"Quero imaginar sob que novos traços o despotismo poderia produzir-se no mundo... Depois de ter colhido em suas mãos poderosas cada indivíduo e de moldá-los a seu gosto, o governo estende seus braços sobre toda a sociedade... Não quebra as vontades, mas as amolece, submete e dirige... Raramente força a agir, mas opõe-se sem cessar a que se aja; não destrói, impede que se nasça; não tiraniza, incomoda, oprime, extingue, abestalha e reduz enfim cada nação a não ser mais que um rebanho de animais tímidos, do qual o governo é o pastor. (...)
A imprensa é, por excelência, o instrumento democrático da liberdade." Alexis de Tocqueville
(1805-1859)

"A democracia é a pior forma de governo imaginável, à exceção de todas as outras que foram experimentadas." Winston Churchill.

sexta-feira, 20 de junho de 2014

ALBERTO CANTOLICE E O ÓDIO SELETIVO DA ESQUERDA VAGABUNDA


Muita gente ainda lembra do "era-era" que a esquerdalha vagabunda promoveu contra Rachel Sheherazade naquele comentário em que ela NÃO fomentou o ódio entre a sociedade e os futuros militantes do PT, os bandidinhos que viraram vítimas da sociedade truculenta e intolerante.

Na verdade, a jornalista apenas mostrou que a população começa a tomar a justiça nas próprias mãos quando o estado deixa de atuar em favor dos humanos direitos.

A justiça nas próprias mãos, coisa que sou favorável, mas tenho consciência de que podem promover absurdos como o linchamento de uma  inocente dona de casa em uma favela no Guarujá por conta de uma filhadaputa de uma assistida por bolsa alguma coisa que em veze estar trabalhando para sair da miséria, passa o dia em rede social para fazer fofoca. 
As inocentes perdas em uma guerra imunda que a sociedade trava com a impunidade e a "in"justiça.

Rachel foi caçada sistematicamente pela esquerdalha vagabunda, não pelo comentário politicamente incorreto no caso do vagabundinho preso ao poste, mas sim pelos comentários contundentes contra a classe políticanalha da pocilga.

O comentário sobre o vagabundinho foi o estopim que os "Pitt Bulls" de aluguel precisavam para tentarem de todas as formas pedirem a cabeça da jornalista.

E como no ser humano a parte mais sensível do corpo é o bolso, e no Brasil do PT a parte mais negociável são as imorais verbas de publicidade das estatais. O todo poderoso do SBT, SS, recuou, calou Rachel em nome da saúde financeira da emissora em um misto de muito obrigado pelo fato do governo do Boquirroto ter comprado por alguns BI, o banco Panamericano endividado e insolvente. 

O que mais me espantou nessa presepada foi o fato da tão contundente jornalista aceitar o cala boca sem protestar. Entendo que um salário de noventa paus por mês é um ótimo argumento para derrubar qualquer postura de liberdade de opinião que se tem conhecimento. E como diz o velho ditado "Todo homem tem seu preço" e pelo visto, mulheres também.
Bem, nas redes sociais estão pipocando as declarações de um PTralha de quinta categoria, outro mamulengo do EX presidente Boquirroto. 

Um tal de Cantolice destilou o ódio ideológico contra quem se opõe aos desmandos e truculência do PT e seus asseclas.
Após a presidANTA Dilmarionett Dentuça ser "homenageada" com sonoras vaias e acertadamente aconselhada pela população a ir tomar no cú, e em queda livre nas compradas pesquisas eleitorais, começou uma guerra no ninho dos Ratos Vermelhos, vimos o EX presidente Boquirroto falar em falta de educação.... Logo quem hein?

De falta de educação à cizânia ideológica e a luta de classes, todos os tipos de argumentos e desculpas vagabundas foram destiladas junto ao ódio que a democracia plena causa num PTralha.

E quando nos damos conta, o vice treco de sub coisa do partido dos Ratos Vermelhos vem a público e solta uma nota dirigida aos militontos do partido pedindo a cabeça  de alguns jornalistas que não curvaram suas espinhas ao ditatorial projeto de poder do PT.

Cantolice simplesmente pregou o ódio e abertamente colocou preço nas cabeças de democráticos jornalistas. Fez o que Rachel Sheherazade não fez e foi punida pela ideologia vagabunda.

E a sociedade Tupiniquim através dos aproveitadores de plantão e sub celebridades sem noção começaram uma verdadeira guerra politicamente correta contra a jornalista, e agora que um membro do partido pede a justiça nas próprias mãos por não conseguir calar democráticos brasileiros, convenientemente e covardemente se calam, ficam mais quietos que raparigas de pastores.

Um crime punido pelo código penal, aquele que esfregaram na cara de Sheherazade, e não esfregam na cara de vagabundos do naipe do Cantolice. Onde será que andam agora os artistas e jornalistas coxinhas do naipe de um Boechat, que vomitaram insanidades atrozes contra Rachel e até agora não sentiram-se tão ofendidos com a "caça as bruxas" que estão tentando promover no meio de nossa sociedade.

É óbvio que toda essa situação está acontecendo promovida pela "boquirrotice" do ex presidente que entre outras, afirmou que os que vaiaram Dilmarionett pertenciam a elite branca de SP. Uma vez que os pobres não vaiam a jumenta mamulenga porque não tem grana para comprar ingressos para os jogos da Copa.

Bem, quem trouxe a Copa e aceitou todas as exigências da FIFA foi justamente o ex presidente com sua bizarra criação. Agora a Copa é das elites brancas do ódio social que todo çoçialista babaneiro enxerga como verdade absoluta.

O "apartaide" racial e social promovido no país nos últimos doze anos estão aí sendo atirados na cara do gigante adormecido ufano patriota trocador de figurinhas está a pleno vapor. E quando o partido percebe que a população, ou parte dela, aquela que não troca voto por migalhas, está começando a perceber que o PT é o maior atraso nuncanatesvistonahistóriadestepaís que estão jogando o Brasil no atraso técnológico, na inflação, na estagnação e agora em uma guerra civil, e começam a repensar seus votos, os ratos vermelhos partem para a retaliação, usam a cartilha vermelha e saem em busca do quanto pior melhor.

Já derrotaram Joaquim Barbosa com o ódio destilado nas redes sociais, ameaçaram de morte e usaram e abusaram da segregação racial, e a putada patrulheira racial orgulhosa de sua negritude...calada, convenientemente calada. Vagabundos hipócritas.

Barbosa renunciou a relatoria do mensalão, agora, com Barroso na relatoria é líquida e certa a soltura dos "mártires" da bandalheira. E VIVA O BRASIL!!!
Não digo nada em ver Zé Dirceu candidato a presidente logo logo...

Nossa sorte é que os jornalistas atingidos pela baba raivosa e convenientemente dirigida ainda não foram calados pelas ameaças do poder econômico dos odiosos e imorais anúncios de estatais contra os veículos  que os valorosos jornalistas atuam.
Não vejo a comunista de araque e feia pra caraleo Jandira Fegalli sair em busca de retaliações contra um de seus pares.
 
Não temos ouvido, lido ou visto discursos coxinhas e cheios de ódio e ideologia vagabunda em busca de calar tão vil e criminoso palhaço do PT.  No bananal çoçialista, dois pesos e duas medidas sempre e nunca a velha máxima "aos amigos tudo, aos inimigos o peso das leis" esteve tão em evidência.

Cantolice deveria ser preso ou processado por ter cometido alguns crime, entre eles o de ameaça e o de fomento a violência, mas a justiça no Brasil que nunca foi lá grande coisa, nos dias de hoje está se arrastando no esgoto da ineficiência e da impunidade.

Cantolice faz o trabalho sujo para o EX presidente Boquirroto, a UNE não faz trabalho algum, a OAB não serve para porra nenhuma, o congresso, oras o congresso, e os Black Bostas aliados ao partido de aluguel, o sabujo ideológico do PT, o PSOL, fazem o trabalho de colocar a sociedade em xeque, vão às ruas promovem todo tipo de baderna, destroem patrimônio público e particular e contam com a imprensa vagabunda para apenas mostrar a "truculência" da polícia.

E enquanto o país caminha a passos largos para a baderna, o povão do pão e circo está feliz da vida gritando gol na copa que não iria acontecer. 

Quando chegarmos ao final deste ano poderemos agradecer aos céus se ainda tivermos uma sociedade minimamente organizada, porque se dependermos dos Ratos Vermelhos, a CÚbanização do boiolivarianismo do século XXI estará a pleno vapor.

E aos jornalistas que foram ameaçados restaram apenas as queixas crime contra o vagabundo PTralha e as defesas em próprio nome nos veículos que ainda dão espaço para eles.
 
Mas, pelo visto isso certamente irá acabar, na cabeça de um bananeiro çoçialista tudo só estará de acordo no dia em que TODA a imprensa estiver a seus pés. Uma grande parte dela já está ajoelhada e chupando algumas bolas, outra ainda resiste, e essa tem que ser caçada e calada, a tiros se possível. 
E tem idiota que ainda reclama dos militare.
 
20 de junho de 2014
omascate

LEIA E CRITIQUE A ÍNTEGRA DO DOCUMENTO COM OS 12 PONTOS PARA O BRASIL, DIVULGADO POR AÉCIO NEVES


Abaixo, a introdução do documento do PSDB. A ela se seguem os links com as 12 questões elencadas pelo partido, que remeteriam a problemas essenciais do país. Ainda voltarei ao assunto.

“O PSDB oferece à sua consideração as bases de uma nova agenda para o país. Uma agenda que tem como objetivo resgatar a enorme dívida social que o país ainda tem com milhões de cidadãos e garantir às novas gerações as condições para viver num Brasil mais justo, democrático e desenvolvido, onde riquezas que pertencem a todos estejam a serviço de todos. Um país em que o conhecimento, a renda e as oportunidades sejam distribuídos com justiça. Um país da integração e não da divisão. Onde a ação política não estimule o ódio e a intolerância, mas abra caminhos para uma sociedade solidária.

Um país que olhe seu futuro com mais esperança e tranquilidade. Sonhamos com um país em que os brasileiros desfrutem das liberdades – públicas e individuais –, de prosperidade e bem-estar. Que, de forma solidária, possam se reconhecer uns nos sonhos dos outros. Um país em que o governo exerça com responsabilidade e eficiência o seu dever de apoiar a população mais pobre e onde a livre iniciativa e o empreendedorismo sejam estimulados. Um país que acredite na capacidade de seus cidadãos serem independentes. Onde a democracia seja valor incontestável e os malfeitos, punidos. Em que o Estado cumpra seu papel, assegure melhor ambiente para o investimento e o desenvolvimento e garanta igualdade de oportunidades.

Um Brasil em que a educação seja verdadeira causa nacional, a estratégia central para a transformação do país. Onde o destino de cada criança não seja mais determinado pelas condições materiais de sua família ou pelo local em que nasce ou vive. Sonhamos com um país que participe ativamente da comunidade internacional, negociando com todos os continentes. Um país justo, inovador, sustentável, produtivo, integrado e moderno. E que valorize ainda mais a sua rica diversidade cultural.

Este documento é mais um passo de uma conversa que, pretendemos, seja com todos os brasileiros. A nova agenda que o PSDB propõe fundamenta-se no respeito às instituições do Estado democrático de Direito. É viabilizada por um ambiente econômico estável, competitivo e sustentável, que não se submeta a ideologias, livre de dogmas do passado. E se caracteriza por uma visão social libertadora, que defende a atuação do Estado na proteção e na garantia dos direitos de cada cidadão, acredita na força transformadora de cada pessoa e na obrigação dos governos de criar condições para que ela floresça. Ao longo deste ano, andamos por todas as regiões do Brasil.

Conversamos com os mais diversos segmentos da sociedade. Ouvimos. Percebemos que, por mais diferentes que sejam as circunstâncias de cada um, há um sentimento de inquietação e frustração comum a todos. Há um sonho e um desejo de mudança comum a muitos brasileiros. Há também, em cada canto deste nosso imenso país, a esperança e a aspiração por um Brasil melhor, mais justo, ético e fraterno. Um Brasil diferente.Para mudar – e melhorar – de verdade o Brasil, acreditamos que devemos partir da restauração de valores que vêm sendo aviltados no país nos últimos anos. São eles que orientaram a preparação deste documento. É abraçado a eles e aos sonhos de cada um dos brasileiros que queremos ampliar nossa caminhada de diálogos e debates.

O primeiro desses valores é a Confiança, que se manifesta na recuperação da crença do brasileiro na sociedade que construímos, no ambiente em que vivemos e produzimos. Para tanto, professamos nosso compromisso com o combate intransigente à corrupção, com a democracia, com a restauração da ética, com o respeito às instituições, com a recuperação da credibilidade perdida e com a construção de um ambiente econômico adequado para o desenvolvimento do país.

O segundo valor é a Cidadania, que reconhece e respeita os direitos dos cidadãos e a sua legitimidade em reivindicá-los. O poder público deve estar integralmente a serviço de todos os brasileiros, por meio de ações eficientes em segurança, transporte público, saúde e, em especial, educação. Só um Estado eficiente, justo e transparente é capaz de perseguir esses objetivos, devolvendo em forma de melhores serviços o que os cidadãos recolhem em tributos.

O terceiro valor fundamental é a Prosperidade, que entende que o bem-estar das famílias brasileiras deve ser o principal objetivo de uma política de desenvolvimento. Ela, a prosperidade dos brasileiros e do nosso país, exige do governo coragem, ação responsável e planejamento. Exige que o governante não se curve às conveniências do momento, mas priorize sempre seu compromisso com o futuro do país. Porque o futuro que teremos está sendo construído hoje. Queremos uma nação mais solidária, com estados e municípios tendo maior autonomia, com condições para que tanto o poder público quanto a iniciativa privada possam atuar para produzir mais riqueza, empregos e oportunidades para todos os brasileiros. Queremos criar as condições para a melhoria da qualidade de vida e do bem-estar de toda a nossa gente.

Ao trazer à sua reflexão este documento, o PSDB propõe o início de um diálogo ainda mais amplo com a nossa sociedade. Aqui, você não vai encontrar propostas prontas para um futuro governo. Não vai encontrar pensamentos fechados, nem verdades absolutas. Aqui, você vai encontrar reflexões que são um ponto de partida para um grande debate. Aqui você poderá conhecer a abordagem que julgamos mais correta, as prioridades, os grandes desafios do país e o caminho que consideramos ser o melhor para superá-los. Vai encontrar nosso olhar crítico sobre o que está acontecendo no país, segmentado em 12 diferentes aspectos, e os pressupostos e as ideias com que acreditamos ser possível avançar em cada área. Sobre essas ideias, queremos dialogar com você. Com compromisso com os nossos princípios, queremos ouvir você. Conhecer e aprender mais. Argumentar, compartilhar opiniões, agregar sugestões e reflexões. E, ao fim da caminhada, esperamos ter um conjunto de propostas que possa ser oferecido aos brasileiros como a nossa contribuição para um Brasil melhor.

Vamos conversar?”

CONFIANÇA: Resgate de valores, compromisso com a democracia, recuperação da credibilidade e da responsabilidade pública

CIDADANIA: Garantia dos direitos dos brasileiros

PROSPERIDADE: A nação solidária e o bem-estar coletivo

Faça o download do documento na íntegra neste link. (em PDF)

20 de junho de 2014
Reinaldo Azevedo

AS GALINHAS FILOSÓFICAS

Nani possui uma série fantástica, As Galinhas Filosóficas. Não contei, mas já deve andar pelas centenas de obras. Nesta semana saiu-se com esta sequência:












 
20 de junho de 2014

 

DILMA CONTINUA DESPENCANDO, SEGUNDO A NOVA PESQUISA IBOPE

NOVA PESQUISA DO IBOPE MOSTRA QUE DILMA CONTINUA DESPENCANDO E AÉCIO NEVES SOBE NA PREFERÊNCIA DOS ELEITORES
 
Uma nova pesquisa eleitoral do instituto Ibope sobre eleição presidencial indica que a presidente Dilma Rousseff tem 39% das intenções de voto. Já Aécio Neves, do PSDB, tem 21% e Eduardo Campos, do PSB, 10%. Os votos brancos e nulos somam 13%.
Como os dez concorrentes de Dilma têm, somados, 40% das intenções de voto, haveria segundo turno. No levantamento anterior, divulgado em 22 de maio, Dilma aparecia com 40% das intenções de voto.
Aécio tinha 20% e Campos, 11%. A margem de erro é de dois pontos porcentuais, para mais ou para menos. A pesquisa foi encomendado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). 
 
O levantamento simulou um eventual segundo turno. Nesse cenário, Dilma venceria Aécio Neves com 43% dos votos, ante 30% do tucano. Os votos brancos e nulos somam 19%. Se a disputa fosse com Campos, Dilma manteria os 43% de votos, contra 27% do adversário. Nesse caso, os votos brancos ou nulos sobem para 21%.
 
A pesquisa foi realizada entre os dias 13 e 15 de junho, na sequência da abertura da Copa do Mundo, em 12 de junho, quando a presidente foi alvo de vaias e xingamentos no estádio Itaquerão, em São Paulo. Foram ouvidas 2002 pessoas em 142 municípios.
 
Na chamada pesquisa instantânea, quando os nomes dos candidatos não são apresentados, Dilma tem 25% das intenções de voto. Aécio tem 11%, Eduardo Campos 4% e o ex-presidente Lula, 3%. Os votos brancos e nulos somam 16%.
 
 
Aprovação do governo - A pesquisa apurou ainda uma queda na aprovação do governo Dilma Rousseff: entre março e junho deste ano, caiu de 36% para 31% o número de entrevistados que avaliam o governo como ótimo ou bom. Já o índice de reprovação subiu - passou de 27% para 36% o porcentual dos que consideram o governo ruim ou péssimo. Já o porcentual da população que aprova a maneira de governar da presidente Dilma caiu para 44%.
Ao todo, 50% dos entrevistados desaprovam a maneira de Dilma governar.
 
A confiança na presidente também caiu: 52% não confiam na presidente, ante 47% registrados em março. O levantamento constatou que, quanto maior o grau de instrução, menor o indice de aprovação ao governo. Entre os entrevistados que têm até a quarta série do ensino fundamental, 44% consideram o governo ótimo ou bom. Entre aqueles com ensino superior, o índice cai a 22%.
 
Os principais problemas apontados no governo Dilma são saúde (78%), impostos (77%) e segurança pública (75%). Nota-se, portanto, que o programa Mais Médicos, uma das principais vitrines do governo e promessa que integrou os cinco pactos firmados por Dilma em meio aos protestos do ano passado, não surtiu efeito na popularidade da presidente. Outro carro-chefe da campanha petista, a política de combate à pobreza, tem 53% de desaprovação.
Rejeição - Dilma é a candidata com maior índice de rejeição, de acordo com o levantamento: 43% dos entrevistados afirmam que não votariam na petista de jeito nenhum. Já e relação a Aécio, a taxa é de 32% e a Campos, 33%. Dilma, contudo, é a candidata mais conhecida entre o eleitorado. Apenas 1% afirmou que não a conhecia o suficiente para opinar. Quando questionados sobre Aécio, o porcentual é de 20%. Campos é desconhecido de 25% do eleitorado. 

Do site da revista Veja
2O de junho de 2014
 

ARGENTINA BOLIVARIANA DE CRISTINA KIRCHNER PREPARA CALOTE BILIONÁRIO.

    DAQUI A POUCO PODE FALTAR PAPEL HIGIÊNICO...
Na novilíngua 'bolivariana' credores passam a ser denominados de "abutres". Centenas desses cartazes estão espalhados pela Argentina. Uma forma vigarista de transformar a Argentina numa vítima do "império".  Tal estratagema foi o mote que levou ao poder o ditador fascista Benito Mussolini na Itália. Deu no que deu. A foto é do site do Estadão.
Quanto mais estado, menos liberdade e mais miséria. E quem paga o pato? A maioria do povo, principalmente os mais pobres. O o que o chavismo fez na Venezuela já começa a se reproduzir, desta feita na Argentina que vem rolando uma dívida gigantesca. Os credores recorreram à Justiça nos Estados Unidos e a decisão é que não dá para rolar mais dívida, conforme já havia noticiado aqui no blog nesta quarta-feira.

O ministro da economia é um tal de Axel Kicillok, tido como o "queridinho' de Cristina Kirchner. E, como não poderia deixar de ser, Kicillok é mentido a "economista marxista", embora não passe de esquerdinha caviar. 

Nesta terça-feira, Kicillok esnobou afirmando que "não passarão" - referindo-se à Justiça americana. E ainda disse que iria falar com o Juiz que emitiu a sentença. O rapazote de Cristina está pensando que os Estados Unidos são a Argentina. Tanto é que o Juiz, conforme podem aferir na matéria que segue após este prólogo, acabou reforçando sua decisão tendo em vista as afirmativas de Kirchner, vazadas, vamos dizer assim, no linguajar tipicamente bolivariano, de acordo com as diretrizes do Foro de São Paulo, a organização comunista fundada por Lula e Fidel Castro. Até hoje a direção do Foro tem à frente o PT e Lula é o chefão dessa seita de psicopatas.

E, como se pode notar, a encrenca que pode custar caro para o povo argentino, foi transformada pelos bolivarianos argentinos numa campanha de marketing antiamericana como se pode verificar na foto acima publicada no site do Estadão. É a velha jogada dos comunistas, caloteiros contumazes e mentirosos. Quando a economia desanda o culpado são os credores. 
Estamos assistindo a mais um calote da Argentina. Daqui a pouco os "hermanos" estarão pedindo ao Lula e a Dilma papel higiênico emprestado.
Ironias à parte, o fato é que o caldo engrossou e nesta terça-feira o FMI mandou um recado avisando que a decisão da Justiça americana pode ter abrangência global. 

Como o governo do Lula e da Dilma faz inversões via BNDES, isto é, dinheiro público, com o carimbo de sigiloso e a coisa nem passa pelo Senado, convém colocar as barbas de molho. Há mais de uma década o governo do PT transfere recursos públicos para ditaduras comunistas africanas e, de forma especial, para Cuba, onde opera a empreiteira Odebrecht, que acabou de construir um moderno porto na Ilha de Fidel Castro, sem que se saiba qual será a sua utilidade, já que Cuba não possui mais sequer uma garapera. Claro, a Odebrech construiu o porto financiado diretamente com a grana do BNDES.

E a última do governo do PT é transferir a indústria farmacêutica brasileira para Cuba e a partir de lá exportar medicamentos para o Brasil. Convenhamos, é uma coisa muito estranha, tudo feito em segredo, como acontece na Venezuela e na Argentina. 

Como Estados e governos não produzem nada, chega um momento em que começa a faltar papel higiênico...

Segue a matéria publicada no site do Estadão que na verdade parece, vamos dizer assim, bastante resumida. Quem sabe na edição impressa desta quinta-feira seja revelado mais sobre a verdadeira situação econômica da Argentina. Convém fica atento, principalmente os empresários que operam comercialmente com a Argentina.
Leiam: 

A capital federal Argentina amanheceu repleta de cartazes em apoio ao governo de Cristina Kirchner em sua disputa legal com o grupo de credores que não aderiram às reestruturações dos títulos da dívida (holdouts), beneficiados por uma sentença da justiça norte-americana.
 
Com o slogan "Basta abutres, a Argentina unida em uma causa nacional", o cartaz tem uma fotografia da bandeira dos Estados Unidos como fundo e, em segundo plano, um abutre. Os cartazes provocativos têm sido típicos instrumentos usados pelo governo Kirchner quando abraça alguma campanha polêmica.
 
Ontem à noite, o ministro de Economia, Axel Kicillof, anunciou que, para driblar um eventual embargo de ativos argentinos no exterior por parte dos holdouts, o governo pretende reabrir a troca dos bônus, embora, desta vez, unicamente sob jurisdição argentina, em Buenos Aires.
A medida tem o objetivo de driblar o cumprimento da sentença emitida pelo juiz Thomas Griesa, de Nova York, que determinou o pagamento de US$ 1,33 bilhão a um grupo de holdouts liderados pelo fundo NML Capital, unidade da Elliot Management, do multimilionário Paul Singer.
 
Paralelamente, o governo vai enviar à Nova York sua equipe de advogados para negociar com o juiz Griesa. Porém, o ministro reiterou afirmação anterior da presidente Cristina Kirchner de que o país não tem condições de pagar o valor determinado.
Ao comentar o valor da sentença, Kicillof e Cristina arredondaram número para US$ 1,5 bilhão. Kicillof explicou que, se o governo cumprir a determinação do juiz, outros holdouts e os credores regulares da dívida podem recorrer à justiça para exigir o mesmo tratamento e disparar ações no valor de US$ 15 bilhões. "Não temos condições de pagar isso", afirmou. 

A decisão da Argentina foi tomada após sofrer, na segunda­feira, um revés na Corte Suprema de Justiça dos EUA,que rejeitou recurso apresentado pelo país para rever a sentença de Griesa, emitida em outubro de 2012.
Pela sentença, os depósitos argentinos destinados a honrar os vencimentos da dívida reestruturada deverão ser retidos pelo banco pagador, nesse caso, o Banco de Nova York, para garantir o pagamento ao grupo de credores que ganhou a causa. 
Essa retenção levaria a Argentina a dar um calote nos credores regulares. Para evitar esse default, segundo explicou Kicillof, o governo prefere realizar seu terceiro swap, desde 2001, com vistas a transferir o local de pagamento para Buenos Aires.
 
Para ter êxito, a Argentina precisa de uma aceitação mínima de 85% dos credores. O próximo vencimento da dívida é 30 de junho, no valor de US$ 900 milhões. O governo corre contra o relógio.

Do site do jornal O Estado de S. Paulo

20 de junho de 2014
in aluizio amorim

QUANDO O HUMOR DESENHA A REALIDADE


                                        Um festim diabólico na Papuda!

 
 
20 de junho de 2014

ARGENTINA COM A CORDA NO PESCOÇO

MAS SEU MINISTRO MARXISTA DA ECONOMIA PEITA A JUSTIÇA AMERICANA: "NÃO PASSARÃO", AMEAÇA O 'QUERIDINHO' DE CRISTINA.
Cristina Kirchner e Axel Kicillof recentemente promovido a Ministro da Economia. Com a corda no pescoço, Kicillof revelou que tentará convencer o Juiz americano. Como bom marxista o queridinho de Cristina partiu para a bravata...hummm... 
O Fundo Monetário Internacional (FMI) fez um alerta nesta terça­feira, 17, que a derrota da Argentina na Justiça americana em disputa sobre a reestruturação de sua dívida pode ter consequências amplas para o mercado internacional. 
 
Segundo o FMI, a decisão da Justiça dos Estados Unidos terá um impacto significativo no mercado global de dívida soberana dos países, incluindo outros processos de reestruturação.
 
Na segunda­feira, a Suprema Corte dos Estados Unidos recusou o apelo do governo da presidente Cristina Kirchner para revisar duas determinações da Justiça americana, de 2012, que ordenam o pagamento de US$ 1,3 bilhão a credores. Esses credores não aceitaram participar das reestruturações de dívida feitas em 2005 e 2010. Caso todos os credores que não participaram das reestruturações recorram aos tribunais, a conta pode chegar a US$ 18 bilhões. As reservas internacionais da Argentina estão em US$ 28 bilhões.
 
Rebaixamento. Por conta dessa decisão, a agência de classificação de risco Standard & Poor’s rebaixou a nota de crédito da Argentina de CCC+ para CCC­. A agência justificou a decisão citando maior risco de calote na dívida em moeda estrangeira do país.
 
Em entrevista na noite desta terça­-feira, o ministro de Economia da Argentina, Axel Kicillof, anunciou que, para driblar um eventual embargo de ativos argentinos no exterior por parte dos “holdouts” denominação dada aos credores que não aderiram às reestruturações dos títulos da dívida ­, o governo pretende reabrir a troca dos bônus, embora, desta vez, unicamente sob jurisdição argentina, em Buenos Aires. “Eles querem tudo”, afirmou Kicillof em referência aos holdouts, visivelmente nervoso. “Mas nós lhes respondemos que ‘não passarão!’”, acrescentou, em alusão ao slogan dos republicanos espanhóis durante o cerco franquista de Madri em 1936. 
 
Apesar do tom de bravata, Kicillof ­ um economista de origem marxista que se converteu ao peronismo e começou em dezembro a implementar um ajuste econômico ­ afirmou que enviará advogados a Nova York para conversar com Thomas Griesa, juiz federal que determinou em 2012 que a Argentina efetue o pagamento ao fundo NML, um dos grupos de holdouts mais ativos na Justiça.
 
Kicillof indicou uma possibilidade de esperança para a Argentina ao afirmar que “o juiz (Griesa) disse algo que não coincide com seu parecer, pois afirmou não querer empurrar a Argentina ao calote. Por isso, ver o que Griesa quer dizer com isso”.

Vocação de negociar. Na segunda­feira à noite, em rede nacional de TV, a presidente Cristina afirmou ­ de forma vaga ­ que seu governo tem “vocação de negociar” ­e que não dará o calote da dívida que foi reestruturada.
 
Do total de títulos argentinos declarados em estado de calote em dezembro de 2001 pelo presidente provisório Adolfo Rodríguez Saá, 92% estão nas mãos de credores que participaram das reestruturações da dívida em 2005 e 2010. Os 8% de títulos restantes estão nas mãos dos holdouts.
 
Na segunda­feira, a Suprema Corte em Washington indicou que não se envolveria na disputa que o governo Kirchner mantém com o juiz Griesa e recusou o apelo feito pela Argentina para revisar as duas determinações de 2012. 
 
Embargos. Uma eventual decisão final de Griesa nos próximos dias poderia criauma brecha para que os holdouts peçam embargos sobre bens do Estado argentino no exterior. Nesse caso, o alvo principal ­ e imediato seria o pagamento que Argentina fará na semana que vem, dia 30, em Nova York, de US$ 900 milhões aos credores que aderiram às reestruturações e que possuem bônus argentino sob legislação americana. 
 
No entanto, a legislação da dívida permite que a Argentina possa atrasar pelo prazo de 30 dias o pagamento. Nesse período, segundo informações extraoficiais em Buenos Aires, os enviados da Casa Rosada a Nova York tentariam conseguir um acordo com Griesa.
 
“A Argentina está pagando desde 2003”, disse Kicillof, que também indicou qu o governo tomará “as precauções necessárias para assegurar que os títulos da dívida reestruturada sejam pagos”. “Mas, se a Argentina fosse obrigada a acatar a determinação de Griesa, o país seria levado ao calote”, sustentou.

 Do site do jornal O Estado de S. Paulo

20 de junho de 2014
in aluizio amorim

A BANALIDADE DA VISÃO POLITICAMENTE CORRETA

QUANDO O OCIDENTE É SERVIDO DE BANDEJA AOS SEUS ALGOZES.
 
Transcrevo após este prólogo artigo de Herman Glanz, do site Pletz,que propõe uma reflexão sobre o futuro da civilização ocidental que vem sendo impiedosamente dizimada não mais por exércitos, mas pela ideologia do pensamento politicamente correto que banaliza as tradições judaico-cristãs, sobre as quais se assenta o Ocidente e opera a metaformose dos conceitos do que é certo e do que é errado. No nível cultural, por meio de sofisticada engenharia social, os arautos dessa nova ordem vão impondo a sua agenda cada vez com mais vigor com a anuência do próprio Ocidente! 
Neste artigo sintético, Glanz consegue reunir os principais eventos políticos e econômicos que tem marcado o século XXI e que na verdade consistem num desdobramento, numa espécie de segunda fase mais avançada desse insidioso processo, desde que a funesta ideologia do pensamento politicamente correto passou a balizar todas as ações humanas. O título original do artigo é "A Banalidade da Visão Politicamente Correta"
Leiam:
 
Temos continuamente falado da aspiração do fundamentalismo radical islâmico de reconstruir o Califado al Andaluz, pois tem merecido constantes declarações de eminentes figuras do mundo islâmico. Não se trata de religião, mas de dominação do mundo, cada qual ao seu modo. As guerras que se sucedem em várias partes do mundo, especialmente na África, no Oriente Médio e em outros locais da Ásia, nos deixam muito preocupados, porque neste Século XXI ainda não foi assentado um entendimento do pacifismo e da solução de conflitos.

A continuada guerra na Síria que, de uma guerra local se transformou em combate entre facções do islamismo com interferências de países visando à hegemonia, a guerra na Ucrânia, numa demonstração de desrespeito total às Nações Unidas, são motivo de grande preocupação para com o futuro.

A busca da hegemonia pelo Irã, perseguindo a construção da bomba nuclear, e agora a presença do que se denomina ‘Estado Islâmico do Iraque e Síria’, conhecido pela denominação inglesa de ISIS – Islamic State of Irak and Siria, um grupo da al Queida, demonstra a visão da guerra de dominação com motivos religiosos.
E tivemos a denominada Primavera Árabe, cujos resultados não se mostraram no sentido do desarmamento e democracia.
 
 
Voltamos a insistir: nada dessas descrições têm algo a ver com Israel. Mas são altamente preocupantes para nós do Mundo Ocidental, porque a banalidade da visão politicamente correta nos impede de entender o que se passa.

Quando o Papa Francisco convida ShimonPeres, agora ex-presidente de Israel, e Mahmoud Abbas, presidente da Autoridade Palestina, para orarem pela paz, significa que os politicamente corretos Acordos de Oslo não mais existem, apenas deles restando a Autoridade Palestina, uma criação daqueles acordos.
 
A luta que se desenvolve no Iraque com essa organização ISIS nos mostra como podem surgir guerras intestinas entre facções de uma mesma religião pelo domínio do mundo. Já tivemos a mostra do que significa a luta pela dominação, com o 11 de setembro de 2001 em Nova Iorque. Trata-se de uma guerra diferente que muitos ainda não absorveram o significado, sem exércitos mas com terrorismo.
 
O Hizbollah, uma organização criada pelo Irã, está combatendo na Síria, ao lado do presidente Assad, e também está preparado para combater Israel, com milhares de mísseis destinados às áreas estratégicas de Israel, como aeroportos, bases militares e centrais elétricas. Mas o Hizbollah também se acha presente na América, especialmente na América do Sul, na Venezuela e na Argentina, assim como na Tríplice Fronteira. Tudo indica que poderemos ter problemas pela frente se não pararmos com a banalidade do politicamente correto. Do lado de cá, o Hizbollah já colaborou no atentado à AMIA, em Buenos Aires, em 1994.
 
Outro fato que se mostra preocupante, e do qual já falamos de há muito, diz respeito à China, que se torna a indústria do mundo, acabando com a indústria local e de todo o Ocidente, reduzindo os empregos.
Quando nos dermos conta, já será tarde, com os preços dos produtos aumentando barbaramente, como foi no choque do petróleo, quando barril passou de 10 dólares para 100 dólares. E nada disso tem a ver com Israel, mas mostra as bases das lutas neste Século XXI, quando o Ocidente não terá nem armas para enfrentar a China, porque todo o aço vem da China. E nessa guerra entre o mar e o rochedo, sofre o menor, o pequeno peixe Israel.
 
Assim, não é por causa de Israel que se luta na Síria e no Iraque, na Nigéria e no Sudão, e em tantos outros lugares, mas a banalidade da conquista fanática radical e que também se desenvolve na China, não devemos esquecer. Na Europa já há uma grande tomada de posição contra um domínio estrangeiro. É esta a razão que nos faz esperar por milagres que sempre acontecem e às vezes não são percebidos, porque se chegará a um consenso de paz e de prosperidade se todos compreenderem a banalidade do politicamente correto, que anda sendo vendido, antes que seja tarde.

Do site Pletz

20 de junho de 2014
in aluizio amorim

PARA CONSUMAR O GOLPE COMUNISTA, PT INTENSIFICA AÇÃO NAS REDES SOCIAIS E AINDA DEBOCH A AVISANDO: "VAMOS OCUPAR O GOVERNO"


Acima o facsímile do cabeçalho da fanpage no Facebook; e abaixo a propaganda veiculada no Portal Brasil
O cinismo sempre foi a marca do PT, como aliás é a marca de todos os partidos comunistas. Imaginem! Logo o PT falando em democracia participativa, direta e outras vigarices do gênero e torrando o dinheiro público com uma equipe especial dirigida pelo “homem do carro preto”, Gilberto Carvalho, para atuar nas redes sociais e na internet com o objetivo de rasgar a Constituição e dar o golpe de morte na democracia e a liberdade.
 
O PT é partido do mensalão! Líder em escândalos que tiveram seu ápice quando Lula, por meio de seus acólitos, tentou comprar o voto de parlamentares para aprovar projetos destinados a enterrar a democracia e criar uma ditadura comunista.
 
Já disse aqui que o roubo de bilhões do erário envolvendo naquela deletéria transação, com o tempo e o trabalho de milhares de brasileiros, poderá ser recuperado. Entretanto, a democracia e a liberdade não têm preço. Se lograssem sucesso com o mensalão, já estaríamos, tenham certeza, vivendo com um tíquete governamental na mão para adquirir comida, como ocorre atualmente na Venezuela.
 
É esse partido que agora tem o cinismo de propor o decreto Decreto 8.243, cuja finalidade é a criação de verdadeiros “sovietes” como os que vigoraram na URSS, uma pantomima de democracia direta. Pura empulhação. Quem mandava era a nomenklatura comunista que gozava de todos os privilégios, como desfruta em Cuba, na Venezuela, na China ou na Coréia do Norte. Todos os regimes comunistas são ditaduras; e ditaduras opressoras e assassinas!
 
E a finalidade da versão petista desse monstrengo, os “sovietes botocudos” é emascular o poder legislativo e, mais ainda, diminuir a importância do voto livre e direto, até que o Brasil se tenha transformado num apêndice do regime cubano onde as eleições para a tal Assembléia do Povo constituem uma farsa ridícula. Quem manda é a ditadura de Fidel Castro e sua família. Regime tirânico que já dura 54 anos!
 
O Blog do Coronel, em boa hora, descobriu e publicou uma postagem revelando a ação do PT que utiliza os recursos do Estado para promover um golpe de Estado bolivariano. 
 
Trata-se de coisa feita por especialistas, por marketeiros e agências de publicidade. Páginas do próprio governo petista no Facebook, como se pode verificar na ilustração acima, tentam envolver as pessoas, sobretudo os mais jovens, com a doutrinação do golpismo comunista que é edulcorada com palavras de ordem como “Ocupa Governo”, dando a impressão de que num país com 200 milhões de habitantes é possível estabelecer a “democracia direta” com a participação dos tais movimentos sociais, esses mesmos que afrontam o Estado de Direito Democrático ao invadir propriedades privadas.
 
Ora, trata-se de uma mentira histriônica, uma loucura que só pode sair da cabeça de um bando de psicopatas, tarados ideológicos. 
 
Os senadores e deputados têm o dever de barrar imediatamente mais essa sacanagem que está sendo montada pelo PT do mensalão, dos cartões corporativos, da roubalheira da Petrobras, dos dossiês fajutos pagos com dinheiro público para destruir reputações.
 
Além, do fato que o PT aparelhou todas as instâncias da administração pública federal. E o que é mais grave, utiliza os recursos públicos à farta para financiar campanhas políticas de interesse exclusivo do PT. Isso por si só já seria motivo imediato de impeachment.
 
E tem mais:
 
Nas redes sociais, sobretudo no Facebook, há dezenas de páginas feitas pelos acólitos do PT, denegrindo os líderes da oposição, particularmente o candidato Aécio Neves. É uma coisa asquerosa e, mais asquerosa ainda é que tudo isso é feito de forma profissional, por equipes pagas com dinheiro público. As páginas do Facebook  destruindo reputações são todas com design semelhante a do facsímile que ilustra este post. E elas tem links a partir de um um site governamental, o Portal Brasil!
 
É algo afrontoso, criminoso. Nunca vi em toda a minha carreira jornalística ao longo de mais de 40 anos nada parecido com tudo isso que está ocorrendo no Brasil.
 
O curioso é que o título dessa página no Facebook faz sentido: "O Governo é Nosso". Na mistificação comunista é realmente o Partido Comunista, como se de verdade fosse, um "coletivo", é o dono absoluto de tudo, ele, o partido, é o próprio Estado, já que banida a propriedade privada teoricamente tudo pertence a todos. Menos aos dissidentes, que são eliminados e trancafiados nos calabouços do regime. 
 
Frente ao PT, qualquer governo do passado pode ser considerado impoluto!

A HIROSHIMA BRASILEIRA


Eram seis horas da manhã de 16 de julho de 1950 - dia da final da Copa - quando, espairecendo pelas imediações do Hotel Paissandu no Flamengo, onde a delegação do Uruguai estava hospedada, o capitão do time, Obdúlio Varela, conhecido pela sua forte personalidade, com passado de peão de obra e boxeador, se defrontou com a manchete do jornal O Mundo numa banca próxima. Com a foto do time brasileiro ao lado, as letras garrafais diziam: “Estes são os campeões do mundo”.

Num segundo, os sentimentos de ira e indignação percorreram-lhe as veias até chegar nas entranhas da alma. Num abrupto impulso, ele comprou todas as edições disponíveis e, de volta ao hotel, distribuiu aos seus companheiros. O recado de Obdúlio era como uma ordem: “Pisen y orinem em el diário”.

Como se não bastasse tamanha injeção de ânimo, já com as seleções perfilados no gramado do Maracanã, o prefeito Mendes de Moraes declarou em alto e bom som: “Vós que daqui a alguns minutos sereis campeões do mundo; vós a quem já saúdo como vencedores; cumpri minha palavra construindo este estádio. Cumpram agora o dever de vocês conquistando a Copa do Mundo”. Não podia dar certo.

Para Nelson Rodrigues a derrota para o Uruguai em 1950 foi “a nossa Hiroshima”. Já segundo Mino Carta aquele 16 de julho “foi um dia de espanto”. Ambos estavam no Maracanã naquela tarde ensolarada quando, aos 34 minutos do segundo tempo, Ghiggia invadiu a área brasileira e, num chute rasteiro, quase sem ângulo, marcou o gol da virada. O silêncio sepulcral dos 200 mil torcedores que estavam no estádio (10% da população do Rio de Janeiro na época) foi a senha para a derrota.

Trinta e seis anos depois da nossa Hiroshima, o repórter Geneton Moraes Neto foi atrás de cada um dos jogadores que estavam em campo no dia do Maracanazo. Todos queriam falar, contar em detalhes o que houve no gramado e o que aconteceu com eles após o jogo. O resultado é o livro Dossiê 50, um documento histórico, relançado nesse ano, com o acréscimo de um depoimento inédito do único jogador ainda vivo entre todos que estiveram em campo na final daquela Copa: justamente o carrasco Ghiggia. 
 
  (Foto: divulgação)
 
Geneton conta, por exemplo, que encontrou Barbosa, o goleiro brasileiro, considerado o maior culpado pelo fracasso da seleção brasileira, no Parque Aquático do Maracanã, do qual era funcionário. Ele se espantou quando, ao convidá-lo para fazer a entrevista no gramado do estádio, recebeu como resposta um seco “não, lá dentro, não”. Segundo Geneton, aquela frase de Barbosa “lá dentro, não” resumia um trauma que parecia resistir à passagem dos dias, dos meses, das décadas, desde julho de 1950.

Os depoimentos são mesmo impressionantes. Friaça, autor do gol brasileiro, disse que teve um apagão depois do jogo. Voltou a si debaixo de uma jaqueira em Teresópolis. Nunca conseguiu se lembrar de como foi parar lá. Estava com cinco quilos abaixo do peso. Bauer conta que voltou para São Paulo deitado no chão de um vagão de trem, pois, contando que ficaria no Rio para as comemorações do título, devolvera a passagem que havia comprado. Danilo, chamado de ‘Príncipe’ pela sua categoria, diz com ironia que parecia o presidente da República descendo do carro vaiado: “Mas era eu chegando em casa depois da derrota”. Zizinho revela que durante anos teve um sonho recorrente: “meu sonho era assim: a gente ainda iria jogar contra o Uruguai. Aquilo era mentira”.

Já Ghiggia afirma que acabou ficando amigo dos jogadores brasileiros, mas que, quando se encontravam, evitavam falar de futebol: “Muitos não acreditavam que tínhamos uma amizade de irmãos. Estive com Zizinho, com Jair, com Ademir. Quando íamos ao Brasil, eles nos recebiam. Quando eles iam ao Uruguai, nós os recebíamos”.

Como está dito na orelha do livro, Dossiê 50 “não é uma tese sobre aquela que já foi considerada a mãe de todas as derrotas. É uma reportagem: a história de 50 na visão de quem suou a camisa dentro de campo, até o último minuto, em busca da impossível vitória. Em qualquer situação e em qualquer época, os dissidentes, os náufragos, os derrotados, os malditos, os esquecidos merecem ser ouvidos. Porque as causas perdidas podem ser fascinantes. E a grande causa perdida do futebol brasileiro é a Copa de 1950. Quem viu – e quem não viu – não se esquece”.

20 de junho de 2014
perfil Roberto Sander - blog da Ruth (Foto: ÉPOCA)

RESPOSTA A LULA - QUE NÃO É ELITE


 

Estou cansado desse discurso enfadonho de "elite"!

Elite em quê? Tudo o que tenho foi por misericórdia de Deus. Vim de família de classe média sim, mas quando casei saí de casa com uma mão na frente e outra atrás, como todo mundo que se preze! Carreguei saco de sal nas costas, café, fui marinheiro, trabalhei em banco, com vendas e passei em diversos concursos... sem nenhuma cota ou bajulação! Estudei me formei e hoje sou advogado, trabalho numa estatal de respeito que hora é alvo da tentativa da privatização, hora é alvo da corrupção desvairada desse país! Vi as arquibancadas sim seu EX-PRESIDENTE (pela graça de Deus mais ex que presidente!).

Nela vi muita gente bonita mesmo, mas também tinha gente feia... gente manchada pela corrupção, pela ladroagem, pela falta de vergonha na cara...

Mas aquela gente bonita não é bonita por supostamente pertencer à elite. É uma gente linda porque é brasileira! É pacífica e sempre esteve disposta a bancar as loucuras de seus governantes alucinados. Perdeu poupança, paga cada vez mais impostos, financiou a construção de Brasília e de sonhos dos mais diversos de seus governantes, hora admiráveis, hora nem tanto...

É uma gente linda porque não se furta de dizer o que está pensando... finalmente... depois de séculos...

É uma gente linda porque vcs não conseguiram plantar baderneiros como fazem nas manifestações legítimas que ocorrem nas ruas para poder classificá-las como baderna... vandalismo...

E mais, é linda porque não desiste nunca... não por ser elite...

Pobreza não é sinal de feiura seu molusco!

Recentemente estivemos no interior do Piauí. Eu e mais 4 famílias, amigos nossos, levando doações e trabalho voluntário... o que vi foi um povo sofrido sim... Mas não um povo feio, longe disso, talvez tenha sido o povo mais bonito que eu conheci...

Vsa. Sra. é feia, não por ter vindo de uma família humilde... é feia porque seu exterior já não esconde a podridão que realmente impera nas almas dessa sua corja!

Mais uma coisa!!! Aprenda!!! Dobre a língua para falar da classe média... Essa minha classe que também é muito sofrida.. que não recebe nada do estado, paga desde saúde, educação, lazer, além de pagar o dobro pela água, luz, transporte, etc... para financiar aqueles que não podem pagar... Classe que paga seus impostos, mais que a classe alta e o suficiente para bancar os menos favorecidos...

Dobre sua língua... vc está falando de um povo de respeito!

Povo que cansou de acatar todas as loucuras e devaneios e que em outubro irá mostrar a que veio!

20 de junho de 2014
Patrick Cesar é Cidadão Brasileiro.

PARA OS FILIADOS AO PDT, NÃO HÁ DIFERENÇA ENTRE LULA E DILMA




Os defensores do PDT não devem perder precioso tempo querendo opinar em assuntos que dizem respeito exclusivamente ao PT. O PDT está na base do governo, basta que entendamos essa realidade.

Se existe o movimento “volta Lula”, para nós militantes do PDT não faz diferença.
Achar que Dilma se espelhou em Jango e que absorveu alguma coisa do PDT quando de sua passagem pelo partido é uma “quimera”. Dilma esteve no PDT de maneira “ilógica” a serviço de quem?

Antes de 1964. Dilma nunca teve relações com os trabalhistas de Getúlio, Jango e Brizola. Depois da abertura de 1979, “no sapatinho”, ela que militara junto com todos os que hoje estão no PT (é só ver quais foram seus companheiros), ingressou no PDT do Rio Grande do Sul. Lá, traiu a mais valer o PDT, Colares e Brizola, que de boa fé achava que com ela podia contar em futuro próximo.

Veio a “operação resgate do PT”, e resgataram-na no Rio Grande do Sul e Garotinho no Rio de Janeiro. Garotinho foi deixado de lado porque não serve nem ao PT e nem a ninguém; só serve a ele mesmo. Não vou me estender, porque tenho muitas reservas sobre Dilma e seu marido. Entretanto, aceito como uma realidade que o PDT esteja na base do PT.

Quanto a defender Dilma ou Lula, isso eu nunca farei. Se perguntassem para mim qual a diferença entre Lula e Dilma, eu diria tranquilamente: o sexo. Não perco tempo com as querelas do PT, que tem mais de um milhão de defensores. Eu prefiro me concentrar nas mazelas e valores do PDT. Fica tranquilo porque o que penso não muda nada.

20 de junho de 2014
Antonio Santos Aquino