"Quero imaginar sob que novos traços o despotismo poderia produzir-se no mundo... Depois de ter colhido em suas mãos poderosas cada indivíduo e de moldá-los a seu gosto, o governo estende seus braços sobre toda a sociedade... Não quebra as vontades, mas as amolece, submete e dirige... Raramente força a agir, mas opõe-se sem cessar a que se aja; não destrói, impede que se nasça; não tiraniza, incomoda, oprime, extingue, abestalha e reduz enfim cada nação a não ser mais que um rebanho de animais tímidos, do qual o governo é o pastor. (...)
A imprensa é, por excelência, o instrumento democrático da liberdade." Alexis de Tocqueville
(1805-1859)

"A democracia é a pior forma de governo imaginável, à exceção de todas as outras que foram experimentadas." Winston Churchill.

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

NAMASTÊ...

TEMOS DIFERENTES DONS, DE ACORDO COM A GRAÇA QUE NOS FOI DADA. (Romanos 12.6)



significado-de-namaste


15 DE SETEMBRO DE 2016

SOBRE O RAIVOSO TEXTO DE REINALDO AZEVEDO

Evo Morales dá ao Papa Francisco uma réplica do "crucifixo" de Luis Espinal

Republico o artigo, intitulado “Bergoglio, o dito papa Francisco, não me representa! Ou: O sangue de Cristo e de 150 milhões de vítimas do comunismo”, escrito por Reinaldo Azevedo e publicado em 10 de julho de 2015, o farei de forma seccionada para expressar, sendo o caso, minhas objeções e o contraditório.

Em anexo o link do texto:http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/bergoglio-o-dito-papa-francisco-nao-me-representa-ou-o-sangue-de-cristo-e-de-150-milhoes-de-vitimas-do-comunismo/
Sou católico, mas o papa Francisco não me representa. Sei que, em certa medida, a afirmação soa absurda, mas vou fazer o quê? Eu poderia fazer uma graça e dizer que, existindo, como existe, um papa emérito, Bento XVI, tenho a chance de escolher. 
Mas, evidentemente, isso não contenta. O chefe da Igreja Católica, infelizmente, é o argentino Jorge Bergoglio. Quem recorrer ao arquivo poderá constatar que ele nunca me encantou.

Nesta primeira afirmação, Reinaldo escreve o que (ele) não pode ser. Para ser católico é preciso submeter-se ao princípio da “infalibilidade papal”, isto é acatar sem reservas a autoridade daquele que, no colégio cardinalício, foi purgado pelos seus pares – os cardeais. 
Ao afirmar, “ele nunca me encantou”, Reinaldo expressa o argumento pra não admitir em Bergóglio a autoridade de sumo pontífice da Igreja, logo não deveria "estar" na Igreja Católica. 
Mas neste aspecto, Reinaldo é “hours concours”, sua inadmissibilidade da vontade expressa pela maioria, que é a condição óbvia de um democrata. Reinaldo tem sido ardoroso defensor da interrupção do mandado do atual governo do Brasil amparado em suspeitas ou indícios não comprovados de ilicitude. 

Evo Morales, o protoditador da Bolívia, presenteou o sumo pontífice com uma monstruosidade herética: a foice e o martelo do comunismo, onde estava o Deus crucificado. Bergoglio fez um muxoxo protocolar, mas sujou as mãos no sangue de 150 milhões de pessoas. Ao fazê-lo, (re) rencruou as chagas de Cristo e se alinhou, lamento ter de dizer isto, com aqueles que O crucificaram.

Neste parágrafo destila toda a sua raiva contra os regimes que perseguiram minorias, que perseguiram religiosos, que sufocaram e eliminaram o contraditório, o que era de se esperar de alguém que abomina o autoritarismo (será que abomina mesmo?). 
Quanto ao crucifixo, que causou tanto embasbacamento, trata-se de uma obra concebida pelo Padre espanhol Luis Espinal Camps, morto pelos paramilitares de direita na Bolívia em 1980. 
Luis Espinal era um jesuíta, a mesma ordem do Papa. Curiosamente Francisco já havia rendido homenagem ao padre assim que desembarcara em La Paz. A escultura original (Evo deu ao Papa uma réplica) encontra-se na sede da Companhia de Jesus, em La Paz.

E o mais importante, o padre/artista/militante, ou seja lá o que for, entalhou a foice e o martelo não pra aludir ao comunismo, mas o seu desejo pela concórdia entre os bolivianos que, naquela época, eram reféns do arbítrio militarista. 
Espinal foi sequestrado e morto em março de 1980 quando saia do cinema. Seu corpo continha marcas de violência e de disparos. Morreu nas mãos daqueles que atentavam contra os direitos humanos e contra a democracia.



Padre Luis Espinal 1932 - 1980

Mas é claro que Reinaldo não daria estas informações, do contrário não criaria um factoide que possibilitasse expressar sua birra ou o seu descontentamento contra Francisco, pelo simples fato de Francisco "não o representar". 
Quando deparamos com alguém que vocifera contra o ditatorialismo, fica uma impressão de que este alguém é democrata, mas nos argumentos e na ocultação de informações Reinaldo está, prezado eleitor, sendo democrático? Tem ele reserva moral pra concluir que Morales, Correa, Kirchner e Maduro são “protoditadores”?
“Ah, o papa não tem nada com isso! Não tinha como saber o que faria aquele picareta!” 
Ah, não cola! A Igreja Católica de Roma está banida da China, por exemplo. Ficou na clandestinidade na União Soviética e nos países da Cortina de Ferro. Inexiste na Coreia do Norte e enfrenta sérias dificuldades em Cuba. Um delinquente político e intelectual como Morales não pode ofender moralmente mais de um bilhão de católicos com aquela expressão demoníaca. O papa que recusasse a ofensa. Mas ele não recusou. E foi além. 

Em Santa Cruz de la Sierra, nesta quinta, Bergoglio fez um discurso que poderia rivalizar com o de Kim Jong-un, aquele gordinho tarado que tiraniza a Coreia do Norte. Atacou o capitalismo, um “sistema que impôs a lógica dos lucros a qualquer custo, sem pensar na exclusão social ou na destruição da natureza”, segundo ele. E foi além: “Digamos sem medo: queremos uma mudança real, uma mudança de estruturas. 
Este sistema já não se aguenta, os camponeses, trabalhadores, as comunidades e os povos tampouco o aguentam. Tampouco o aguenta a Terra, a irmã Mãe Terra, como dizia são Francisco”.

Após "atirar" na direção dos países “prisioneiros do arbítrio esquerdista”, Reinaldo não resiste e dispara "Morales é delinquente político e intelectual”, neste caso falta ao articulista conhecimento de causa, de qualquer modo não é intenção, pelo menos neste texto, escrever a respeito do que se passa em Bolívia e no Equador. 
Apenas um lembrança, Evo e Rafael, respectivamente, são governos eleitos e reeleitos pelas maiorias respectivas e estão mudando a situação destes países. 
A visita do Papa a meu ver é um reconhecimento dos avanços políticos, sociais e econômicos na Bolívia e no Equador.

Critica o papa por ele ter dito verdades sobre o sistema capitalista, dando mais uma mostra de que é um defensor do sistema capitalista de maneira incondicional. O que novamente me leva a duvidar da capacidade do articulista. 

Por uma razão muito elementar: a defesa incondicional de qualquer coisa parece-me estranha ou pouco familiar ao bom intelectual. Por isso pareceu-me crível que Reinaldo escrevesse em seguida: “esse papa, com formação teológica de cura de aldeia, não tem competência teórica e vivência prática para cuidar desse assunto”. 
Frise-se “formação teológica de cura de aldeia”, é isso mesmo leitores, os "aldeões" não são inteligentes e não são cultos para o articulista, que se autoproclama intelectual e democrático. Ademais, Reinaldo conspira contra princípios básicos da antropologia.

É de embrulhar 
o estômago. Em primeiro lugar, esse papa, com formação teológica de cura de aldeia, não tem competência teórica e vivência prática para cuidar desse assunto. 
Em segundo lugar, os movimentos que hoje lutam pela preservação do planeta são exclusivos de regimes democráticos, onde vige o capitalismo. 
Ou este senhor poderia fazer essa pregação na China, por exemplo, onde o capitalismo de estado é gerido pelo Partido Comunista?

Pior: o papa está numa jornada que inclui o Equador e a Bolívia, duas protoditaduras que, na pegada da Venezuela, instrumentalizam o discurso anticapitalista para dar força a milícias que violam direitos individuais e que não reconhecem a propriedade privada como motor do desenvolvimento.

É óbvio que os defensores de um sistema alternativo colocar-se-iam contra os fundamentos do sistema capitalista: a propriedade privada e o lucro, pois mesmo sendo "motores do desenvolvimento" causam espoliação e exclusão. Esta é a razão pela qual estes mesmos defendem um novo sistema com novas bases e com crescimento que importa e atenda à todos e não a uma minoria.

Não tiro a razão do articulista quando se posiciona contra os regimes políticos que foram instalados (alguns ainda subsistem) em nome deste "igualitarismo", contudo é preciso considerar que estes regimes não me representam também, nem a mim e tampouco a Francisco.

Mas as recorrentes generalizações são próprias do "intelectual", Reinaldo, com um agravante: não altera o trajeto da investigação pelo simples fato de ver a hipótese como a "verdade" que deve ser a qualquer custo reafirmada. É um pseudo intelectual que parece não ter conserto.
Evocando um igualitarismo pedestre, disse Sua, não mais minha, Santidade: “A distribuição justa dos frutos da terra e do trabalho humano é dever moral. Para os cristãos, um mandamento. Trata-se de devolver aos pobres o que lhes pertence”. 
A fala agride a lógica por princípio. Se o tal “que” pertencesse aos pobres, pobres não seriam. A fala repercute a noção essencialmente criminosa de que toda a propriedade é um roubo. Como esquecer que essa concepção de mundo de que fala o papa já governou quase a metade do mundo e produziu atraso, miséria e morte?

“Noção essencialmente criminosa” Nesta passagem o articulista não hesita em afirmar que aqueles que lutam contra os fundamentos de um sistema por natureza excludente são “criminosos”. 
Esquece o articulista que a tese da igualdade não é simplesmente um brado marxista, mas uma reação previsível de quem pouco ou nada tem, e estes são bilhões de seres humanos espalhados pelo mundo. Bilhões de seres humanos que tem sido ignorados convenientemente por quem defende "incondicionalmente" o sistema vigente.

Para o articulista ser "criminoso" é atentar contra a propriedade privada, ora se ele crê que está defendendo algo moralmente aceitável, porque não reconhecer que o contraditório é igualmente aceitável? Mas é simples compreender o que está por traz desta postura: Tudo pode e deve ser feito pra impedir o avanço dos “criminosos” que ,sendo contrários à propriedade privada, almejam comunizá-la. 
Ao longo da História não faltam personalidades que se valeram deste argumento para justificarem seus arbítrios, a saber: os absolutismo-monárquicos na Época Moderna, os fascismos há quase 100 anos e as ditaduras militares em nossa região incluindo, frise-se as ditaduras militares na Bolívia e no Equador contra as quais lutaram Evo e Rafael, respectivamente.

Eu já tinha tido cá alguns engulhos quando, recentemente, o cardeal argentino resolveu se meter a falar sobre a preservação da natureza, com uma linguagem e uma abordagem que lembravam o movimento hippie da década de 60. 
Ele voltou ao ponto: “Não se pode permitir que certos interesses — globais, mas não universais — submetam Estados e organismos internacionais e continuem destruindo a Criação”.

Como? O homem destruindo a Criação? O catolicismo de Francisco, na hipótese benevolente, se esgota numa leitura pobre do Gênesis. Na não benevolente, é apenas uma expressão do trogloditismo de patetas terceiro-mundistas como Rafael Correa, Evo Morales, Nicolás Maduro e Cristina Kirchner.

O próximo papa, por favor!
Por Reinaldo Azevedo
O fechamento de seu artigo não poderia ser outro, deixo aos leitores de boa índole a possibilidade de concluírem, tendo como base o texto acima, sobre esta afirmação. A mim não resta outro desejo senão reiterar vida longa ao pontificado de Francisco.


15 de setembro de 2016
Cires Pereira
postado por m.americo

QUEM ERA A LOUCA:

HELOÍSA HELENA VÊ VERGONHOSA DERROTA ÉTICA DE LULA E PT
FOI A PRIMEIRA EX-PETISTA A ACUSAR LULA DE CHEFIAR QUADRILHA

HELOÍSA DISSE NÃO SENTIR REMORSO COM A DERROTA DOS INIMIGOS DE SEU ANTIGO PARTIDO (FOTO: CÂMARA DE MACEIÓ)

Relembrando derrotas eleitorais impostas pelos senadores alagoanos aliados de Lula e do Partido dos Trabalhadores (PT), a ex-senadora Heloísa Helena (Rede) usou as redes sociais na noite desta quarta-feira (14) para celebrar o que chamou de vergonhosa derrota ética do líder petista, horas depois de o ex-presidente Lula ter sido denunciado pela força-tarefa da Operação Lava Jato como comandante da “propinocracia” instalada no Brasil. 
A vereadora de Maceió foi a primeira dissidente petista a citar lula como chefe de uma organização criminosa, há 12 anos.

A política que decidiu não mais concorrer eleições lembrou que foi tratada como louca e rancorosa ao denunciar o PT e Lula, há 12 anos, acusando o governo petista de copiar a política de “governabilidade” do ex-presidente FHC. 
E depois de afirmar que o modus operandi do esquema teria sido replicado também na campanha de Dilma Rousseff e de Michel Temer, atribuiu a comprovação do esquema criminoso à confiança na impunidade, que possibilitou que a vida, implacável, revelasse a prática criminosa com clareza jurídica.

A ex-senadora citou um provérbio dos índios sioux para afirmar não sentir remorso com a derrota dos inimigos de seu antigo partido. 
E também lembrou Darcy Ribeiro ao dizer que detestaria estar no lugar de quem lhe impôs fracassos nas lutas que travou nas urnas contra os senadores Renan Calheiros (PMDB), Benedito de Lira (PP) e Fernando Collor (PTC), que teriam sido fortalecidos pelo “propinódromo governamental”, segundo Heloísa.

A política alagoana encerrou sua mensagem repetindo sua posição favorável a uma nova eleição, a partir do julgamento da campanha eleitoral de Dilma e Temer pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), diante das informações de que o esquema investigado pela Operação Lava Jato também abasteceu de propina as finanças da chapa presidencial vitoriosa em 2014.

Veja o que disse Heloísa Helena:

“Olhando as voltas que o mundo dá, não dá para não lembrar do velho provérbio Sioux ‘Que meus inimigos sejam fortes e perversos para que eu não sinta remorsos em derrotá-los’... 
É fato que eles usaram o propinódromo governamental pra me derrotar e conseguiram mesmo me impor grandes derrotas eleitorais (apoiaram ardorosamente e financeiramente Collor, Renan, Biu). 

Mas agora os vejo sendo derrotados eticamente! Vergonhosamente derrotados eticamente! Certamente seria melhor para o Brasil que as minhas palavras, há doze anos atrás, sobre o esquema chefiado por Lula (copiando o modus operandi que condenávamos em FHC e reproduzidos na campanha e no governo Dilma/Temer) fossem apagadas pela vida real, fossem apenas ridículas lutas de quem ‘é louca e rancorosa’, fossem apenas passado que o tempo apaga. 

Mas... a vida implacável (com a confiança deles na impunidade dando continuidade aos seus esquemas criminosos) se encarregou de mostrar com toda clareza técnica e jurídica necessárias o esquema criminoso que alguns tiveram a coragem de – mesmo sob duríssima perseguição – denunciar há mais de 12 anos atrás! 

Como já disse Darcy Ribeiro - falando sobre seus fracassos em tantas belas lutas travadas – ‘Eu detestaria estar no lugar de quem me venceu!’ #AvanteLavaJato #JulgaTSE #NovaEleição”, escreveu Heloísa Helena.

15 de setembro de 2016
Davi Soares
diário do poder

A HISTÓRIA CONTADA PELA ESQUERDA TUPINIQUIM (OU DOPINIQUINHO)

Atentado do 11/9 foi praticado pela “extrema-direita”, diz livro do MEC
Como mostra o site do ILISP, um livro do MEC estaria propagando uma mentira para associar o atentado terrorista do 11 de setembro ao que eles definem como “extrema-direita”:


O ataque terrorista mais marcante da história recente, o atendado de 11 de Setembro, em que um grupo radical islâmico liderado por Osama Bin Laden derrubou duas torres de Nova York e causou mais de 2 mil mortes, é mostrado no livro do MEC como consequência de uma ideologia política de direita.O livro obrigatório do MEC é estudado e lido por milhões de alunos de escola pública, o que apenas confirma o elevado grau de doutrinação que passam os alunos brasileiros. O Ministério da Educação (MEC) não deveria regulamentar livros e disciplinas em escolas, as gestões de todas as escolas deveriam ser independentes e os pais deveriam ter opção de escolher a melhor escola para seus filhos, ou até mesmo ter a permissão de educá-los em casa.

Veja a imagem revoltante abaixo:



Agora a questão é exigir a punição de um responsável (via ação no Ministério Público Federal) e a retirada imediata dos livros, pois isso é propagação de uma mentira com fim de lançamento de ódio contra conservadores. Tudo bancado com verbas estatais, lembre-se.

O termo “extrema-direita” é hoje utilizado pela extrema-esquerda para definir qualquer um que não concorde com as ideias deles. Assim, a mentira publicada pelo MEC tem alcance bem amplo. O nome para isso vai além de doutrinação escolar: é estelionato educacional.

De novo: de nada adianta expor as páginas do livro. É preciso punir os responsáveis por essa palhaçada.

15 de setembro de 2016
ceticismo político

MAS, MAS... E O LULA???


Para Lula e o PT, a tarde desta quarta (14) foi devastadora. A denúncia apresentada pelo MPF teve contundência ímpar por embasada em enorme volume de evidências. O procurador Deltan Dallagnol, corajoso, foi assertivo ao dizer que Lula é o comandante máximo do esquema criminoso. Também definiu o ex-presidente como chefe de organização criminosa, grande general do esquema e o verdadeiro maestro da ORCRIM.

Não há nada muito diferente daquilo que já sabíamos. A cleptocracia estabelecida pelo PT recebeu um novo nome por Deltan: propinocracia. A apresentação também deixou claro que Lula comandava um esquema de perpetuação no poder, tendo por base a corrupção levada a uma escala inédita. Também por isso, “nunca antes neste país” se viu uma manifestação tão contundente do MPF contra um político. Uma verdadeira demolição.

Lula foi denunciado no seguinte catálogo de crimes:

Corrupção ativa (art. 333, caput e p. único, CP);
Corrupção passiva (art. 317, caput e § 1º c/c o art. 327, § 2º,
Lavagem de dinheiro (art. 1º c/c o art. 1º § 4º, Lei nº 9.613/98)

Assim que Moro aceitar a denúncia, Lula, sua esposa e mais seis denunciados terão R$ 87 milhões bloqueados na justiça, devendo, além disso, ressarcir os cofres públicos em outros R$ 87 milhões. A paulada, como se vê, foi forte. E merecida.

Mas o que fica, após a demolição desta quarta, é que uma das mais relevantes narrativas do PT se converteu em piada. Para tentar luta contra o impeachment – sem sucesso – os petistas criaram o lema: “e o Cunha?”. Enquanto isso, os defensores da liberdade jamais saíram as ruas em favor do ex-presidente da Câmara. Ao contrário dos petistas, não temos bandidos de estimação.

Todavia, o questionamento sobre Cunha já perde o sentido, pois, a partir do momento em que Lula está denunciado formalmente pelo MPF, vemos que o ex-presidente da Câmara é apenas o peão em um tabuleiro. Já Lula foi claramente definido como o chefe de todo esquema. Não demorou para que o termo “trombadinha” fosse aplicado, nas redes sociais, a Eduardo Cunha. Ou até “ladrão de galinha”.

Assim, como chefe do esquema, é Lula quem deve explicações a todos nós a respeito de Eduardo Cunha. É como fazemos em todas as organizações. Para saber do desempenho de alguém, vamos falar com o chefe desta pessoa. Todas as explicações sobre os crimes de Eduardo Cunha devem ser direcionadas ao ídolo dos petistas.

Ontem não vimos apenas a morte política de Lula, mas também o sepultamento de uma das mais estratégicas narrativas do PT, dado que esta é a pergunta que resta para o momento: “Mas e o Lula?”.


15 de setembro de 2016
ceticismo político

INTERNET SOB CONTROLE DA ONU: UM LEGADO DE BARACK OBAMA

Se não houver qualquer iniciativa contrária por parte do Congresso dos Estados Unidos, no dia 30 desse mês o presidente Barack Obama poderá decretar o fim da liberdade de expressão na internet. Obama decidiu passar o controle da internet mundial, que é feito por um órgão privado de perfil estritamente técnico localizado nos Estados Unidos denominado ICANN (sigla em inglês para a entidade encarregada de atribuição de nomes e endereços de IP) para outro órgão vinculado a ONU, que já possui diretrizes claras no sentido estabelecer normas e regras para os conteúdos publicados na internet.

Essas novas normas e regras de conteúdo estabelecidas pela ONU impõem restrições à liberdade de expressão, usando dos mesmos pretextos e eufemismos que a agenda globalista de esquerda usa em todos os lugares do mundo: combate à (inexistente) homofobia, combate à (inexistente) islamofobia, defesa da diversidade e dos direitos humanos, combate a supostos crimes de ódio e outros. Trata-se portanto dos mesmos mecanismos de censura vigentes em países como a Suécia, onde a agenda globalista na sua versão multiculturalista, escudada pela guilhotina do politicamente correto, já avançou de tal forma que na prática resultou no fim da liberdade de expressão naquele país.

O tema contém algumas tecnicalidades que precisam ser explicadas, e o Crítica Nacional irá publicar nos próximos dias um artigo mais detalhado a respeito. Mas por ora é suficiente dizer que o fato de a internet ser controlada (pois ao contrário da suposição comum, existe algum grau de controle e centralização na internet) por um órgão submetido à jurisdição dos Estados Unidos é o que garante a liberdade da expressão na rede, pois a liberdade de expressão é assegurada e garantida pela Constituição norte-americana.

Se o controle da internet ficar a cargo de um órgão que não se restrinja a questões estritamente técnicas, mas que também se ocupe do conteúdo segundo as diretrizes da ONU, essa liberdade estará seriamente ameaçada. Na ilustração abaixo, o senador Ted Cruz expressa essa preocupação e conclama o Congresso dos Estados Unidos para barrar essa iniciativa de Barack Obama, cuja passagem pela Casa Branca deixará um legado dos mais nefastos para os americanos e para todo o ocidente, como mostramos nesse artigo aqui.


15 de setembro de 2016
in crítica nacional

A POSSE DA MUDINHA MINEIRA DO PT, LULA E O DECANO PRESTÍMANO DO STF


A posse de Carmen Lucia, uma obscura petista infiltrada na suprema corte, na presidência do STF foi um espetáculo grotesco. 
Ela deu um tapa na cara do povo brasileiro, e um pontapé na bunda no respeito as leis. 
Ela fez questão de mostrar que seu partido e seus amigos estão, sim, acima da lei, pois convidou o bandido réu da justiça e chefe da quadrilha que roubou e fodeu o Brasil, Lula, para a solenidade. 
Para completar a palhaçada, o decano em fingimento e hipocrisia da corte fez mais um daqueles discursos bunitchos, supostamente defendendo a cidadania, e recebendo os elogios da imprensa
Depois, como usual, vai usar seu voto e sua influência para libertar os bandidos que finge condenar em seus discursos patrióticos.
15 de setembro de 2016
in selva brasilis

NOVA AGU VAI PEGAR OS ARQUIVOS DOS CORRUPTOS, MAS NÃO FALA EM PROCESSÁ-LOS


Resultado de imagem para grace maria fernandes mendonça
Subserviente, a ministra vai prestar bons serviços a Temer


















Após tomar posse como advogada-geral da União, Grace Mendonça rebateu nesta quarta-feira (14) seu antecessor, Fábio Osório, e disse que “não há qualquer tipo de ruptura ou obstrução” do governo de Michel Temer em relação à operação Lava Jato. “Não há qualquer irregularidade na condução dos trabalhos da AGU em qualquer processo. Não há ruptura, obstáculo ou entrave”, afirmou.
Um dia após sua demissão, na semana passada, Osório afirmou que o governo Temer queria “abafar a Lava Jato” mas Grace afirmou que “não há fundamento” nessas declarações.
DAR CONTINUIDADE – Apesar disso, a nova ministra garantiu que vai dar continuidade ao processo iniciado pelo seu antecessor, que desagradou ao Planalto ao pedir ao STF (Supremo Tribunal Federal) acesso a doze inquéritos da Lava Jato. Os documentos podem embasar futuras ações de ressarcimento e improbidade administrativa contra políticos acusados de corrupção.
Auxiliares de Temer se preocupam com o fato de que integrantes da base do governo estão envolvidos no esquema.
ATUAÇÃO ORDINÁRIA – “Essa atuação é ordinária da AGU. Aí, na verdade, nós teremos o acesso às informações. O expediente dando ciência à nossa Casa somente chegou ontem [terça-feira], então as providências serão adotadas. Elas são regulares”, explicou. “Por isso que reafirmo a vocês. Não há nenhum tipo de questão ou entrave a este processo”, completou a nova ministra.
Questionada se não há nenhum problema em ter acesso aos inquéritos da Lava Jato, a advogada respondeu apenas: “de forma alguma”.
CRÍTICAS DE PETISTA – Ex-advogado-geral da União do governo Dilma Rousseff, Luís Inácio Adams criticou as declarações feitas por Osório após sua demissão. Para Adams, a informação dada pelo ex-AGU de Temer “não deveria” ter sido feita daquela forma. Ele disse ainda que, durante a sua gestão, nunca viu nada que pudesse corroborar o entendimento de Osório.
“Acredito que a saída do Osório foi traumática do ponto de vista de razões políticas e isso potencializou essas declarações, que não deveriam ter sido feitas”, disse Adams.
###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG 
– Ao que parece, agora a advogada Grace vai arranjar um HD para copiar os arquivos… Mas notem bem: ela disse que vai pegar os arquivos sobre os políticos corruptos (entre eles, Renan Calheiros). Porém, em nenhum momento disse que vai processá-los. Ou seja, a nova AGU vai obedecer docilmente a Michel Temer/Eliseu Padilha, e sentar em cima dos arquivos. Quanto às críticas de Adams, soam como um elogio a Medina Osório. Quem é que julgaria que Adams algum dia fosse processar algum corrupto? Só se fosse Piada do Ano.(C.N.)



15 de setembro de 2016
Marina Dias e Mariana Haubert
Folha

EM NOTA, A DEFESA DE LULA ALEGA QUE DENÚNCIA É "ESPETÁCULO JUDICIAL E MIDIÁTICO"


Resultado de imagem para triplex charges
Charge do Sponholz (sponholz.arq.br)























Os advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Cristiano Zanin Martins e Roberto Teixeira, rebateram as acusações da força-tarefa da Lava Jato, responsável por denunciar à Justiça o petista. Segundo ele, a acusação é de cunho político e nem Lula nem a ex-primeira dama Marisa Letícia cometeram os crimes constantes na denúncia. “Para sustentar o impossível, força-tarefa valeu-se de ilusionismo, promovendo improvável espetáculo judicial e midiático”, disse o advogado.
Zanin explicou o caso relacionado ao triplex do Guarujá. Segundo o advogado, Marisa comprou uma cota do imóvel junto à Bancoop, o que garantiria a reserva de uma unidade de 82,5 metros quadrados. De 2005 até 2009, a ex-primeira dama teria quitado as parcelas referentes ao apartamento, num investimento total de R$ 179 mil, que, corrigidos pela inflação, corresponderiam a R$ 286 mil em termos correntes.
O advogado diz que a posse da cota “nunca foi ocultada”, tendo sido declarada pelo ex-presidente ao Imposto de Renda. Na entrevista coletiva, Zanin apresentou a declaração de Lula ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 2006 em que constaria o imóvel.
SUSPENDEU OS PAGAMENTOS – Com a transferência do edifício para a empreiteira OAS, Marisa Letícia teria a possibilidade de aderir a um novo contrato, mas preferiu suspender os pagamentos, segundo Zanin. Com a decisão, ela teria a opção de resgatar do valor pago ou usar o valor como parte do pagamento para comprar uma unidade do edifício.
A avaliação feita pela família é que o imóvel não se adequava aos interesses de Lula e Marisa. O advogado rebate o procurador do Ministério Público Federal (MPF), Deltan Dallagnol, que disse que o casal teria estado no imóvel para coordenar uma reforma. Zanin afirma que o ex-presidente esteve apenas uma vez no apartamento e, à época, disse não ter interesse no imóvel. Marisa Letícia e Fábio, filho de Lula, teriam retornado ao imóvel, mas confirmaram não ter interesse mesmo depois das adequações. “Nunca tiveram posse”, diz o advogado.
RESSARCIMENTO – Os advogados alegam que Marisa Letícia pediu o ressarcimento do valor investimento, mas, mesmo com a solicitação, não recebeu o valor investido. Por isso, a ex-primeira dama entrou com ação judicial para solicitar restituição dos valores investidos.
Zanin diz que documentos foram apresentados à força-tarefa da Lava Jato, mas foram ignorados. O defensor de Lula também crítica a denúncia por ter sido baseada em relatório elaborado por “policial que tem histórico de ofensas e calúnias ao presidente nas redes sociais”. A afirmação faz referência ao delegado Marcio Adriano Anselmo. “Apresento provas e documentos contra ilações e hipóteses”, argumenta Zanin.

15 de setembro de 2016
Pedro Rocha Franco
O Tempo

DENÚNCIA DA LAVA JATO TORNOU-SE UM PETARDO TRIPLO PARA LULA, DILMA E O PT


O procurador Deltan Dellagnol, que coordena a força-tarefa da Lava Jato, classificou o governo petista como uma "propinocracia" em denúncia
Dallagnol, em foto genial de Rodolfo Buhrer





























A denúncia apresentada nesta quarta-feira pelos procuradores da força-tarefa da Lava Jato é um petardo triplo que atinge em cheio Lula e o PT no momento em que ensaiavam tomar as ruas denunciando o suposto golpe de Estado e a vindoura supressão de direitos sociais. Agora, o partido e seu líder máximo terão de recolher tropas e munições que pretendiam manter nas ruas, na esperança de evitar um desastre completo nas urnas no mês que vem, para tentar desconstruir a peça que é avassaladora politicamente e muito bem fundamentada do ponto de vista técnico.
O petardo é triplo porque faz desmoronar de uma só vez o discurso do golpe, as chances eleitorais do PT e a esperança que ainda havia nas hostes petistas de que haveria espaço para uma campanha Lula 2018. Não há.
ENTREVISTA FATIADA – A entrevista foi propositalmente dividida entre três procuradores. Coube a Deltan Dallagnol, o mais “midiático” dos procuradores, fazer o que ele chamou de montagem do “quebra-cabeça” – a tese segundo a qual Lula era o “elo”, “comandante” ou “maestro” de um esquema criminoso que ele batizou de “propinocracia”.
Citando em looping o nome do ex-presidente, como para marcar de forma indelével a tese, Deltan também tratou de fixar graficamente o que dizia, por meio de um diagrama que logo viralizou nas redes sociais com círculos de partes do esquema que levavam a Lula, no centro da tela.
Foi a mais clara ligação feita até aqui por uma autoridade da Lava Jato entre os esquemas do mensalão e do petrolão, que seriam ambos “faces” de um mesmo esquema destinado a “perpetuar criminalmente” o PT no poder, segundo o procurador.
ENRIQUECIMENTO DE LULA – Mais: pela primeira vez, o Ministério Público acusou o ex-presidente de ter sido beneficiado pessoalmente com “pelo menos” R$ 3,7 milhões do esquema de propinas vindo da Petrobras, por meio da empreiteira OAS.
Depois do show de Lula feito pelo “maestro” da Lava Jato, coube a outros dois procuradores elencarem as provas a embasar a denúncia, que teve como foco a compra e reforma do tríplex do Guarujá, que a Lava Jato sustenta que foi dado a Lula e sua família para lavar recursos oriundos de propinas, e no armazenamento dos “presentes” de Lula como presidente pela mesma construtora.
O estrago na defesa de Lula é imenso. A Lava Jato reuniu documentos, fotos e fez até exame grafotécnico no documento do tríplex. Não será possível desconstruir a denúncia apenas com base no discurso de que há uma perseguição ao ex-presidente.
UM ESTRAGO – Eleitoralmente para o PT é um strike. Equivale, em termos de estrago, à foto da pilha de dinheiro que seria usada para comprar um dossiê contra José Serra às vésperas do primeiro turno da eleição presidencial de 2006.
Candidatos petistas como Fernando Haddad estavam começando a ensaiar uma estratégia eleitoral de se irmanar à tese do golpe e tentar consolidar o voto dos anti-Temer. Diante da cena de Lula denunciado como chefe de um esquema criminoso, haverá menos apelo para esse discurso.

15 de setembro de 2016
Vera Magalhães
Estadão

O EXEMPLO DE ITAMAR FRANCO, QUE MICHEL TEMER NÃO SEGUIU

Resultado de imagem para ITAMAR FRANCO

É conhecido o episódio da chegada de Itamar Franco ao poder. Ao receber a comunicação de que substituiria Fernando Collor na presidência da República, declarou ser inaceitável um regime que não levasse a todos os cidadãos os benefícios da civilização e da cultura. Instalado no palácio do Planalto, dispensou todos os ministros e reuniu os dirigentes dos  partidos políticos nacionais. Apenas o Lula negou-se a permitir que o PT comparecesse.
Itamar declarou que renunciaria caso não tivesse o apoio de todos. Ninguém saltou de banda, ficando os companheiros isolados. Foi composto um governo de coalizão mas jamais de imposição ou barganha. O novo presidente selecionou os melhores, dentro dos partidos e seu governo, logo depois transformado em permanente, é até hoje considerado o melhor, desde a redemocratização.
Lembra-se a experiência de tantos anos para se estabelecer a comparação: o afastamento de Dilma Rousseff seguiu o modelo do acontecido com Fernando Collor.  Ambos se viram punidos pela falta de diálogo com o Congresso e pela presunção e arrogância no exercício do poder.
CHANTAGENS – O problema é que a fórmula adotada por Itamar já tarda para Michel Temer, que se mudou todo o ministério de Dilma, não conseguiu compor um governo sob seu comando. Curvou-se às imposições dos partidos, que pressionam e vivem de chantagem sobre o presidente da República. Estabeleceram um mecanismo longe de favorecer a unidade administrativa, pois empenhado em disputas menores, mesquinhas e egoístas.
Ainda há tempo para Temer rever a experiência de Itamar e, de acordo com as circunstâncias,  seguir-lhe o exemplo

15 de setembro de 2016
Carlos Chagas

BARROSO DENUNCIA QUE IMPUNIDADE É A REGRA E DEFENDE FIM DO FORO PRIVILEGIADO


Resultado de imagem para foro privilegiado
Charge do lane (chargesdolane.blogspot.com)


















O ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso defendeu na terça-feira, dia 13, o fim do foro privilegiado, argumentando que na Justiça brasileira hoje a regra é a impunidade, porque somente os pobres são condenados. Defendeu também a necessidade de um reforma política ampla e o combate à corrupção como prioridades de uma agenda para o País. “Há uma necessidade imperativa de acabar com a multiplicação de partidos que vivem como legendas de aluguel, unicamente para arrecadar recursos do Fundo Partidário e vender seu tempo de rádio e TV”, disse Barroso em São Paulo, onde participou de um congresso de empresários.
Uma reforma política, para o ministro do Supremo, deve ser baseada principalmente na redução do custo das eleições e da diminuição do número de partidos – atualmente, há 35 legendas registradas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
INOPERÂNCIA – Em relação à corrupção, Barroso afirmou que o foco deve ser o combate à impunidade, que, segundo ele, alimenta a reincidência de fraudes no País. “Nós temos um sistema punitivo que deixou de funcionar, que só prende pobres e não serve para prevenção da delinquência. A impunidade se tornou a regra.”
Ao falar da importância do combate à desigualdade social, Barroso fez, mais uma vez, críticas ao foro privilegiado, concedido a autoridades que são julgadas por tribunais superiores em razão da função que exercem. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG 
– Depois da mancada ao forçar a mudança no rito do impeachment, é preciso reconhecer que Barroso está tendo uma conduta exemplar, ao denunciar a inoperância da Justiça e do próprio Supremo, mas ninguém parece ouvi-lo(C.N.)


15 de setembro de 2016
Deu no Correio Braziliense

BOECHAT COMENTA A POSSE DA NOVA PRESIDENTE DO STF