos à beira dos 8 ou 9% de inflação neste ano. Bem do jeitinho como agora o governo visível de Dilma e o invisível de Lula, com a sua sinceridade habitual, estão confessando para todos nós, crédulos babacas, massa de manobra de quem manda e desmanda nessa terra de ninguém. Terra de ninguém, menos da outra espécie de habitantes que convivem aqui com as pessoas: os políticos.

A velha e boa Terra de Vera Cruz é deles. Só deles. Para eles a inflação é de 7 ou 8 podendo chegar a 9% e não passa disso mesmo.

Para mim, para você, para nós outros seres animados que vamos ao supermercado e ao armazém da esquina, os dados não estão viciados, mas não jogam a nosso favor.

Do mês passado pra cá, a dúzia de ovos, subiu 11%; o desodorante, mais de 28%; um reles refrigerador, daqueles básicos, subiu do mês passado pra cá, mais de 20%; o sabão em pó, aquele que lava mais branco que a alma do povo, subiu 47%.... Ah, o tomate, a cebola, o arroz, a batata... Ah!

Se você tem faxineira, a diária chega a dar inveja a sua aposentadoria; se vai ao dentista, a sua terceira dentição é de cair o queixo; se passou por um Raio-X é capaz de ser fulminado; se contratar um pedreiro, um pintor de paredes, você não vai acreditar, mas tudo isso está pelo dobro do que custavam os mesmos serviços antes do último Natal extraordinário.

Se você é metido a besta e resolve trocar de carro, o seu usado 1.0 por um igualzinho, tão popular quanto o que ainda está a seu serviço, vai pagar, afora a desvalorização pelo uso, mais 19% de abuso do que o zerinho custava no último Sábado de Aleluia.

E então é isso e até mais que isso. O governo fabrica números e a gente acredita.

Quero ver agora é você passar as suas férias de julho na Disney World, como estava planejando. Não é que os planos de viagem tenham subido, não... O seu dinheiro, o seu Real é que está tomando uma goleada de 3 x 1, louquinho, louquinho pra sofrer um previsível 4 x 1.

Não é que você se deixe enganar, porque seja bonzinho; você é enganado porque é injusto consigo mesmo e para com aqueles a quem você ama e que você sabe que o amam também. Você trata quem não lhe quer bem, da mesma forma que trata aos que tanto bem te querem.

E então a esta altura, uma vez mais, eu tiro Kung Fu Tsé do seu infinito descanso só para inquietar você. É ele, o popular Confúcio quem lhe pergunta:

- Se pagares o mal com o bem, com o que pagarás o bem?

E ele mesmo responde, para que você não perca mais tempo na vida:

- Paga o bem com o bem e o mal... com a justiça.

Desenho do mapa: pare de pagar com o bem a quem te faz mal. Porque é uma injustiça que você comete contra quem só te faz bem, contra quem não te engana, contra quem é honesto com você, ao dispensar o mesmo tratamento, a mesma atenção, a mesma fé a quem mente, engana e é desonesto com você. Paga-lhes com a justiça. Com o que a sua alma boa e benfazeja entenda por justiça.

16 de julho de 2015
Laoviah Raziel

É PRECISO CHAMAR O AURÉLIO...




16 DE JULHO DE 2015

MEU PASSADO ME CONDENA 2




16 de julho de 2015

VAROUFAKIS: O ACORDO DE RENDIÇÃO DA GRÉCIA A SEUS HORRÍVEIS CREDORES (ANOTADO PELO PRÓPRIO)

O patético, bizarro, folclórico ex-ministro das (não)finanças da infeliz Hélade anotou o acordo recém concluído entre o seu primeiro-ministro traidor e os perversos e crueis credores europeus.

Ele vai criar o PSOL do Syriza, ou o Syriza do B (no caso da G), e liderar uma oposição de extrema-esquerda ao novo status colonizado de seu país.

Ele na verdade, pretendia que os europeus continuassem pagando as não-reformas do Syriza, um pouco como os companheiros no Brasil pretendem que a "burguesia" (leia-se, classe média) pague pelos buracos enormes que eles deixaram no orçamento, inclusive fazendo as mesmas maquiagens contábeis e os mesmos truques rastaqueras que os gregos usaram durante durante anos.

Os europeus deram uma banana para eles, ou talvez um limão amargo...

Melhor assim. Sempre é necessário críticos de esquerda para ver quantas bobagens eles são capazes de fazer, e quantos protestos idiotas são capazes de liderar.

Sempre é didático do ponto de vista da educação do povo.
Os alemães, que não me deixam mentir, precisaram passar por uma hiper-inflação e depois por uma ditadura assassina monstruosa para se converterem no povo mais bonzinho da Europa, capazes de ajudar gregos e troianos, com alguma cenouras e um grande porrete para contentar os bonzinhos e corrigir os recalcitrantes.

Demora mais se aprende.
Vamos ver o Brasil agora...

16 de julho de 2015
Paulo Roberto de Almeida

Comentário inicial do meu amigo Maurício David, quem me enviou esse brilhante documento anotado:

Recebi do ex-ministro grego da Fazenda Yanis Varoufakis - e até há pouco o principal negociador pela Grécia com os credores representados pela Troica - o seguinte relato (e suas anotações pessoais) sobre as difíceis negociações. 

Por ser um documento muito importante para relatar a visão de um dos lados da negociação, transcrevo-o na íntegra. 
Para sentir o seu espírito, basta dizer que o Varoufakis classifica o documento final do acordo como "Os Termos da Rendição da Grécia"...

Surge agora um nova oposição de esquerda ao governo Tsipras e ao Syrisa, na voz do "herói" da resistência grega às medidas de austeridades (ao meu ver necessárias, no entanto, para a recuperação da estrangulada economia grega...), o ex-ministro Yanis Varoufakis... 

Não vai ser fácil o Tsipras dar uma de Dilma Rousseff e tentar implementar agora tudo o que nas negociações e também na campanha do plebiscito chamou de "extorsões imperialistas que visavam massacrar a economia grega")...
Quanto mais o mundo gira...

Mauricio David, 15/07/2015

EX-PRESIDENTE DO PT O MENSALEIRO GENOÍNO É INTERNADO EM SP

FAMÍLIA NÃO AUTORIZOU HOSPITAL A DIVULGAR SEU ESTADO DE SAÚDE
COM PROBLEMAS NO CORAÇÃO, GENOINO É PACIENTE COM 'DOENÇA GRAVE, CRÔNICA E AGUDIZADA' (FOTO: JF DIÓRIO/ESTADÃO CONTEÚDO)


O ex-deputado federal e mensaleiro condenado no Supremo Tribunal Federal José Genoíno (PT), foi internado na manhã desta quarta-feira, 15, no Hospital Santa Cruz, na Zona Sul de São Paulo. Segundo a assessoria do hospital, a família não autorizou divulgar informações sobre o paciente e o motivo da internação.

Genoino foi internado há dois anos, quando passou por uma cirurgia de urgência no Hospital Sírio Libanês após sentir dores no peito. Foi diagnosticada a dissecção da aorta - a principal artéria estava abrindo em camadas.

Em novembro do mesmo ano, ele passou mal no presídio da Papuda, onde cumpria pena por condenação no julgamento do mensalão, e precisou ser internado. Na mesma época, um laudo do Instituto de Medicina Legal da Polícia Civil do Distrito Federal informou que ele era "paciente com doença grave, crônica e agudizada, que necessita de cuidados específicos".


16 de julho de 2015
diário do poder

CARROS DE COLLOR ESTÃO EM NOME DE EMPRESA E DE POSTO

FERRARI E LAMBORGHINI DEVEM MAIS DE R$ 330 MIL EM IPVA AO FISCO
EMPRESA ÁGUA BRANCA, DE COLLOR E ESPOSA, EM SÃO PAULO, É DECLARADA COMO ESCRITÓRIO DE ADVOCACIA, MAS NÃO HÁ PLACA DO GRUPO NO LOCAL (FOTO: PEDRO LADEIRA/FOLHAPRES)


Dois dos três carros de luxo apreendidos pela Polícia Federal na Casa da Dinda estão em nome de uma empresa do senador Fernando Collor (PTB-AL). A Ferrari 458 Itália e o Lamborghini Aventador LP-700-4 Roadster, avaliados em R$ 4,3 milhões, foram financiados no Bradesco pela Água Branca Participações, segundo registros do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

A empresa, com capital social de R$ 1,3 milhão, tem sede numa casa do Jardim Europa, área valorizada de São Paulo. O senador e a mulher, Caroline Serejo Medeiros, constam como sócios.

A reportagem esteve no endereço e encontrou no local um escritório de advocacia que funciona em uma casa. A informação foi dada por interfone por um suposto funcionário do local. Questionado sobre quais advogados trabalhavam no escritório, ele se recusou a responder. Não havia no local nenhuma placa com o nome do grupo. Uma das vizinhas, que se identificou apenas como Cristina, disse que sabia quem eram os advogados, mas não quis passar os nomes "por respeito a eles".

A Água Branca foi declarada por Collor ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em sua última campanha. Os carros não figuram na lista de bens enviada pelo ex-presidente à Justiça. A estratégia de colocar patrimônio de uso pessoal em nome de empresas é usada por muitos políticos para não dar transparência à sua real condição financeira.

O senador afirmou, por meio de nota, que "é controlador e sócio majoritário da empresa Água Branca, conforme sempre devidamente declarado às autoridades competentes, inclusive por meio da sua declaração de Imposto de Renda (...). Tendo em vista se tratar de empresa de participações, vários ativos de uso do Senador estão nela registrados, inclusive carros".

Os três carros apreendidos pela PF têm débitos de IPVA que somam R$ 343,4 mil, conforme os Detrans de São Paulo e Alagoas. Os débitos, diz a nota do senador, "estão em processo de quitação". O Porsche Panamera S está registrado em nome da Jatobá Comércio de Combustíveis, cujos donos, Bruno Jatobá e Gabriel Jatobá Neto, não foram localizados pela reportagem. (AE)


16 de julho de 2015
diário do poder