"Quero imaginar sob que novos traços o despotismo poderia produzir-se no mundo... Depois de ter colhido em suas mãos poderosas cada indivíduo e de moldá-los a seu gosto, o governo estende seus braços sobre toda a sociedade... Não quebra as vontades, mas as amolece, submete e dirige... Raramente força a agir, mas opõe-se sem cessar a que se aja; não destrói, impede que se nasça; não tiraniza, incomoda, oprime, extingue, abestalha e reduz enfim cada nação a não ser mais que um rebanho de animais tímidos, do qual o governo é o pastor. (...)
A imprensa é, por excelência, o instrumento democrático da liberdade." Alexis de Tocqueville
(1805-1859)

"A democracia é a pior forma de governo imaginável, à exceção de todas as outras que foram experimentadas." Winston Churchill.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

REINADO IMPROFÍCUO...

 
 
23 DE JANEIRO DE 2014

O QUE É E O QUE NÃO É BOBAGEM

BRASÍLIA - De Paris, o presidente do Supremo, Joaquim Barbosa, reclama dos que criticam as diárias de R$ 14 mil por palestras na Europa durante o recesso: "Eu acho isso uma tremenda bobagem. (...) Veja bem, você viaja para representar o seu país, para falar sobre as instituições do Brasil e vocês estão discutindo diárias?".

Faz sentido, mas ele pode ter dificuldade para falar sobre a justiça no Brasil em seu sentido mais amplo.

José Dirceu foi condenado a 7 anos e 11 meses, mas, com base na lei e trabalhando daqui, lendo um livro dali, pode acabar passando só dez meses na prisão. O problema, obviamente, não é de Dirceu, mas do sistema.

José Roberto Arruda pisou na bola e caiu quando era senador, depois novamente como governador do DF e foi condenado e preso. Mas está caraminholando: "a que vou me candidatar em 2014? Deputado, senador, quem sabe governador?" E ele não é original. Joaquim Roriz, entre tantos outros, tem uma trajetória parecida.

Se os presos de colarinho branco jogam o foco na Papuda, em Brasília, as decapitações e as 63 mortes em Pedrinhas, no Maranhão, escancaram o horror em que vivem os presos comuns em todo o país.

O Brasil tem uma das cinco maiores populações carcerárias do mundo. São pobres, negros, pardos, iletrados. Muitos nem são culpados ou não foram condenados por crimes tão graves, mas mofam -- e morrem -- nas cadeias comandadas não pelo Estado, mas pelo PCC.

Levantamento da Folha apontou ao menos 218 mortos em 2013, ou uma morte a cada dois dias, nas prisões brasileiras. E isso sem Alagoas, Bahia e Rondônia...

Talvez Joaquim Barbosa seja crítico ao falar aos europeus das leis, dos recursos e das manobras protelatórias que deixam poderosos mais sujos que pau de galinheiro tendo um vidão. Conhecemos vários. Mas isso é só um lado. O outro é o da tortura, das mortes, das decapitações.

Há justiça no Brasil?

 
23 de janeiro de 2014
Eliane Catanhêde, Folha de SP

2015: O ANO DO TAMANDUÁ

 

a3


Se a minoria consciente já o sabia, agora ha uma medição concreta. Viramos o espigão da subida dos salários e iniciamos a descida do morro, sempre por aquele tradicional método da inércia brasileira: o que os governos não fazem o mundo acaba fazendo por eles.

Pela primeira vez desde 2008 o peso dos salários em dólar caiu para a indústria brasileira entre janeiro e novembro de 2013. Nada que salve uma indústria que além da monumental carga de impostos e das condições dramáticas da qualidade da mão de obra (educação) e da infraestrutura, teve esse custo aumentado em 54% no acumulado entre 2009 e 2012.

A redução do ano passado, de 3,8% no custo do trabalho por unidade produzida, decorre dos primeiros sinais da disparada do dólar que vem vindo por aí e só vai assumir a velocidade real depois da eleição deste ano.

a2

Nominalmente, em reais, os trouxas continuam tendo a impressão de que o salário segue subindo mais que a produtividade. Esse tem sido o truque mediante o qual o PT vem sustentando a sua popularidade a custa da implosão da economia nacional que, agora, vai chegando no osso com as contas “fechando” mediante as mágicas do dr. Mantega enquanto as chinas da vida vão nos comendo pelo pé.

O truque é duplamente venenoso e o que o PT comemora sempre, com o dedo na cara do mundo como ainda agora em Davos, é a tomada progressiva de toda a economia por esse veneno sistêmico.
Funciona assim: aumenta-se o salário acima da produtividade na indústria.
Esta, que é a base concreta de todo o sistema (produção), começa a minguar primeiro mas como ha uma inundação de dinheiro novo no sistema e o pessoal começa a gastar mais, o setor de serviços passa a vender muito mais, ou seja, incha e absorve o desemprego da indústria.

a2

O setor de serviços tem, então, de contratar mais do que a indústria está demitindo porque ainda não inventaram um jeito de fazer manicures, hot-dogs, restaurantes e cabeleireiros lá da China competir com os brasileiros como os produtos da sua indústria competem e, assim, os salários sobem mais ainda para a indústria porque os dois setores disputam os mesmos empregados desqualificados.

É por isso que os empregos na indústria vêm caindo ha 30 meses seguidos, junto com a produção, e as importações disparando, assim como as compras diretas do exterior por brasileiros nestes tempos de internet e viagens facilitadas.

Resultado, o dólar começa a disparar pra restabelecer a verdade daquele jeito que quem é maior de 40 anos já viu 20 vezes.

a2

Acaba tudo como a Argentina que ontem anunciou que as compras na internet por seus nacionais estão proibidas. Cada argentino só poderá comprar duas vezes por ano na internet, 25 dólares de cada vez, a partir de agora…

Ponha-se por cima disso o que vem sendo feito com outros setores essenciais pra comprar voto. O da gasolina, por exemplo. Não foi apenas a Petrobras que o PT quebrou com sua genial invenção de inundar o país de automóveis baratos e segurar na marra o preço da gasolina.
Quebrou também a indústria sucro-alcoleira, uma das maiores cadeias de produção do país.

Ontem foi anunciado que o Brasil está importando etanol dos Estados Unidos, acredite se quiser! O primeiro navio, com 100 milhões de litros, descarregou ontem no porto de Itaqui, no Maranhão.

Como o Nordeste ia ficar sem gasolina em ano de eleição porque quebrada a Petrobras não consegue nem processar o petróleo que importa, dona Dilma, depois de manter o álcool nacional abaixo do preço de custo (porque o dele é função do preço da gasolina), desonerou o etanol de milho importado dos EUA do PIS e do Cofins, o que é mais um ralo nas contas públicas.

a2

Do jeito que vai, não vai sobrar nada.
A produção e as condições brasileiras de produzir álcool eram tão boas ha 10 anos que, em 2013, Brasil lançou os carros flex. Em cinco anos o consumo de álcool já tinha ultrapassado o de gasolina.

Na média, um hectare de cana produz 7200 litros de álcool enquanto um de milho americano produz 3100 litros. De troco, as emissões de CO2 de um litro de álcool somam 400 gramas enquanto o de gasolina gera 2200 gramas. Mas mesmo assim, hoje os carros flex enchem seus tanques com gasolina. É “mais barato” (até o fim da eleição).

Resultado: de 385 usinas de cana nacionais, 100 estão endividadas até o cabo, praticamente paralisadas ou fecharam as portas. E dezenas de outros projetos que estavam prontos para decolar nem saíram do papel.
Mas a popularidade de dona Dilma se salvou, que é o que interessa.

É possível que dona Dilma consiga marcar seu gol. Mas o abraço no povo, que em 2015 vai ser mesmo de tamanduá, vai ficar por conta do dólar e da inflação que vão nos contar do pior jeito de que tamanho é essa mentira chamada PT.

a2

BLA...BLA BLA...

PAÍS RICO É PAÍS DE FALSOS PROBLEMAS

bla_bla

O Brasil é o paraíso deles. Não resolve nenhum dos verdadeiros quase sempre porque não dá tempo de discuti-los no meio do infindável blá-blá-blá em torno dos falsos.
Veja os “rolezinhos”.

Se o “rolezeiro” é preto, branco, japonês ou índio, pobre ou rico, é um falso problema. Encher shopping center de gente então, mais ainda.

Eu aposto o meu braço direito que a maioria dos jornalistas, sociólogos, “especialistas” e “movimentos sociais” que transformaram essa discussão nisso estariam pedindo pra polícia dar porrada se os “rolezinhos” estivessem sendo organizados, “só pra zoar”, por playboys endinheirados dos jardins.
Os lojistas, então, estes rezam todos os dias pra ver os shoppings lotados. Mas “rolezinho” não é isso.

bla1

Rolezinho” é uma turba, convocada como turba para agir como turba, constrangendo e intimidando os outros com correria, com gritaria e, se deixar, até com saque às lojas.
Têm de ser coibidos pelo fato simples de que a liberdade de cada um acaba onde começa a do próximo.

É só olhar para o problema por esse lado que ele fica simplérrimo de resolver.
Se continuar sendo tratado como o que não é, veremos nascer mais uma indústria neste “país rico“: a da ocupação de shoppings e, se derem mais tempo, a da “desapropriação” do recheio das lojas por um futuro MSN, um movimento dos sem nada de araque como todos os similares.
A “questão” do Sistema Prisional é outro.

A cada vez que a coisa explode a gente vê as mesmas velhas figuras de sempre dizendo que prender não é a solução, a solução é soltar, etc., etc. e tal.

bla10

Soltar quem, cara-pálida? Assassino? Estuprador de criança? Ou a metade que nunca foi condenada ou já cumpriu a pena inteira mas continua lá?
Sobre essa parte ninguém discorda.

Só que os juristas e advogados que vivem gritando contra prender – assim, genérica, ampla e irrestritamente como se não tivessem filhos, não tivessem mães, não tivessem cu – nunca lembram que é o sindicato deles, essa mesma OAB que já teve seus dias de glória, que proíbe a advocacia de graça (é isso mesmo que você leu: proibiu, pôs fora da lei a advocacia “pro bono) que podia resolver essa metade do problema que torna a outra metade insolúvel já que, na base de tudo, está a superlotação.
Não abrem mão do seu rico dinheirinho. Querem que o Estado os pague pra isso, mesmo cientes de que tudo que cai nas mãos do Estado vira o que vira.

Nunca lembram de mencionar, também, os seus inalienáveis “direitos adquiridos” que são a causa de tudo isso porque, essencialmente, o problema das prisões no Brasil tem a mesma raiz de quase todos os outros: falta de democracia.

bla11

Nossas prisões são como são ha 500 anos porque ha 500 anos há uma lei pra bacana, pra politico e pra funcionário publico e outra pro resto; uma prisão especial pra eles e as que a gente conhece pro resto.

O único jeito de arrumar isso é, primeiro, ter uma lei só valendo pra todo mundo; segundo, garantir que todo mundo que mijar fora do pinico vai preso e, terceiro, deixar claro que todo mundo que for preso vai preso na mesma prisão.

Se politico ladrão, ladrão rico e advogado criminoso fosse preso, e fosse preso na mesma prisão de todo mundo você ia ver eles arrumarem o sistema prisional inteiro num zás-tras, como que por milagre.

Mas enquanto houver dois Brasis, o dos que mandam e fazem leis mas não vão presos e o dos que obedecem e vão, dane-se o deles.
É assim que é.

bla8

23 de janeiro de 2014
vespeiro

POR QUE NÃO FAZER LOGO UMA BOIADA (BOIADA NÃO, É DE BOI), MELHOR UMA "VACAIADA" PARA TODOS OS MENSALEIROS?

 POR QUE O PT NÃO FAZ VAQUINHA PARA AJUDAR TAMBÉM MARCOS VALÉRIO? É MUITA INGRATIDÃO...

O advogado Marco Aurélio Carvalho, coordenador do Setorial Jurídico do PT, anuncia que, após o site criado para arrecadar dinheiro para o ex-deputado José Genoino (PT-SP) conseguir mais de R$ 700 em cerca de dez dias, campanhas idênticas para arrecadar dinheiro serão feitas para ajudar outros petistas condenados no julgamento: o ex-ministro José Dirceu, o ex-tesoureiro Delúbio Soares e o deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP).

A campanha faz sentido. Afinal, são velhos companheiros, estiveram juntos na empreitada do chamado, a Justiça até os considerou membros de uma só quadrilha. O PT realmente não pode privilegiar Genoino, em detrimento dos outros mensaleiros.

O que não se entende é o motivo pelo qual o publicitário Marcos Valério está sendo discriminado pelo PT. Até agora não houve uma só manifestação de solidariedade a ele, que foi quem mais perdeu, pois sua condenação é muito maior. Pegou 40 anos e dois meses de prisão, não tem direito a regime semiaberto e tem de pagar uma multa de R$ 4,4 milhões.

Em comparação à pena de Valério, as multas dos outros mensaleiros têm valor muito inferior, por isso não se entende que o PT não faça vaquinha também para ajudar a quem tanto ajudou o partido a governar. É, no mínimo, uma baita ingratidão.

IMPOSTO SOBRE DOAÇÃO

O imposto sobre as doações recebidas pelo ex-presidente do PT para pagar a multa por sua condenação no processo do mensalão no STF (Supremo Tribunal Federal) ainda será calculado.

A campanha realizada na internet pela família arrecadou mais do que os R$ 667,5 mil cobrados pela Justiça. E agora falta pagar o imposto. Foi esquecimento, claro. Não se pode esperar que um homem limpo como José Genoino tenha esquecido de cumprir a lei propositadamente

O HUMOR DO DUKE

 

 

Charge O Super 23/01
 
23 de janeiro de 2014


 

CARTEL E NAÇÃO

 

(HD) – Desde a instituição, em 1536, pelo Rei Dom João III, de Portugal, das Capitanias Hereditárias, o Brasil sofre com a maldição dos monopólios e da cartelização.
Dentro das capitanias, o senhor explorava seus prepostos, nas sesmarias, exercendo a exclusividade da compra e da venda e da fixação de preços das mercadorias, da mesma forma que a Coroa Portuguesa fazia com ele.
O que, antes, era imposto pelo sistema colonial português, transformou-se, com o passar dos anos, em traço marcante da cultura nacional e do estilo “empreendedor” brasileiro. Criamos um país de barões, tabeliões e coronéis, interventores nomeados e pequenos comerciantes, sempre empenhados em ver o público em geral mais como objeto de exploração pura e simples do que como clientes ou consumidores.
Entre-se em uma feira qualquer, e em poucos minutos, se descobrirá que existe uma espécie de “acordão” entre comerciantes locais. Se a picanha, no “seu” José, está um real mais cara que no “ seu” Manuel, pode ter certeza de que a chã de dentro vai estar um real mais cara no segundo açougue, para compensar. O mesmo se dará com o peixe, a banana, o tomate, a alface, etc, etc, etc.
Quem se der ao trabalho de calcular, vai ver que não faz a menor diferença parar em uma ou outra banca. Só muda a cara ou a forma da pessoa atender. Sempre se ajeita tudo para que ninguém saia perdendo, desde que ele não seja consumidor.
Se isso ocorre no comércio de bairro, imagine-se nos grandes negócios. Monopólios, cartéis formados para burlar licitações, ou para divisão de mercado, são a coisa mais normal no Brasil.
CARTEL DA TELEFONIA
Na telefonia, por exemplo, depois da criminosa desnacionalização do setor nos anos noventa, a concentração em mãos estrangeiras da parte do leão das telecomunicações faz com que estejamos pagando das mais altas tarifas do mundo, em uma área que é campeã de reclamações.
O último episódio nessa longa série de escárnios ao cidadão brasileiro foi a suspensão, na semana passada, pela enésima vez, da tentativa de se proceder a licitação de linhas interestaduais de passageiros, que continuam, na prática, nas mãos das mesmas empresas, desde o regime militar.
No setor, a concorrência é tão grande, que as quatro viações que fazem a ligação entre o Rio de Janeiro e São Paulo, a rota de maior movimento do país, cobram rigorosamente o mesmo preço pela passagem de ônibus convencional.
O decreto que previa a licitação é de 1993, a escolha das vencedoras já deveria ter sido feita em 2008, mas a licitação tem sido sucessivamente adiada e não saiu até hoje.
E mesmo assim, quando isso ocorrer, só poderão participar dela – pasmem! – empresas que já operam nesse mercado.  Os “concorrentes” continuarão sendo os mesmos “conhecidos” de sempre. Só haverá algumas mudanças, como a que obrigará empresas mais rentáveis a atender trechos de menor retorno financeiro.
 
23 de janeiro de 2014
Mauro Santayana

MUITA FUMAÇA

Esquerda mostra-se utópica ao festejar discordância entre Luiza Trajano e Diogo Mainardi

luiza_trajano_01No Brasil a esquerda ignara instituiu que aquele que critica suas sandices deve ser execrado, como se a utopia comunista fosse a derradeira salvação do planeta.

Quando críticas ocorrem, os “esquerdopatas” se movimentam na rede mundial de computadores, onde esparramam besteiras de toda ordem.

A divergência de opiniões que marcou um diálogo entre o jornalista Diogo Mainardi e a empresária Luiza Trajano (leia-se Magazine Luiza), levado ao ar no programa Manhattan Connection, foi comemorado à exaustão pelos esquerdistas, que acionaram a tropa cibernética para repercutir na internet o que foi considerado uma desmoralização de Mainardi. Uma besteira tão colossal, que comentar o assunto provoca náuseas.

Diogo Mainardi questionou a empresária sobre os elevados índices de inadimplência no País, que disparam no vácuo do falso messianismo de Lula, mas Trajano limitou-se a responder com dados sobre o varejo, dizendo que o setor avança às mil maravilhas.
A inadimplência no varejo pode estar aquém dos índices gerais, mas é preciso considerar que as vendas a crédito na maioria das vezes são viabilizadas por instituições financeiras, que para essas operações contratam seguros contra calote. Fora isso, a empresária não apenas respondeu ao jornalista, mas falou para a sua plateia que o consumismo deve continuar porque o risco de inadimplência é muito pequeno.
Algo parecido com um traficante de drogas dizendo ao viciado que cocaína faz bem. Lembrando, desde já, que o ucho.info não faz tal comparação com o intuito de macular a imagem de Luiza Trajano, mas apenas para exemplificar o conceito do discurso da empresária.

Por outro lado, qualquer empresário responsável e consciente não faz declarações que possam comprometer a reputação de seu próprio negócio. Na verdade, não pode comprometer o negócio em si. Como o varejo brasileiro é uma briga de foice no escuro, a saída é fingir que tudo está bem, mesmo que isso seja uma inverdade. O que as pesquisas apontam é diferente da fala de Trajano e do conteúdo do e-mail enviado a Mainardi.

Não se pode analisar a economia de um país com os olhos voltados apenas para determinado setor. Ou olha-se o todo, ou é melhor não fazer qualquer avaliação. Se o Brasil for analisado, por exemplo, pelo prisma da corrupção, que anualmente consome R$ 100 bilhões, será considerado um dos países mais ricos do planeta.
A economia brasileira há muito está cambaleante, situação absolutamente inegável, pois os números confirmam cada vez mais o avanço do caos. Vivesse a economia nacional um momento tão majestoso quanto vociferou Luiza Trajano, por certo os investidores internacionais não estariam cm o pé atrás em relação ao Brasil.

Não importa se o varejo cresceu nos últimos cinco anos á sombra do crédito fácil e do endividamento recorde das famílias brasileiras. E por conta disso os empresários do setor querem manter essa roda girando cada vez mais, mesmo que impulsionada pela utopia econômica.

Por outro lado, Luiza Trajano já foi convidada pela presidente Dilma Rousseff para assumir o Ministério de Micro e Pequenas Empresas, pasta que foi entregue a Guilherme Afif Domingos como parte da negociação com o PSD de Gilberto Kassab.
Acontece que a reforma ministerial deve começar nos próximos dias e ter um gabinete na Esplanada dos Ministérios é o sonho de muitos pesos-pesados da economia da querida Botocúndia.

Resumindo, o ucho.info concorda com o jornalista Diogo Mainardi, ao mesmo tempo em que entende que a esquerda festiva desse nosso Brasil varonil valorizou em excesso a divergência de opiniões entre o jornalista e a empresária do varejo. E isso é facilmente explicado, pois no desgoverno de Dilma Vana Rousseff qualquer pequeno buraco na rua mais próxima é encarado como uma segura trincheira. Como os comunistas verde-louros nada têm a mostrar, a eles resta essa fanfarra descabida e mitômana.

23 de janeiro de 2014
ucho.info

VISÃO DISTORCIDA

PEC pretende acabar com auxílio-reclusão de criminoso e cria benefício para vítimas de crimes

preso_04A Câmara dos Deputados analisa a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 304/13, da deputada federal Antônia Lúcia (PSC-AC), que acaba com o auxílio-reclusão e cria um benefício mensal no valor de um salário mínimo para amparar vítimas de crimes e suas famílias.

Pelo texto, o novo benefício será pago à pessoa vítima de crime pelo período em que ela ficar afastada da atividade que garanta seu sustento.
Em caso de morte, o benefício será convertido em pensão ao cônjuge ou companheiro e a dependentes da vítima, conforme regulamentação posterior.

A PEC deixa claro que o benefício não poderá ser acumulado por vítimas que já estejam recebendo auxílio-doença, aposentadoria por invalidez ou pensão por morte.
Vítimas sem amparo
Para a autora, é mais justo amparar a família da vítima do que a família do criminoso. “Hoje não há previsão de amparo para vítimas do criminoso e suas famílias”, afirma.
Além disso, segundo ela, o fato do criminoso saber que sua família não ficará ao total desamparo se ele for recolhido à prisão, pode facilitar na decisão em cometer um crime.
“Por outro lado, quando o crime implica sequelas à vítima, impedindo que ela desempenhe a atividade que garante seu sustento, ela enfrenta hoje um total desamparo”, argumenta a deputada.
Auxílio aos dependentes de criminosos
Atualmente em vigor, o auxílio-reclusão é um benefício devido aos dependentes de trabalhadores que contribuem para a Previdência Social. É pago enquanto o segurado estiver preso sob regime fechado ou semiaberto e não receba qualquer remuneração.

O cálculo do benefício é feito com base na média dos salários de contribuição do preso, sendo concedido apenas quando esse referencial for igual ou inferior a R$ 971,78, em atendimento ao preceito constitucional de assegurar o benefício apenas para quem tem baixa renda.
De acordo com a autora da PEC, o objetivo é destinar os recursos atualmente utilizados para o pagamento do auxílio-reclusão à vítima do crime, quando sobreviver, ou para a família, no caso de morte.
Tramitação
Inicialmente, a proposta será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania quanto à admissibilidade. Em caso de aprovação, será encaminhada para comissão especial criada para sua análise e, na sequência, será votada em dois turnos pelo plenário.
Realidade distinta
A PEC em questão trata de forma equivocada o chamado auxílio-reclusão, importante para que a família do preso ou apenado tenha um mínimo de dignidade, evitando dessa maneira que outros parentes busquem no crime uma forma de subsistência.
Ademais, o benefício só é concedido àqueles que contribuíram para a Previdência Social. De tal modo, a proposta tenta acabar com um direito adquirido previsto na Constituição Federal.

23 de janeiro de 2014
ucho.info
(Com informações da Agência Câmara)

DILMA ESBANJA IRRESPONSABILIDADE E DIZ, NA SEDE DA FIFA QUE CONSTRUIR ESTÁDIOS "É RELATIVAMENTE SIMPLES".

 

dilma_rousseff_415Armação ilimitada – Definitivamente a presidente Dilma Rousseff não mais se incomoda em vociferar inverdades, em claro desafio aos brasileiros que têm a massa cinzenta em pleno funcionamento.

Nesta quinta-feira (23), durante reunião na sede da FIFA, em Zurique, na Suíça, a presidente disse que fazer um estádio “é relativamente simples”, não sem antes insistir que o Brasil estará pronto para receber a Copa do Mundo.

No encontro, Dilma e Joseph Blatter tentaram passar aos presentes e à imprensa que a entidade e o governo brasileiros têm uma parceria coesa.

A aparente tranquilidade de Blatter é mentirosa, pois o chefão do futebol planetário tem externado preocupação com o atraso em muitas das obras para a Copa, começando por alguns estádios que estão fora dos cronogramas apresentados à entidade.

Nesta semana, a FIFA anunciou que o atraso que impera nas obras da Arena da Baixada, e Curitiba, podem fazer com que a capital paranaense fique de fora da Copa. Jospeh Blatter também está preocupado com o estádio do Corinthians, o Itaquerão, uma vez que nem mesmo a data de inauguração da arena foi marcada.

O temor da entidade máxima do futebol é não conseguir testar, antes da Copa, os estádios que registram atrasos no cronograma de obras. Sempre ufanista, assim como o antecessor, Dilma disparou: “Os estádios são obras relativamente simples. O governo fará todo o empenho para fazer a Copa das Copas. Isso inclui estádios, aeroportos, portos. Tudo o que for necessário”.

A grande questão nesse imbróglio dos estádios está nas chances políticas que foram abertas com os atrasos nas obras do Itaquerão, em São Paulo, e na Arena da Baixada, em Curitiba. Isso porque os estados de São Paulo e Paraná estão na alça de mira do Partido dos Trabalhadores, que nas eleições de outubro próximo tentará mais uma vez tomar o Palácio dos Bandeirantes e o Palácio Iguaçu, sedes do Executivo paulista e paranaense, respectivamente.

Em São Paulo, o mais importante e rico estado brasileiro, o PT escolheu o Alexandre Padilha, ministro da Saúde, como candidato.
No Paraná, os petistas cerram fileiras em torno da candidatura de Gleisi Hoffmann, ainda chefe da Casa Civil e que continua devendo explicações sobre a nomeação do pedófilo Eduardo Gaievski para assessor especial da pasta, o que deu ao delinquente sexual a possibilidade de trabalhar a poucos metros da presidente da República.

23 de janeiro de 2014
ucho.info

O BRASIL PETRALHA EM MANCHETES DE ANTEONTEM E ONTEM...



Manchetes dos principais jornais e sites de notícias de terça e quarta feiras




 
Criação de emprego em 2013 é a menor em 10 anos

Déficit da Previdência sobre e vai a R$ 50 bilhões em 2013

Internet móvel pode falhar na Copa

A barbárie continua: outro preso é morto em Pedrinhas, São Luís

Arrecadação de impostos atinge R$ 1,1 tri em 2013 e bate recorde​

Com obras atrasadas, Curitiba pode ficar fora da Copa

Brasil: ONG aponta tortura e caos em presídios

Detento paga propina a diretor de cadeia com cartão de crédito

​61 milhões [de brasileiros] estão fora da força de trabalho

Planalto e PT agem para evitar onda de violência na Copa e dano eleitoral​

Jovem morre ​afogado durante alagamento no DF

Passageiros indignados em dias de caos nos trens do Rio​

Em Davos, Dilma tentará melhorar expectativa em relação ao Brasil

Futuro ministro da Saúde é investigado em SP por improbidade

​Por 3,5 milhões de reais, versão blindada do Audi A-8 suporta até granada


 
23 de janeiro de 2014
Do Ricardo Setti

LULA É "CABRA SAFADO", SEGUNDO ÂNCORA DO JORNAL DA BESTA FUBANA

SOBRE AS PEDRINHAS NOS SAPATOS DA FAMIGLIA SARNEY...


ISTO NÃO ESTÁ ME CHEIRANDO BEM...

23 de janeiro de 2014

MILITARES INICIAM CAMPANHA NACIONAL PELO VOTO ANTI PT


Vamos lá minha gente,.....vamos repassar para seus contatos, é um ato patriótico. 

 
 MILITARES INICIAM CAMPANHA NACIONAL PELO VOTO ANTI PT.

63 MILITARES INICIAM CAMPANHA NACIONAL PELO VOTO ANTI PT.

           Encaminho visando a fazer chegar a campanha a grupos, a clubes, a escolas, aos clubes e círculos militares, aos condomínios, a paróquias, a centros evangélicos. Visando ainda
à
formação de grupos de pessoas amigas capazes de acompanhar e estimular a mobilização nacional pelo voto anti PT.
 
REPASSEM PARA O BEM DO BRASIL

OS MILITARES,  PARTE DA IGREJA CATÓLICA, EVANGÉLICOS E MAÇONARIA  ESTÃO  CHEGANDO!!!!

VAMOS ÀS RUAS CONTRA O  COMUNISMO!!!!

ATENÇÃO  CLUBE MILITAR  DO  RIO!

ATENÇÃO MARINHA DO BRASIL!!

ATENÇÃO  CÍRCULOS  MILITARES  DO  SUDESTE.

ATENÇÃO EXÉRCITO  DO  NORDESTE.

MILITARES INICIAM CAMPANHA
NACIONAL PELO VOTO ANTI  PT

Eu repasso, e já estou decidido a votar no candidato que apresentar mais condições de arrancar o PT do poder. Dirão: mas isso é voto útil! E eu respondo: UTILÍSSIMO SIM... E melhor ainda se atingir o alvo!

1-ROGO AOS AMIGOS MILITARESE AMIGOS CIVIS QUE TAMBÉM ESTÃO REVOLTADOS COM OS DESMANDOS, AS ROUBALHEIRAS, COM OS ESCÂNDALOS E "MARACUTAIAS" QUE O PT E PETRALHADA  DESDE A POSSE DO "BÊBADO HORRORIS CAUSA"NA PRESIDÊNCIA VÊM NOS BRINDANDO, QUE REPASSEM PARA OS COLEGAS MILITARES, AMIGOS E PARENTES CIVIS, DE MODO QUE POSSAMOS FORMAR UMA CORRENTE DE PESSOAS DIGNAS E CORRETAS PARA FAZER FRENTE AO DOMÍNIO PETISTA.

2 -ESSA CORRENTE TEM QUE TENTAR, DE QUALQUER FORMA, ALCANÇAR AS PESSOAS DE BEM QUE NÃO TÊM ACESSO ÀS INFORMAÇÕES CORRETAS E VERDADEIRAS DAS BANDALHEIRAS QUE SÃO TRAIÇOEIRAMENTE ENCOBERTAS PELOS FAVORES DAS BOLSAS, DAS COTAS, DO EMPREGUISMO E DE AÇÕES POPULISTAS DE TODA ORDEM.
Sergio Caetano de Barros 
Já era hora!!!

ESTA É A MAIOR BATALHA SEM O USO DE NENHUM ARTEFATO BÉLICO, NÃO SÓ NÓS MILITARES, MAS  POR TODOS BRASILEIROS INSATISFEITOS COM AS MENTIRAS DESLAVADAS, VAMOS USAR APENAS UM TIPO DE ARMA QUE CAUSARÁ EM TODOS OS ENGANADORES DO BRASIL FERIMENTOS MORTAIS; ESTA ARMA, A MAIS  SIMPLES DE TODAS, O NOSSO VOTO
 
V A M O S  À  L U T A  B R A S I L
MILITARES INICIAM CAMPANHA NACIONAL ANTI PT
 
Militares entrevistados em Copacabana  na passeata pelo reajuste manifestaram enorme decepção com administração do Partido dos Trabalhadores, marcado por escândalos como Mensalão e Cachoeira, Rose, etc....

"Pensávamos que seria um governo de um homem do povo para o  povo, mas tudo indica que se transformou no governo dos escândalos e favorecimentos ilícitos"- disse um dos  militares.

Os militares das  Forças Armadas somam mais de 600.000 entre os que estão em atividade e os da reserva. Somados com seus dependentes e círculos de influência esse quantitativo pode passar de 5 milhões de pessoas. Um número que definitivamente pode mudar os rumos de qualquer  eleição.
 

Militares  estaduais também estão insatisfeitos com o governo federal, que não  facilitou para que as negociações sobre a PEC 300 prosseguissem. Na passeata em Copacabana verificou-se a presença de lideranças dos policiais e bombeiros do Rio de Janeiro, e isso acena para uma possível união de militares federais e estaduais. Se isso se  concretizar e chegar às urnas certamente será um problema a mais para os políticos vermelhos.
Os  militares das Forças Armadas, comumente, são homens de conduta ilibada e bem relacionados. Formadores de opinião. É frequente serem preferidos para  assumir cargos de síndico em seus edifícios, diáconos em igrejas católicas e evangélicas, pastores e líderes comunitários. Homens preparados e competentes como líderes  e aptos para discursar diante de pequenos e médios grupos, eles potencialmente representam realmente um perigo em potencial para o  partido da situação, se resolverem usar sua influência para um objetivo comum

Pesquisas  demonstram que as Forças Armadas são as instituições com maior  credibilidade no Brasil, o que confirma que os militares brasileiros gozam de excelente  reputação junto à sociedade. 

Nos últimos meses há frequente divergência entre militares das Forças Armadas e o governo. Manifestos Interclubes, abaixo-assinados dos oficiais e marcha virtual, são  exemplos de grandes questões surgidas ainda este ano. Essa aparente queda de braço com os militares pode causar bastante prejuízo nas  pretensões dos políticos que estão "confortáveis", já a curtíssimo prazo

Talvez assim consigamos  começar a melhorar este  país.....

PRECISAMOS MOSTRAR QUE TEMOS FORÇA, NÃO ESTAMOS MORTOS E ELES PASSARÃO A SE ACAUTELAR E NOS ENXERGAR COM O JUSTO RESPEITO E DIGNIDADE. ESSA É A MELHOR FORMA... VAMOS NOS UNIR, NÃO SE ACOVARDEM...
VOTEM EM QUEM QUISER, EXCETO  APENAS QUE NÃO SEJA ALGUÉM DO PT OU DE SEUS ALIADOS. POR AMOR AO PAÍS, VAMOS  IMPACTAR O
COMODISMO QUE DOMINA O GOVERNO FEDERAL E MOSTRAR QUE TEMOS - JUNTO COM O POVO QUE É SOBERANO -
 

 A MAIOR FORÇA, DA  INTERNET E DO  PODER DO  VOTO.
 Já passou da hora de virar a mesa!
Repasse para seus amigos
 
 "O mundo é um lugar perigoso de se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas sim por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer."(Albert Einstein)

"Sou um só, mas ainda assim sou um. Não posso fazer tudo, mas posso fazer alguma coisa. E por não poder fazer tudo, não me recusarei a fazer o pouco que posso"
 
23 de janeiro de 2014
in lilicarabina

LEIAM A VERDADE QUE LOBÃO DISSE EM ENTREVISTA NA FOLHA DE SÃO PAULO


 
Apenas para concluir  um raciocínio:
Se o Brasil está igual ou pior como esteve num determinado período de 1961 com essa mesma gente que hoje desgoverna o país, perceba o que a anti-civilidade diz abaixo no vídeo.
São todos pertencentes a uma geração que repete como papagaios o que este desgoverno ensina  os seus militantes.
É assombroso ouvir e ver o que está acontecendo no Brasil. A palavrinha "preconceito" está na boquinha de todos os ignorantes e psicopatas. Só eles não percebem que o Brasil decente não tolera o ROUBO, a Violência, o DESMANDO, a FALTA DE EDUCAÇÃO, A FALTA DE COMPETÊNCIA PARA GOVERNAR UM PÁIS MARAVILHOSO COMO O BRASIL.
O nosso Brasil de outrora nunca atendeu doentes em corredores dos hospitais sem a mínima condição de tratamento.
O nosso Brasil de outrora não era a visão do inferno.
Tudo funcionava muito bem, na ordem, na disciplina, na esperança do progresso à todos os brasileiros.
Hoje, o Brasil não passa de um grande hospício, ocupantes, lotados, empossados os mais perigosos psicopatas que orquestram a destruição do país e do povo.
Movcc
 

23 de janeiro de 2014
movcc

PARAGUAI DESCOLA DO BRASIL E TEM 3o. MAIOR CRESCIMENTO DO MUNDO, EM 2013



Presidente Horácio Cortez, varreu do mapa no Paraguai o "Bolivarianismo" que destrói e semeia a miséria.
 
Num ano definido pelos especialistas como "atípico" para o Paraguai, em 2013, a economia do país se "descolou" da brasileira, à qual tradicionalmente é ligada, e registrou um crescimento muito maior do que o do Brasil.
Segundo relatório do Banco Mundial, o Paraguai teve, no ano passado, o terceiro maior crescimento econômico do mundo: 14,1%. O Brasil, no mesmo período, cresceu 2,2%.
A disparidade chama a atenção, já que o Brasil tem participação estimada entre 19% e 30% no PIB paraguaio, de cerca de US$ 30 bilhões. Gráficos das economias dos dois países mostram que elas costumam ter oscilações semelhantes.
Segundo apurou a BBC Brasil, o "descolamento" está ligado a uma série de fatores, entre os quais a recuperação da economia paraguaia, após um ano de dificuldades, a maior diversificação de suas exportações (tentando diminuir sua dependência do Brasil) e uma maior abertura econômica, que inclui uma legislação tributária definida como "simples" em relação a outros países --incluindo o Brasil.
Mudança de perfil
 
Com 7 milhões de habitantes, cuja maioria é jovem e fala guarani, além do espanhol e muitas vezes o português, o Paraguai é o sétimo maior exportador de carne e o quarto maior exportador de soja do planeta.
Em 2012, o país teve problemas ao enfrentar a seca, que afetou a produção de soja, e também a febre aftosa. No ano passado, porém, com a recuperação da produção do país, o desempenho foi bem melhor.
"O Paraguai tem uma economia infinitamente menor que a brasileira, e, por isso, os efeitos das commodities são maiores nos seus resultados", disse um negociador brasileiro que acompanha a economia vizinha.
Mas, além disso, 2013 registrou também uma maior diversificação das exportações do país, que está dando um novo perfil ao vizinho brasileiro.
"Já são exportados produtos com valor agregado, como azeites, para diferentes mercados", afirmou o economista paraguaio Fernando Masi, do Centro de Análise e Difusão da Energia Paraguaia (Cadep). "Falta muito, mas já temos hoje sinais evidentes de um novo perfil econômico."
Além disso, o Paraguai tem conseguido exportar para países que, até alguns anos atrás, não tinham tanto destaque na balança comercial.
"Mesmo integrado ao Mercosul, o Paraguai fez a sua parte buscando outros mercados e hoje enviamos soja, carne e produtos industrializados, como plásticos, para a Rússia, o Oriente Médio e a Ásia", disse o ministro da Fazenda paraguaio, Germán Rojas, falando em português. Aqui
          Soja (acima) e outras commodities ainda são os principais produtos de exportação do país 
23 de janeiro de 2014
Marcia Carmo
De Buenos Aires para a BBC Brasil