"Quero imaginar sob que novos traços o despotismo poderia produzir-se no mundo... Depois de ter colhido em suas mãos poderosas cada indivíduo e de moldá-los a seu gosto, o governo estende seus braços sobre toda a sociedade... Não quebra as vontades, mas as amolece, submete e dirige... Raramente força a agir, mas opõe-se sem cessar a que se aja; não destrói, impede que se nasça; não tiraniza, incomoda, oprime, extingue, abestalha e reduz enfim cada nação a não ser mais que um rebanho de animais tímidos, do qual o governo é o pastor. (...)
A imprensa é, por excelência, o instrumento democrático da liberdade." Alexis de Tocqueville
(1805-1859)

"A democracia é a pior forma de governo imaginável, à exceção de todas as outras que foram experimentadas." Winston Churchill.

quinta-feira, 27 de julho de 2017

DEPUTADO AFIRMA: NÓS TEMOS A GASOLINA MAIS CARA PARA BRASILEIROS, E A MAIS BARATA PARA BOLIVIANOS

JEAN WYLLYS PODE SER CASSADO

SENSACIONAL! FUZILEIROS NAVAIS FURAM BLOQUEIO E ARRUAÇA DO MST

FACHIN ACELERA LAVA JATO E ACERTA EM CHEIO GLEISI HOFFMANN

CHEFÃO DO MST AMEAÇA TACAR FOGO NO BRASIL, CASO LULA SEJA PRESO

BENDINE IA PARA LISBOA NESTA SEXTA, SÓ COM PASSAGEM DE IDA

ELE TEM CIDADANIA ITALIANA; QUEBRA DE SIGILO REVELOU VIAGEM

EX-PRESIDENTE DO BANCO DO BRASIL E DA PETROBRAS É SUSPEITO DE RECEBER R$ 3 MILHÕES EM PROPINA DA ODEBRECHT (FOTO: GUSTAVO LIMA/AG. CÂMARA)


Após quebra do sigilo telefônico, a Polícia Federal descobriu que o ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobras Aldemir Bendine estava com viagem marcada para Lisboa nesta sexta-feira, 28. Segundo a PF, só há informação de que Bendine, que também tem nacionalidade italiana, só havia comprado passagem de ida a Portugal.

“Importante pontuar que a quebra telemática encontrou apenas passagem de ida de Bendine”
, destacou o procurador da República Athayde Ribeiro Costa. “Isso não significa que não exista passagem de retorno. Mas, ainda que houvesse passagem de retorno não alteraria o quadro de justificação para o pedido de prisão preventiva de Bendine”, disse.

O ex-presidente da Petrobras foi preso nesta quinta-feira, 27, em Sorocaba, interior de São Paulo, na Operação Cobra, 42ª fase da Lava Jato, por suspeita de recebimento de propina de R$ 3 milhões da empreiteira Odebrecht. Inicialmente, ele havia solicitado R$ 17 milhões da companhia, quando ainda ocupava a presidência do Banco do Brasil.

A força-tarefa do Ministério Público Federal havia requerido a prisão preventiva – sem prazo para terminar – de Bendine. Embora tenha reconhecido a existência de provas que justificassem a prisão preventiva, o juiz Sérgio Moro decidiu impor ao executivo regime temporário de custódia por cinco dias.

Para os investigadores, o fato de ter dupla cidadania poderia facilitar uma eventual fuga de Bendine para a Itália, destino de outros investigados em outros escândalos, como o ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolatto, condenado no Mensalão do PT.

Obstrução de Justiça

Segundo o procurador, também há evidências de que os outros dois alvos dessa operação tentaram apagar provas e obstruir a Justiça. Um deles, o publicitário André Gustavo Vieira da Silva, detido em um aeroporto no Recife. Ele viajaria para Brasília. Foi preso ainda o irmão dele, Antônio Carlos Vieira da Silva Júnior. Os dois são sócios em uma agência de publicidade, chamada Arcos, e são apontados como operadores da propina.

A Lava Jato constatou, ainda, que André, apontado como ‘operador financeiro’ de Bendine, tinha ‘negócios consolidados’ em Portugal. Em 2011, segundo o procurador Athayde, o aliado de Bendine trabalhou na campanha que elegeu o primeiro-ministro português.


27 de julho de 2017
diário do poder

FROTA ESTRAÇALHA O PT E LULA, QUE SE COMPARA A JESUS E A TIRADENTES, EM DISCURSO DEPRIMENTE

OS INGÊNUOS CREEM EM "IDEALISMOS" CONTRA A MONSTRUOSA REALIDADE




Coluna de Luiz Felipe Pondé, publicada na Folha de São Paulo, lembra de algo que a maioria das pessoas preferem esquecer: nada mais somos do que pó:

Lembro-me que a primeira vez que li a Bíblia, por volta dos 13 anos de idade, achava estranho Abrãao, um dos heróis de Deus, referir-se a si mesmo dizendo "Eu, que sou pó e cinzas...".

Com o passar dos anos, fui cada vez mais entendendo como esse autorreconhecimento, na verdade, era o passo necessário e eficiente (como se diz na mais alta filosofia) para o restante do enredo: a convivência com o Deus de Israel só é possível se você fizer a experiência "esmagadora" da verdade de si mesmo.

Esse é o preço para se viver ao lado do Santo. Sendo Ele pleno, e nada resistindo a esta plenitude, a única forma de plenitude possível aos seu heróis era o reconhecimento de sua própria insuficiência. Perceber-se insuficiente é uma libertação.

Daí decorre muito do mau entendimento desse enredo e de seus personagens. A suposta "humilhação" que muitos pensam ver na relação com o Deus de Israel é apenas fruto de má leitura, ou de pouca leitura, ou, simplesmente, como diria um dos meus filósofos preferidos, Santo Agostinho (354-430), "orgulho, revolta e cegueira".

Parece-me que a correta interpretação dessa confissão de insuficiência presente na imagem de "pó e cinzas" é o encontro libertador com a humildade. 
Georges Bernanos (1888-1948), outro autor que me forma intelectualmente e espiritualmente continuamente, dizia que a humildade é, de todas as virtudes, a única imbatível.

Abraão, ao se reconhecer como pó e cinzas, simplesmente, encontrava sua libertação definitiva. A humildade bíblica é a mais profunda forma de libertação já descrita na literatura ocidental. O "rochedo da humildade" é imbatível como experiência existencial e espiritual.

A libertação não habita a boçalidade da assertividade treinada em workshops movidos a ressentimento "caché" (em francês, é mais chique dizer "escondido"). Nem tampouco em fórmulas neurolinguísticas a serviço desse pequeno ditador chamado "eu". Menos ainda em formas de espiritualidade quântica para consumo.

Diante desse fato, sinto-me um pouco como o filósofo judeu russo Lev Chestov (1866-1938), que se dizia um ateu convicto de que a mensagem bíblica é essencial para o conhecimento do lugar do homem em constante busca de dar sentido a uma vida em si insustentável.

Os ingênuos creem nas mais distintas formas de "idealismos", como dizia Chestov, contra a monstruosidade da realidade. "Sofremos a existência" e narrar esse sofrimento talvez seja a forma mais sublime de sinceridade que alguém que tem como profissão a escrita pode ter para com seus semelhantes.

Outro russo, filósofo também, Nicolas Berdiaev (1874-1948), influenciado diretamente por Dostoiévski (1821-1881), como Chestov, via a aventura espiritual humana como um combate entre o Nada do qual fomos tirados, e que nos habita intimamente, e a possibilidade de sermos criadores, como o Criador.

Para isso, a coragem de fugir da "cotidianeidade" banal é essencial. Essa banalidade se dá por meio de uma vida vivida com o espírito de rebanho, longe da "aristocracia espiritual" de que tanto falou Berdiaev, conceito retirado de Nietzsche (1844-1900), claro.

A vida espiritual como enfrentamento desse Nada, manifesta-se, entre outras formas, na superação do orgulho moral, traço clássico das almas ressentidas, incapazes de reconhecer o "nada do pecado" em si mesmas. 
Ao contrário do que prega nossa vã teologia da autoestima espiritual, o pecado é um dos conceitos mais libertadores na tradição ocidental.

A beleza de Deus nos impacta de formas distintas. Nosso vazio enxerga Deus melhor do que nosso orgulho. A passagem do Novo Testamento, em que Jesus está ao lado de dois ladrões no Gólgota, é paradigmática. Enquanto um, o mau ladrão, exige que Jesus use seus "superpoderes" de filho do Deus todo poderoso para tirá-los da cruz, o outro, o bom ladrão, pede que Jesus simplesmente se lembre dele, um ladrão que merece a cruz, quando entrar em Seu reino.

Por isso, no judaísmo, na oração "Nosso Pai e nosso Rei", falada no Dia do Perdão, se diz: "zachur ki afar anáchnu": Lembra-Te de que nada mais somos do que pó.


27 de julho de 2017
in orlando tambosi

CLEPTOCRATAS DE BRASÍLIA PREPARAM A MAIOR MARACUTAIA DE TODOS OS TEMPOS




Os cleptocratas que controlam o Brasil preparam a maior maracutaia de todos os tempos, o grande golpe da reforma política. Ela tem dois componentes: pega o seu dinheiro e cria o fundo eleitoral e transfere para os partidos e tira seu direito de votar em quem você quer para eleger os caciques políticos.

27 de julho de 2017
Ricardo Amorim

O QUE ESTÁ POR TRÁS DO SOCIALISMO?

JORNALISTAS IMBECIS

"MIRIAM LEITÃO" COM VOZ TÍMIDA JÁ DÁ SINAIS DE QUE "GOVERNO TREMER" PODE LEVAR O PAÍS AO CAOS

JORNALISTA XINGA AO VIVO MEIRELLES E RODRIGO MAIA DE CANALHAS, POR ZOMBAREM DO POVO

ÁLVARO DIAS, O CAFETÃO POLÍTICO, E O PAPEL DA KGB HOJE

Alvaro Dias, o cafetão político, e o papel da KGB hoje

  • 1.459 visualizações
  • 9 horas a
  • 27 DE JULHO DE 2017
  • POSTADO POR M.AMERICO

LULA FEZ SAQUES MILIONÁRIOS, ANTES DO BLOQUEIO DOS R$ 9 MILHÕES

SONHOS REVELADOS DE UM POLÍTICO CHAMADO RODRIGO MAIA

Resultado de imagem para Rodrigo maia charges
Charge do Mário (Humor Político)
O presidente da Câmara Rodrigo Maia olha para seu futuro político com fome de poder, mas com cuidadosa ambição. Já se colocou, pelo posto que ocupa, como alternativa à presidência da República “dentro de alguns anos”, explicou, modestamente, a Roberto D’Ávila em recente entrevista. Agora, em outra entrevista para o site Poder 360 de Fernando Rodrigues, anuncia que seu partido, o DEM, não tem condições de apoiar o PSDB na eleição de 2018.“A relação com o PSDB nas duas últimas eleições foi de quase imposição na eleição presidencial, deles em relação à gente. Foi um constrangimento em 2010. Em 2014, uma chapa puro-sangue [só de tucanos]”.
Como quem se sente revigorado com a possibilidade de adesões em massa do PSB, o presidente da Câmara deixa no ar a possibilidade de o partido lançar candidato próprio à presidência, o que só aconteceu anteriormente em 1989, quando ainda se chamava PFL, com a candidatura de Aureliano Chaves.
COADJUVANTE – De lá para cá, o hoje Democratas manteve a postura de coadjuvante do PSDB, ora dando o vice-presidente, ora nem isso. Como o PMDB até aqui, também o DEM contentava-se em ser partido auxiliar, e os dois partidos presidenciáveis, como os classifica o cientista político Octávio Amorim Neto, sempre foram PT e PSDB, que disputaram as seis eleições presidenciais entre si.
O PMDB encarnava um paradoxo: nunca disputava a eleição presidencial depois de 1989, quando apresentou seu presidente Ulysses Guimarães. Mas nenhum governo conseguia funcionar sem seu apoio. Agora, quer ser protagonista se conseguir ultrapassar essa crise que engolfa o governo Temer, mas para isso tem que enterrar o projeto político do DEM, que é o de assumir a presidência da República da mesma maneira que o PMDB assumiu, em substituição ao presidente incumbente.
SUBSTITUIR TEMER – Ao revelar que o DEM não pode, neste momento, apoiar uma candidatura do PSDB à presidência da República, mesmo depois de um jantar de confraternização que seus principais líderes tiveram com o presidenciável governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, Maia deixa implícito que o partido considera que ainda não se esgotou a possibilidade de vir a substituir Michel Temer.
Mas tomou o cuidado de abrir portas para futuras negociações políticas caso essa janela de oportunidade se feche. Disse, por exemplo, que o DEM quer discutir quem vai apoiar quem nos Estados, e nesse caso tem um interesse próprio: o governo do Rio de Janeiro, onde o PMDB até agora comanda a política com resultados desastrosos.
PAES INVESTIGADO – Mesmo assim, há setores do partido ainda no governo que insistem em uma candidatura do PMDB, como o ex-prefeito do Rio Eduardo Paes. No entanto, será preciso saber como andarão as investigações da Lava Jato, e, sobretudo, as delações de Eduardo Cunha e do doleiro Lucio Funaro, para ver que futuro têm as candidaturas de Maia e Paes.
A entrevista de Rodrigo Maia tem objetivos tão definidos que seu pai, o vereador Cesar Maia, ex-prefeito da cidade do Rio que se preparava para disputar o governo do Estado, a publicou no seu blog. Os próximos meses mostrarão se o DEM tem condições de se fortalecer a ponto de ser um protagonista desse jogo político imprevisível que se avizinha.
REELEIÇÃO – Se Rodrigo Maia ascender à presidência da República, terá condições legais de disputar a reeleição no cargo, o que é uma vantagem para qualquer candidato. Se tiver que disputar outro cargo, como governador do Rio, ou mesmo deputado federal, terá que deixar o cargo seis meses antes, em abril do próximo ano.
Para disputar o governo do Rio, tem que agir com a máxima cautela para não se queimar, pois para ser um candidato viável pode depender da boa vontade do Palácio do Planalto, que nesse caso continuará tendo em seu comando um Michel Temer que dificilmente recuperará a força política que já teve no Congresso, mas terá a caneta na mão. Mas pode contaminar os protegidos com sua impopularidade.

27 de julho de 2017
Merval Pereira