"Quero imaginar sob que novos traços o despotismo poderia produzir-se no mundo... Depois de ter colhido em suas mãos poderosas cada indivíduo e de moldá-los a seu gosto, o governo estende seus braços sobre toda a sociedade... Não quebra as vontades, mas as amolece, submete e dirige... Raramente força a agir, mas opõe-se sem cessar a que se aja; não destrói, impede que se nasça; não tiraniza, incomoda, oprime, extingue, abestalha e reduz enfim cada nação a não ser mais que um rebanho de animais tímidos, do qual o governo é o pastor. (...)
A imprensa é, por excelência, o instrumento democrático da liberdade." Alexis de Tocqueville
(1805-1859)

"A democracia é a pior forma de governo imaginável, à exceção de todas as outras que foram experimentadas." Winston Churchill.

sexta-feira, 13 de maio de 2016

DECLARAÇÃO ASSUSTADORA DO MINISTRO GILMAR MENDES

As assustadoras declarações do Ministro Gilmar Mendes - YouTube

https://www.youtube.com/watch?v=Npe8QYKX4YM
6 de dez de 2015 - Vídeo enviado por Franco Barni
Gilmar Mendes fala da corrupção e até em cleptocracia. Assista o vídeo. Visit o blog: http ..


13 de maio de 2016
postado por m.americo

GRUPO PRÓ-PT E APOIADOR DE DILMA SUGERE FUZILAR A CLASSE MÉDIA

Grupo pró-PT e apoiador de Dilma sugere fuzilar a classe média ...

https://www.youtube.com/watch?v=_tlHue2lRtI
29 de ago de 2015 - Vídeo enviado por Ficha Social Especial
Grupo pró-PT e apoiador de Dilma sugere fuzilar a classe média .... Ele incita o fuzilamento da classe ...


13 de maio de 2016
postdo por m.americo

TEMER PROMETE IMPLEMENTAR O PROGRAMA MESÓCLISE PARA TODOS

PASÁRGADA – Enternecido por finalmente desfrutar da regência da Pátria, o ex-vice-presidente Michel Temer resgatou o espírito republicano de discursar na norma culta. “Outrora sob a égide do laquê paralisante / Apaziguei águas turvas sibilantes / Agora que provi a redistribuição dos louros/ Procurar-me-ão os profetas dos bons agouros”, recitou. Em seguida, com o intuito de provar que não abandonará os programas sociais, anunciou a criação do Mesóclise para Todos.

Antes que fosse interrompido por outrem, o ex-vice-presidente apresentou novas propostas: “Em vez de médicos cubanos, importarei 30 mil linguistas lusitanos especialistas em pentâmeros iâmbicos”. Logo depois, vazou um novo áudio no WhatsApp em que promete implementar os programas Minha Trova, Minha Lida e Mais Sinédoques. Para saciar a fome da base aliada, divulgou as matrizes do Bolsa Matilha.

Antes do crepúsculo, Temer apresentou Arnaldo Antunes como redator de seus discursos.


13 de maio de 2016
the piaui herald

ACONSELHADA POR VAMPETA, DILMA PRETENDE DESCER A RAMPA DE CAMBALHOTA

"Sairei da história como Sonic", dirá Dilma

LIMBO – A (ainda) presidente Dilma Rousseff convocou a imprensa golpista para anunciar os próximos passos de seu ex-governo. 
“Deixa a vida me levar, vida leva eu”, cantarolou a mandatária perecível antes de abrir os trabalhos e enquanto oferecia caipirinhas aos repórteres. 
“Resolvi avacalhar de vez essa bagaça e vou seguir os conselhos do velho Vampeta. Para sublinhar o caráter surreal do impeachment, descerei a rampa do Planalto de cambalhota”, anunciou, soltinha.

Dilma também revelou que vai dedicar seu período sabático ao autoconhecimento. “Pretendo rever todos os meus discursos para, quem sabe, entender o que disse”, declarou. Após um momento reflexivo, completou: “Nunca é tarde para aprender capoeira”.

Assessores próximos asseguram que Lula está arrasado com a iminência de ser afastado do cargo de ex-presidente em exercício.


13 de maio de 2016
the piaui herald

QUATRO MIL BOQUINHAS A MENOS

JUCÁ PROMETE CORTAR 4 MIL CARGOS EM COMISSÃO ATÉ O FINAL DO ANO
NOVO MODELO ECONÔMICO DA GESTÃO SERÁ MAIS ESTÁVEL, DIZ JUCÁ

O MINISTRO AVALIOU QUE A META FISCAL DEVE SER APROVADA NA PRÓXIMA SEMANA NO PARLAMENTO COM DÉFICIT DE R$ 96 BILHÕES FOTO: IGOR ESTRELA


O ministro do Planejamento, Romero Jucá, afirmou há pouco que o ajuste da economia de curto e médio prazo é fundamental para País voltar a crescer e destacou que a política econômica será comandada pelo ministros Henrique Meirelles, da Fazenda, com colaboração de todas as outras pastas.

Jucá cobrou equilíbrio fiscal e responsabilidade e disse que o presidente em exercício, Michel Temer, determinou que revejam estrutura de ministérios, com a previsão, em 31 de dezembro de 2016, de cortes de 4 mil cargos de comissões e outras formas de contratação sem concurso. "Cortes corresponderão ao dobro do que governo anterior disse que faria e não cumpriu", afirmou.

O ministro avaliou que a meta fiscal deve ser aprovada na próxima semana no Parlamento com déficit de R$ 96 bilhões. O novo ministro da Saúde e deputado federal licenciado Ricardo Barros (PMDB-PR), que foi relator da proposta de Orçamento, afirmou que o governo da presidente afastada Dilma Rousseff (PT) enviava corriqueiramente orçamentos com receitas superestimadas. Segundo ele, apesar da aprovação prevista da revisão da meta fiscal com déficit de R$ 96 bilhões, esse rombo certamente será revisto.

"Teremos certamente um déficit fiscal superior aos R$ 96 bilhões e terá de se reavaliar essa questão", disse. "Temos R$ 230 bilhões de restos a pagar que, obrigatoriamente, serão cumpridos por serem impositivos".

Ainda sobre a questão fiscal, Jucá afirmou que projetos de lei de aumento encaminhados e negociados com servidores serão mantidos, mas destacou: "O governo afastado enviou ontem (quinta) sete projetos de reajustes que ainda serão avaliados".

Segundo Jucá, o governo deve seguir trabalhando junto com Casa Civil para um novo procedimento de gestão e governança pública. "O processo de gasto da máquina será racionalizado e permanentemente acompanhado para ser eficaz", afirmou o ministro.

"Estabilidade"

Romero Jucá afirmou que, "com estabilidade do clima político", o governo do presidente em exercício, Michel Temer, poderá contar "rapidamente" com o ingresso de recursos de algumas medidas que estão no Congresso. "Existe uma série de ações voltadas para consolidação de um novo modelo econômico", disse. "Ações são complementares, mas medidas certamente levarão à queda da inflação e dos juros", afirmou.

Segundo Jucá, o novo modelo econômico da gestão Temer será "mais estável, equilibrado, menos intervencionista, menos ideológico e menos centralizador". "As reformas e mudanças avançarão a passos firmes e com muita responsabilidade", afirmou.

Jucá citou a criação de uma secretaria, dentro do Ministério da Fazenda, para a área de Previdência Social. Ele destacou que a Previdência é uma conquista do povo brasileiro e que o objetivo é buscar um modelo sustentável. "Queremos que o aposentado de hoje e o de daqui 15 anos possam receber na integralidade o que devem receber", disse.(AE)


13 de maio de 2016
diário do poder

HENRIQUE MEIRELLES: ENTREVISTA AO VIVO AO BOM DIA BRASIL

Imagem para o resultado de notícias
Bom Dia Brasil conversou ao vivo em Brasília com o ministro da Fazenda,Henrique .

13 de maio de 2016postado por m.americo

AS AMEAÇAS CRIMINOSAS DO TERRORISTA CAFAJESTE DA CUT

LULA E O PRESIDENTE DA CUT

TEM DE DEMITIR

Lauro Jardim informa que Mendonça Filho reuniu os servidores do ministério da Educação para uma solenidade e foi vaiado e chamado de golpista.

Se eles ocupam cargos comissionados, podem ser demitidos.




13 de maio de 2016
o antagonista


MORAES QUER PARCERIA COM SERRA NO COMBATE À VIOLÊNCIA


Moraes quer combate à violência

Diferente de José Eduardo Cardozo, que sempre fez cara de paisagem quando se discutia o elevado número de assassinatos no país, Alexandre de Moraes fez questão de chamar para si a responsabilidade na primeira reunião ministerial.

Ele disse aos colegas de Esplanada que quer criar um plano para combater este tipo de crime e fará parceria com secretários estaduais e, até mesmo com o Itamaraty de José Serra para enfrentar o tráfico internacional de armas e drogas.



13 de maio de 2016
Severino Motta, Veja

O VÍDEO NAUSEANTE DE LULA: O PRESIDENTE ILEGAL DO BRASIL, FALSO COMO NOTA DE R$ 13,00


Ex-presidente, que exerce ilegalmente e “de facto” a Presidência, sugere que Temer seria um presidente ilegítimo. É mentira! Ele também foi eleito


Ex-Presidente Lula grava novo vídeo com mensagem para ... - YouTube

https://www.youtube.com/watch?v=rptDTDkh6Q0
31 de mar de 2016 - Vídeo enviado por Canal Net TV
ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quinta-feira que ...vídeo com mensagem para ...


Chega a ser nauseante.

Sem exercer cargo formal nenhum, sem ser ministro, sem ter sido eleito por ninguém, rejeitado hoje pela larga maioria dos brasileiros, incapaz de dar explicações minimamente aceitáveis sobre as propriedades de que ele os filhos desfrutam, não obstante tudo isso, Lula se tornou o presidente “de facto” do Brasil. E este senhor que tem a coragem de vir a público com este vídeo:

No que está sendo lido como um recado ao vice-presidente Michel Temer (PMDB), afirma o ex-presidente: “Não há poder legítimo se a fonte não for o voto popular”.

Sim, Lula tem razão. Também acho. E é por isso que o seu poder é ilegítimo, não é, mesmo?

O Apedeuta se esquece, claro!, mas Michel Temer também foi eleito. Caso se torne presidente da República, na hipótese de Dilma sofrer um impedimento, ele o será segundo as regras vigentes na Constituição.

Prestem atenção a esta fala:
“O Brasil sabe que não existe solução fora da democracia, que não se conserta um país andando para trás, que não há poder legítimo se a fonte não for o voto popular”.

Quando Fernando Collor foi impichado, tendo Lula como um dos principais líderes do movimento pró-impeachment, andamos para a frente ou para trás? Sempre que, numa democracia, se aplica a solução constitucional, anda-se para a frente.

Lula comete ainda um erro de matemática e outro de moral — e nenhuma das duas coisas surpreende. Segundo o Apedeuta, o Brasil está dividido entre os que “querem atropelar a democracia, aprovando um impeachment sem base legal” e os que “acreditam na democracia e a defendem de corpo e alma”.

Uma ova! O país hoje é composto de uma esmagadora maioria que quer o impeachment e uma minoria de apaniguados que quer assegurar seus privilégios. Esse é o erro de matemática.

E há o erro moral: golpistas são os que estavam nas ruas nesta quinta. E democratas, os que defendem a saída constitucional, que é sinônimo do impeachment de Dilma.



13 de maio de 2016
Reinaldo Azevedo

O LADO VIRTUOSO DA CRISE: ESQUERDA VIRA REDUTO DE INCOMPETENTES, APROVEITADORES E VAGABUNDOS

O Brasil que trabalha, que se esforça, que luta para ganhar a vida honestamente, não aceita mais ser refém dessa pilantragem

A própria imprensa acabou dando pouco destaque ao acontecido porque, infelizmente, parte considerável do jornalismo é vitima de uma espécie de síndrome de Estocolmo quando o assunto é o PT: sente atração pelo seu sequestrador. Mas, aqui, a questão terá a devida visibilidade.

Nesta quinta, na patuscada armada por Dilma Rousseff para deixar o Palácio do Planalto, uma equipe da TV Globo, composta por cinco pessoas, foi atacada por fascistoides vermelhos. Entre os agredidos, estava a repórter Zileide Silva. Uma produtora chegou a levar um chute nas costas. Nada menos.

Pouco antes, os brucutus haviam cercado uma estrutura armada para o trabalho de jornalistas e fotógrafos, ameaçando derrubá-la, aos gritos de “mídia golpista”. Entrei no site da Fenaj — Federação Nacional dos Jornalistas — em busca de um nota de repúdio. Nada! Afinal, eram petistas e esquerdistas tentando espancar repórteres. A Fenaj, um asqueroso aparelho petista, não tem nada a dizer a respeito.

Não é preciso apelar à imaginação para chegar aos responsáveis por essas barbaridades. Quem inspira essas ações truculentas é a senhora presidente afastada da República, Dilma Rousseff, que insiste em impor a sua presença ao país, embora a esmagadora maioria dos brasileiros repudie a sua atuação.


Por que isso acontece? Porque os agressores seguem o exemplo de seus líderes e não reconhecem os valores da democracia. Ora, se uma presidente afastada, seu partido e as principais lideranças dessa agremiação chamam de golpe o triunfo da Constituição e do estado de direito, por que os vagabundos que vivem pendurados no estado e em entidades de classe, que transformam a militância política em mero meio de vida, não haveriam de fazê-lo?

Eis aí: é precisamente disso que o pais está cansado. O Brasil que trabalha, que se esforça, que luta para ganhar a vida honestamente, não aceita mais ser refém dessa pilantragem.

Se a canalha me indigna por seus métodos, pelo mal que causa a muita gente, pelo que significa de atraso para o país, confesso que experimento certo conforto entre intelectual e moral ao ver essa gente a cometer tantos erros.

Felizmente, o PT diz cada vez menos a um número cada vez maior de pessoas. Suas utopias coletivistas já não mobilizam os indivíduos de boa-fé. A exemplo do que acontece em todo o mundo civilizado, a militância de esquerda vai se tornando um reduto de incompetentes, de aproveitadores e de vagabundos.

É o lado virtuoso da crise.


13 de maio de 2016
Reinaldo Azevedo, Veja

O DENTE VOADOR...

Dente de Renan Calheiros cai durante coletiva - YouTube

https://www.youtube.com/watch?v=u5entJ_3N0k
2 dias atrás - Vídeo enviado por Correio Braziliense
Dente de Renan Calheiros cai durante coletiva ... Objeto branco cai da boca de Renan Calheiros ...

Para não morrer de tédio, a maioria da plateia foi dormir. Os que resistiram ao sono sonharam com a aparição de outro dente voador na boca de Renan
O Brasil decente merecia receber acordado a grande notícia: com a demissão de Dilma Rousseff, acabou o pesadelo que durou mais de 13 anos

Meia hora antes do início da votação do impeachment, Renan Calheiros concedia uma entrevista coletiva quando um dente fugiu, tangenciou a língua, colidiu com a arcada superior e voou para fora da boca. O vídeo de 13 segundos registra o momento mais dramática vivido pelo presidente do Senado numa quarta-feira especialmente tensa. E prova que Renan saíra da cama preparado para enfrentar durante a sessão histórica, sem perder a tranquilidade, qualquer tipo de incômodo. Até a fuga de um dente.

Quem consegue seguir falando enquanto um dente flutua encara qualquer tipo de martírio sem passar recibo. A gritaria de Vanessa Grazziotin, por exemplo. Ou uma questão de ordem recitada por Gleisi Hoffmann. Ou outro monumento à sabujice erguido com palavras por Lindbergh Farias. Por que haveria de incomodar-se com o desfile de oradores que ficam incontrolavelmente excitados com a chance de aparecer ao vivo em cadeia nacional de TV?

Não é surpreendente, portanto, que Renan tenha comandado com um sorriso irremovível e o entusiasmo de vereador no primeiro mandato a maratona que começou na manhã da quarta e durou 20 horas. No início da madrugada, mais de 30 atores esperavam o momento de discursar para uma plateia de jogo de várzea. Também por saberem qual seria o desfecho da disputa, mas sobretudo porque gente normal não suporta o insuportável, a imensa maioria dos espectadores foi dormir.

Entre os que resistiram ao tédio e ao sono, não foram poucos os que torceram para que aparecesse entre os lábios de Renan um canino de bom tamanho. 

Isso obrigaria o senador alagoano a decretar um intervalo suficientemente longo para ser socorrido por um craque da odontologia especializado em dentes voadores. 
Só assim o país que presta estaria acordado quando Renan anunciou o resultado da votação, e pronto para festejar a melhor notícia vinda da Praça dos Três Poderes nos últimos 13 anos.

O Congresso ouviu nitidamente a voz das ruas. Dilma Rousseff foi demitida pelo povo. 

A resistência democrática venceu. 
A era lulopetista acabou.


13 de maio de 2016
Augusto Nunes, Veja

A CAIXA PRETA DO PT ( ACABANDO COM O DÉFICIT DA TRANSPARÊNCIA)


Um auxiliar de Michel Temer disse a Gerson Camarotti, do G1, que "a ordem é abrir a caixa-preta do governo do PT".

Outro auxiliar completou:

"Temer não vai ser responsabilizado por problemas ou irregularidades que aconteceram no governo Dilma. Por isso, a ordem é mostrar detalhadamente como está a situação de cada área."


Michel Temer tem de abrir a caixa-preta e, sobretudo, monstrá-la a todos os brasileiros.


13 de maio de 2016
o antagonista

O DAY AFTER PETISTA




Acabou. Dilma Roussef e seu partido de bandidos foram finalmente enxotados do poder.

A decisão da Câmara pelo Impeachment foi repetida pelo Senado.

O povo brasileiro com manifestações memoráveis e depositando fé no seu legislativo se viu livre de um projeto de poder que corria célere para escravizá-lo. Mas a reconstrução do país será árdua, pois a destruição que o petismo causou a ele e á nação foi brutal. Onze milhões de desempregados, milhares de empresas quebradas, a economia em recessão. Isso pelo lado econômico.

Mas o PT também pôs o país de ponta cabeça implantando imundícies subversivas na educação, e cultura. Deturpou através do MEC a educação em prol da doutrinação comunista e ódio ao mercado; fez cartilha para obrigar o povo a “falar” politicamente correto; promoveu o ódio entre brasileiros disseminado á luta de classe em todos os setores; tentou criar os soviets; financiou os bandidos dos movimentos sociais para invadir propriedades rurais e urbanas; reforçou o desarmamento dos cidadãos, fez apologia e financiou bandidos presos; promoveu a destruição da alta cultura corrompendo “artistas” bocós para disseminar asneiras como arte e defender o petismo; tentou criminalizar liberdade de opinião sobre sexo criando lei da homofobia; depois de tirar a autoridade dos professores em classe tentou tirar a dos pais em casa criando imbecilidades perigosas como a lei da palmada; lutou o que pode pela implantação do racismo indígena e negro contra a sociedade; promoveu a ideologia do LGBT como norma a ser respeitada e seguida pela sociedade; lutou o que pode pela implantação da Ideologia de Gênero através dos legislativos municipais; através do feminismo disseminou ódio ao homem pela mulher; envenenou o que pode nos currículos e livros escolares a mente da infância e juventude com apologia á drogas, sexismo, erotização, gaysismo, desrespeito aos pais, á família, á religião, e disseminou suprema afeição á pobreza, e ao socialismo. O PT corrompeu boa parte do legislativo e aparelhou outra parte de instituições como o STF.

O PT corrompeu, corrompeu, corrompeu; mentiu, mentiu, e mentiu; cometeu estelionato eleitoral e deu o suado recurso do povo brasileiro para ditaduras sanguinárias na África, e para as tiranias bolivarianas. Bilhões e bilhões de reais do povo brasileiro foram doadas para ditaduras amigas do PT.

Agora, escorraçado do poder pela nação e suas instituições, esse partido nazi-comunista chamado PT minou o terreno até o último minuto; fez política de terra arrasada até o último segundo, promovendo aumentos absurdos para inviabilizar o governo sucessor; humilhou até seus últimos dias o Exército Nacional, declarando-o publicamente “preparado” para a segurança das Olimpíadas ao mesmo tempo em que lhe entregava coletes vencidos e apenas cinco balas para cada homem.

Sim, o Day After petista é amargo e dolorido. A luta agora é antes de tudo cultural. Lutar em todos os setores sociais pela ocupação de espaço da sensatez. Nas Igrejas, escolas, universidades, mídia, nos sindicatos. O PT lutou muito e sujo para escravizar o povo brasileiro no comunismo. Vamos lutar com a luz da liberdade e da prosperidade. Mercado, muito mercado, livre, e a pujança do tradicional conservadorismo do povo brasileiro.

Quanto aos facínoras petistas tomar todos os bens roubados por seus dirigentes e familiares seria algo desejável.

Cassar o registro partidário e condenar á morte seus dirigentes por alta traição o justo.

No entanto, no limite do que se tem que a Polícia e á Justiça cumpram o seu dever.



13 de maio de 2016
Ivan Lima é editor de Libertatum.

O BRASIL DECENTE AGRADECE: ATENÇÃO: NOVO "MINISTRO" PROMETE GUERRA AO MST



Estadão - A estratégia do governo Michel Temer para reagir a qualquer ataque dos movimentos sociais está definida. 
O deputado Osmar Terra (PMDB-RS), convidado para comandar o Ministério do Desenvolvimento Social e da Reforma Agrária, tem posição clara sobre como lidar com o MST: 

“Se estiverem usando as verbas públicas para serem eficazes, tudo bem. Mas se for só agitação contra o governo, guerra é guerra. E cada um vai usar as armas que tem e as nossas são as verbas”.


13 de maio de 2016
in movcc

NOVO MINISTRO DA JUSTIÇA PROMETE COMBATER "ATITUDES CRIMINOSAS" DE MOVIMENTOS SOCIAIS




O recém-empossado ministro da Justiça e Cidadania, Alexandre de Moraes, declarou na quinta-feira (12) que atitudes de movimentos sociais consideradas como “criminosas” precisam ser combatidas à altura pelas forças de segurança pública.

Moraes conversou com um grupo de jornalistas após participar da cerimônia de posse do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes. 
Na ocasião, ele foi perguntado sobre as muitas críticas que já recebeu com relação ao seu posicionamento intransigente diante de protestos e manifestações em espaços públicos.

"Não fui bastante questionado não. São dois, três jornalistas que questionam, não a população" – respondeu. Diante da insistência na pergunta, questionou: "Qual movimento social? Me diga um."

"Como todo movimento social, o MTST [Movimento dos Trabalhadores sem Teto] tem todo o direito de se manifestar. MTST, ABC ou ZYH serão combatidos a partir do momento em que deixarem o livre direito de se manifestar para queimar pneu, colocar em risco as pessoas, que são atitudes criminosas" – acrescentou o ministro.


© FOTO: LEONARDO VERAS

Vale lembrar, que em seu discurso de posse na Secretaria da Segurança Pública (SSP) de São Paulo, Moraes defendeu o uso de balas de borracha por policiais no controle de multidões. 
Além disso, em fevereiro, sob seu comando, a Secretaria resolveu tornar sigilosos por 50 anos todos os boletins de ocorrência registrados pela polícia em São Paulo. 
Foram classificados como secretos também os manuais e procedimentos da Polícia Militar paulista. 
A decisão foi assinada por Geraldo Alckmin.

Leia mais: http://br.sputniknews.com/brasil

13 de maio de 2016
in sputniknews

GILMAR CRITICA DESCALABROS DA "TRUPE" QUE TOMOU O PAÍS DE ASSALTO

PAÍS FOI TOMADO DE ASSALTO POR 'TRUPE DE INSENSATOS', DIZ ELE

GILMAR MENDES: A CADA MANHÃ, OS BRASILEIROS ESPERAM O ESCÂNDALO DA HORA. (FOTO: NELSON JR)


Em duro discurso com críticas aos anos de governo do PT, o ministro Gilmar Mendes, fez votos de sucesso ao presidente da República em exercício, Michel Temer, que participou da cerimônia de sua posse como presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Sem mencionar o nome de Dilma Rousseff e do antecessor Lula, o ministro afirmou que a atual crise impõe ao País um clima de sobressalto, "como se, a cada manhã, os brasileiros se pusessem a postos para esperar o escândalo da hora".

"Olhando-se o mal engendrado conjunto formado por esse impressionante ciclo de descalabros, de afrontas à nossa ordem constitucional, tão duramente conquistada, e de ofensas à honra pessoal de cada cidadão, tem-se a viva impressão de que nossa combalida República parece ter sido tomada de assalto por empedernida trupe de insensatos", disse.

O afastamento da presidente Dilma Rousseff pelo processo do impeachment interrompe a hegemonia de 14 anos e meio do PT a frente do poder Executivo federal. O novo presidente do TSE fez referência ao processo.

- Soubemos resistir bravamente a esse imenso e revolto mar de desmandos, valendo-nos apenas de ferramentas legais, de modo que continuamos persistentemente a consolidar nossas vitórias civilizatórias neste que já é o mais longo período de normalidade institucional da República.

Com elogios à Operação Lava Jato, o ministro mencionou o escândalo do mensalão, de 2005, e afirmou que, agora, o País "passa ao largo da inércia" e que "não remanesce qualquer dúvida de que o País se reorientou, guiando-se agora pelos ventos incontroláveis da participação cidadã", em referência às manifestações populares contra o governo Dilma.

"Os protestos vocalizados nas maiores manifestações populares já havidas nesta parte do hemisfério, a reunir milhões de inconformados, mostraram ao mundo que o Brasil, além de haver despertado da perversa mítica que o transmudou em eterno país do futuro, afirma, aos brados e de olhos bem abertos, que quer mudanças substanciais, e não promessas deslavadamente mentirosas a revelarem atroz cinismo", criticou.

Chapa Dilma/Temer


O ministro assume a Corte no momento em que tramitam quatro ações que apontam irregularidades na chapa presidencial eleita em 2014, em que o presidente em exercício configura como vice. Gilmar será provavelmente responsável por conduzir o julgamento das ações, que podem resultar na cassação do mandato do peemedebista e também de Dilma, caso ela não perca o mandato pelo processo do impeachment.

"Este Tribunal, tenho repetido, não compactuará com qualquer tipo de astúcia que conduza à mínima assimetria capaz de deslegitimar o processo eleitoral, a exemplo dos abusos econômicos e políticos que tanto macularam as últimas disputas, agora objeto de detida e rigorosa análise judicial", disse o ministro.

Eleições

Gilmar Mendes, que assume o TSE em ano de eleição municipal, disse que "longa será a caminhada e árdua será a peleja" este ano, principalmente diante das mudanças na legislação eleitoral, que barraram as doações empresariais.

Ele chamou a alteração do modelo de financiamento de campanha de "salto no escuro". "Em síntese, a Justiça Eleitoral terá de testar, neste, que será o maior dos sufrágios, modelo que, assentado em bases frágeis e pouco realistas, não parece fadado ao sucesso", afirmou.

Ele também criticou o corte no orçamento do TSE, justamente no ano em que será realizado o "evento de maior afirmação democrática pátria".



13 de maio de 2016
diário do poder

SECRETARIA CUIDARÁ DA PREVIDÊNCIA NO MINISTÉRIO DA FAZENDA

SEM REFORMA, EM ALGUNS ANOS FALTARÁ DINHEIRO PARA APOSENTADOS

A REFORMA DA PREVIDÊNCIA NÃO PODERÁ QUEBRAR DIREITOS, MAS PRECISA ENCONTRAR UM PONTO DE EQUILÍBRIO PARA O FUTURO, DIZ ROMERO JUCÁ.


O ministro do Planejamento, Romero Jucá, disse que será criada uma secretaria, dentro do Ministério da Fazenda, para a área de Previdência Social. O órgão será responsável por fazer mudanças nas regras que dão direito à aposentadoria e pensões no Brasil. "Se não fizermos uma reforma, daqui a alguns anos, os aposentados não vão receber porque não vai ter dinheiro", disse Jucá, depois da cerimônia de posse do presidente em exercício Michel Temer.

"É necessário construir uma proposta de reforma que não quebre os direitos, mas que sinalize um ponto de equilíbrio para o futuro", afirmou o ministro. Jucá citou o caso da Grécia, onde, segundo ele, os benefícios foram cortados em 30% por causa das regras.


O ministro elencou os projetos que o governo Temer tem pressa para aprovar no Congresso Nacional, com o objetivo de reanimar a economia. Segundo ele, entre as propostas está elevar a alíquota da Desvinculação de Receitas da União (DRU) de 20% para 30%, o que dará flexibilidade à alocação dos recursos públicos.

Jucá também mencionou a convalidação dos incentivos fiscais concedidos pelos Estados às empresas com o Imposto de Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS). Esses incentivos foram dados no passado para favorecer a instalação de indústrias, mas foram considerados inconstitucionais pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Hoje, esses incentivos geram insegurança jurídica para as empresas e atrapalham os investimentos porque as companhias beneficiadas podem ter de compensar o benefício que ganharam durante esses anos. Essa convalidação também é importante para a prometida reforma do ICMS, que prevê a unificação das alíquotas de todos os Estados. Jucá disse que o governo usará os recursos da repatriação para bancar a reforma do ICMS e a convalidação.

De acordo com o ministro do Planejamento, também é preciso aprovar a medida provisória, enviada no fim do ano passado pelo atual governo, que busca acelerar os acordos de leniência entre empresas acusadas de corrupção e o poder público a fim de permitir que elas voltem a participar de contratações feitas pelo Estado.

A medida é uma demanda de empresários e sindicalistas, preocupados com o impacto da Operação Lava Jato sobre a economia e o emprego. A MP permite que a União, Estados e municípios realizem acordos de leniência de forma isolada ou em conjunto com o Ministério Público.



13 de maio de 2016
diário do poder

JUSTIÇA MANDA FERNANDO PIMENTEL DEMITIR A MULHER DO SECRETARIADO

GOVERNADOR DE MINAS TEM 48H PARA CUMPRIR DECISÃO DE 1ª INSTÂNCIA

FERNANDO PIMENTEL E SUA MULHER, CAROLINA, QUE ELE NOMEOU SECRETÁRIA DO TRABALHO.


A Justiça de Minas Gerais mandou exonerar a primeira-dama do Estado, Carolina de Oliveira Pereira Pimentel, do cargo de secretária de Trabalho e Desenvolvimento Social no governo do marido, Fernando Pimentel (PT). A decisão, em caráter liminar, foi tomada nesta quinta, 12, pelo juiz Michel Curi e Silva, da 1ª Vara da Fazenda Pública de Estadual, dentro de ação movida pelo advogado Mariel Márley Marra, o mesmo que pediu o impeachment do agora presidente em exercício, Michel Temer (PMDB).

Assim como Pimentel, Carolina é investigada dentro da Operação Acrônimo, da Polícia Federal, que apura supostas irregularidades na campanha do petista ao governo de Minas Gerais em 2014.

A indicação da primeira-dama para o cargo teria como objetivo transferir ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) o julgamento da Carolina Pimentel dentro da Acrônimo, que hoje está no Superior Tribunal de Justiça (STJ). A defesa de Carolina nega a existência dessa estratégia. O governo do estado ainda não se posicionou sobre a decisão do juiz Michel Curi.

A saída da primeira-dama do cargo precisa ocorrer, conforme a decisão, em 48 horas. Caso contrário, caberá possibilidade de enquadramento em crime de desobediência.

Em seu posicionamento, o juiz afirma ter ficado "plenamente convencido a, neste primeiro momento, deferir o pedido liminar foi a sucessão e soma dos inquestionáveis fatos e acontecimentos que precederam a nomeação hostilizada pelos autores, a saber: o fato de tratar-se de mais próxima e íntima parente do senhor governador (sua esposa), somado aos fatos de que ela se encontra na situação de 'alvo' em conhecida investigação da Polícia Federal e de que as diversas ações populares asseveraram que o intuito da nomeação foi o de tentar beneficiar a própria esposa, valendo-se de mandato popular".



13 de maio de 2016
diário do poder

NOVO AGU DEVERÁ SUBSTITUIR LEWANDOWSKI EM SETEMBRO

FÁBIO OSÓRIO MEDINA É NOME FORTE PARA A VAGA DE LEWANDOWSKI

FÁBIO MEDINA VIROU O NOME MAIS FORTE PARA A VAGA DE LEWANDOWSKI NO STF. FOTO: PEDRO FRANÇA/SENADO

A elogiada escolha do gaúcho Fábio Osório Medina para chefiar a Advocacia Geral da União (AGU) é o prenúncio de outra indicação ainda mais importante: ele já chega ao cargo como o mais forte nome para a vaga de Ricardo Lewandowski no Supremo Tribunal Federal (STF). O ministro admitiu a colegas que vai pendurar a toga no fim do mandato de presidente do STF, que se encerra em 10 de setembro. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

A chance de virar ministro do STF explicaria a opção de Fábio Medina, trocando sua requisitada banca de advocacia em São Paulo pela AGU.

Casado com procuradora da Fazenda Nacional, pai de dois filhos, Medina fez carreira no Ministério Público, até exercer a advocacia.

Fábio Medina tomou posse aos 24 anos como promotor de Justiça no Rio Grande do Sul, com forte atuação no combate à improbidade.



13 de maio de 2016
diário do poder

JUCÁ PROMETE CORTAR 4 MIL CARGOS EM COMISSÃO ATÉ O FINAL DO ANO

AJUSTE NA ECONOMIA
SEGUNDO JUCÁ, O NOVO MODELO ECONÔMICO DA GESTÃO TEMER SERÁ "MAIS ESTÁVEL


O MINISTRO AVALIOU QUE A META FISCAL DEVE SER APROVADA NA PRÓXIMA SEMANA NO PARLAMENTO COM DÉFICIT DE R$ 96 BILHÕES FOTO: IGOR ESTRELA


O ministro do Planejamento, Romero Jucá, afirmou há pouco que o ajuste da economia de curto e médio prazo é fundamental para País voltar a crescer e destacou que a política econômica será comandada pelo ministros Henrique Meirelles, da Fazenda, com colaboração de todas as outras pastas.

Jucá cobrou equilíbrio fiscal e responsabilidade e disse que o presidente em exercício, Michel Temer, determinou que revejam estrutura de ministérios, com a previsão, em 31 de dezembro de 2016, de cortes de 4 mil cargos de comissões e outras formas de contratação sem concurso. "Cortes corresponderão ao dobro do que governo anterior disse que faria e não cumpriu", afirmou.

O ministro avaliou que a meta fiscal deve ser aprovada na próxima semana no Parlamento com déficit de R$ 96 bilhões. O novo ministro da Saúde e deputado federal licenciado Ricardo Barros (PMDB-PR), que foi relator da proposta de Orçamento, afirmou que o governo da presidente afastada Dilma Rousseff (PT) enviava corriqueiramente orçamentos com receitas superestimadas. Segundo ele, apesar da aprovação prevista da revisão da meta fiscal com déficit de R$ 96 bilhões, esse rombo certamente será revisto.

"Teremos certamente um déficit fiscal superior aos R$ 96 bilhões e terá de se reavaliar essa questão", disse. "Temos R$ 230 bilhões de restos a pagar que, obrigatoriamente, serão cumpridos por serem impositivos".

Ainda sobre a questão fiscal, Jucá afirmou que projetos de lei de aumento encaminhados e negociados com servidores serão mantidos, mas destacou: "O governo afastado enviou ontem (quinta) sete projetos de reajustes que ainda serão avaliados".

Segundo Jucá, o governo deve seguir trabalhando junto com Casa Civil para um novo procedimento de gestão e governança pública. "O processo de gasto da máquina será racionalizado e permanentemente acompanhado para ser eficaz", afirmou o ministro.

"Estabilidade"

Romero Jucá afirmou que, "com estabilidade do clima político", o governo do presidente em exercício, Michel Temer, poderá contar "rapidamente" com o ingresso de recursos de algumas medidas que estão no Congresso. "Existe uma série de ações voltadas para consolidação de um novo modelo econômico", disse. "Ações são complementares, mas medidas certamente levarão à queda da inflação e dos juros", afirmou.

Segundo Jucá, o novo modelo econômico da gestão Temer será "mais estável, equilibrado, menos intervencionista, menos ideológico e menos centralizador". "As reformas e mudanças avançarão a passos firmes e com muita responsabilidade", afirmou.

Jucá citou a criação de uma secretaria, dentro do Ministério da Fazenda, para a área de Previdência Social. Ele destacou que a Previdência é uma conquista do povo brasileiro e que o objetivo é buscar um modelo sustentável. "Queremos que o aposentado de hoje e o de daqui 15 anos possam receber na integralidade o que devem receber", disse.(AE)


13 de maio de 2016
diário do poder